Semana de Arte Moderna de 1922

A Semana de Arte Moderna de 1922 é o nome de um dos eventos mais importantes da arte nacional. Nessa ocasião, artistas insatisfeitos com o conservadorismo da elite brasileira, que detinha poder político e econômico durante a República Velha, decidiram fazer uma ruptura com a arte tradicional e mostrar novas tendências estéticas.

Nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, ano do centenário da Independência do Brasil, alguns artistas, com um espírito contestador, apresentaram ao público obras caracterizadas pela inovação estética. Participaram da Semana artistas como

  • Oswald de Andrade;

  • Mário de Andrade;

  • Anita Malfatti;

  • Heitor Villa-Lobos.

Leia também: Parnasianismo no Brasil – escola literária combatida pelos modernistas

Contexto histórico da Semana de Arte Moderna de 1922

Revolta do Forte de Copacabana. Da esquerda para a direita: os tenentes Eduardo Gomes, Siqueira Campos, Nílton Prado e o civil Otávio Correia.
Revolta do Forte de Copacabana. Da esquerda para a direita: os tenentes Eduardo Gomes, Siqueira Campos, Nílton Prado e o civil Otávio Correia.

Quando ocorreu a Semana de Arte Moderna, em 1922, a chamada República Velha estava em decadência. Esse período histórico teve início em 1889, com a Proclamação da República, e terminou em 1930. Assim, durante quase quarenta anos, o Brasil foi governado pelas oligarquias de São Paulo e Minas Gerais.

Nesse contexto, a política que comandava o país era chamada de “café com leite”, em referência ao café paulista, ao leite mineiro e ao poder político e econômico dos pecuaristas e cafeicultores desses estados. Porém, no início da década de 1920, alguns militares se mostraram insatisfeitos com tal política de governo.

Surgiu, então, um movimento chamado de “tenentismo”, iniciado em 5 de julho de 1922, com a revolta no Forte de Copacabana, também conhecida como a Revolta dos 18 do Forte. Assim, o estopim para a rebelião foi a eleição de Artur Bernardes (1875-1955) para a presidência do Brasil.

Na Europa, o desenvolvimento tecnocientífico colocava em evidência a velocidade e a automação. Nesse contexto, surgiram as vanguardas europeias, isto é, movimentos artísticos que buscavam refletir o dinamismo e a inovação do novo século que se iniciava. Para isso, os artistas criaram uma arte nova, considerada, por eles, superior à arte tradicional.

Esse contexto europeu acabou se refletindo, também, no Brasil; mais fortemente, na cidade de São Paulo. O país abandonava uma economia de base rural para, na década de 1930, investir na industrialização. Assim, a insatisfação com a velha política e com a arte tradicional, além da influência das vanguardas europeias, levou alguns intelectuais e artistas brasileiros a realizar a Semana de Arte Moderna, no ano do centenário da Independência do Brasil.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características da Semana de Arte Moderna de 1922

A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um evento marcado por:

  • ironia;

  • contestação;

  • subversão;

  • dinamismo;

  • nacionalismo;

  • antirromantismo;

  • ruptura;

  • comoção;

  • tom festivo;

  • antiacademicismo;

  • inovação artística;

  • multiplicidade estética.

Veja também: Naturalismo – escola literária influenciada pelo cientificismo

A Semana de Arte Moderna de 1922

Interior do Theatro Municipal de São Paulo. [1]
Interior do Theatro Municipal de São Paulo. [1]

O evento ocorreu, irônica e propositalmente, no Theatro Municipal de São Paulo, um espaço tradicional para apresentações artísticas. O público era composto por integrantes da elite paulistana. Foi assim que, naquela semana, os artistas brasileiros mostraram a esse público uma nova arte.

Durante a Semana, houve exposição de pinturas e esculturas. No entanto, as principais atividades do evento ocorreram em três noites: 13, 15 e 17 de fevereiro. Nesses dias, houve espetáculos de dança, concertos, declamação de poemas e conferências, como a palestra de Graça Aranha — A emoção estética na arte moderna —, que abriu o evento em 13 fevereiro.

Quando as obras foram apresentadas, o público conservador não apreciou as inovações. No dia 15, Menotti del Picchia foi vaiado enquanto palestrava sobre o futurismo. Ronald de Carvalho teve muita dificuldade para ler o poema Os sapos, de Manuel Bandeira, já que a plateia vaiava e assoviava. Guiomar Novaes, no entanto, recebeu aplausos ao tocar obras de Debussy (1862-1918). Mas, durante a palestra de Mário de Andrade, a bagunça recomeçou.

Quando Villa-Lobos apareceu no palco, no dia 17 de fevereiro, foi vaiado porque estava usando chinelo. O que aconteceu é que o maestro estava com um calo no pé, mas o público pensou que aquilo era algum tipo de atitude “futurista” e, dessa forma, a Semana conseguiu fazer aquilo a que se propôs: provocar a elite conservadora e questionar a arte tradicional.

Desdobramentos da Semana de Arte Moderna de 1922

A principal consequência da Semana de Arte Moderna de 1922 foi a introdução do modernismo no Brasil. A partir de então, uma nova estética tomou forma em território brasileiro, baseada na inovação e no compromisso de se fazer uma arte com a cara do país.

Desse modo, o evento abriu um caminho de total liberdade para os artistas das décadas seguintes. Essa violenta ruptura com a arte tradicional, ocorrida durante a Semana, permitiu o surgimento, posteriormente, do concretismo, da poesia-práxis, do poema-processo, da poesia marginal e do tropicalismo.

Artistas da Semana de Arte Moderna de 1922

Mário de Andrade (primeiro à esquerda, no alto) e outros artistas modernistas em 1922.
Mário de Andrade (primeiro à esquerda, no alto) e outros artistas modernistas em 1922.

Literatura:

  • Oswald de Andrade (1890-1954);

  • Guilherme de Almeida (1890-1969);

  • Menotti del Picchia (1892-1988);

  • Graça Aranha (1868-1931);

  • Mário de Andrade (1893-1945);

  • Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982);

  • Ronald de Carvalho (1893-1935);

  • Ribeiro Couto (1898-1963);

  • Sérgio Milliet (1898-1966);

  • Manuel Bandeira (1886-1968).|1|

Música:

  • Heitor Villa-Lobos (1887-1959);

  • Guiomar Novaes (1894-1979);

  • Ernani Braga (1888-1948);

  • Frutuoso Viana (1896-1976);

Arquitetura:

  • Antonio Moya (1891-1949);

  • Georg Przyrembel (1885-1956).

Escultura:

  • Victor Brecheret (1894-1955);

  • Wilhelm Haarberg (1891-1986).

Pintura e desenho:

  • Anita Malfatti (1889-1964);

  • Di Cavalcanti (1897-1976);

  • John Graz (1891-1980);

  • Alberto Martins Ribeiro;

  • Zina Aita (1900-1967);

  • Yan de Almeida Prado (1898-1991);

  • Ferrignac (1892-1958);

  • Vicente do Rego Monteiro (1899-1970).

Acesse também: Escolas literárias no Enem: como esse tema é cobrado?

Resumo sobre a Semana de Arte Moderna de 1922

  • Contexto histórico da Semana de Arte Moderna de 1922:

    - República Velha.

  • Características da Semana de Arte Moderna de 1922:

    - ironia;

    - contestação;

    - subversão;

    - dinamismo;

    - nacionalismo;

    - antirromantismo;

    - ruptura;

    - comoção;

    - tom festivo;

    - antiacademicismo;

    - inovação artística;

    - multiplicidade estética.

  • A Semana de Arte Moderna de 1922:

    - local: Teatro Municipal de São Paulo;

    - data: 13, 15 e 17 de fevereiro;

    - destaques: Graça Aranha, Menotti del Picchia, Manuel Bandeira, Mário de Andrade, Guiomar Novaes, Heitor Villa-Lobos.

  • Desdobramentos da Semana de Arte Moderna de 1922:

    - modernismo;

    - concretismo;

    - poesia-práxis;

    - poema-processo;

    - poesia marginal;

    - tropicalismo.

Nota

|1| Manuel Bandeira não compareceu ao evento, mas participou com o seu famoso poema Os sapos, lido por Ronald de Carvalho.

Crédito da imagem

[1] Alf Ribeiro / Shutterstock

Por: Warley Souza

Artigos relacionados

A Geração de 1930

A Geração de 1930 é também conhecida como a segunda fase modernista.

A geração de 1945

A geração de 1945, ao contrário da geração de 1930, foi demarcada pela preocupação com a forma propriamente dita. Conheça aqui as características que a demarcaram!

A literatura de informação

Inteire-se mais acerca das características que demarcaram tal criação artística!

Arcadismo

Atenha-se às características que tanto nortearam a era em questão.

Autor X Narrador

Autor x narrador se trata de uma relação em que há diferença entre ambos.

Barroco Brasileiro

O Barroco foi um divisor de águas para a Literatura brasileira. Entenda sua importância para nossa história literária clicando aqui!

Foco narrativo

Entenda o conceito de foco narrativo. Saiba o que é o ponto de vista do narrador. Além disso, veja qual é a diferença entre foco narrativo e narrador.

Frida Kahlo

Clique no link para saber mais sobre a vida de Frida Kahlo, artista mexicana internacionalmente reconhecida por suas pinturas.

Gêneros literários

Conheça-os, estabelecendo familiaridade com suas principais características!

João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Meto Neto é considerado o poeta engenheiro, que, como tal, coloca palavra sobre palavra. Conheça aqui um pouco mais de sua trajetória artística.

Manuel Bandeira

Em apenas um clique, conheça quem foi um dos maiores representantes da fase modernista, Manuel Bandeira.

Modernismo

Conheça mais sobre o modernismo: por que e como surgiu, suas principais características, seus principais escritores e suas respectivas obras mais significativas.

Mário de Andrade

Conheça o escritor modernista Mário de Andrade. Saiba quais são as características de suas principais obras. Além disso, veja algumas frases do autor.

O Arcadismo no Brasil

Conheça acerca do ideário que tanto norteou este movimento, também conhecido como Escola Mineira!

O Naturalismo no Brasil

Constate a forma pela qual se desenvolveu tal estética literária!

Oswald de Andrade

Conheça a biografia de Oswald de Andrade, importante autor modernista do Brasil. Veja quais obras ele escreveu, e leia alguns de seus mais significativos poemas.

Pagu

Acesse o texto para conhecer detalhes da vida de Patrícia Galvão, a Pagu. Veja quais foram as contribuições dela para as artes no Brasil.

Parnasianismo

Você sabia que o Parnasianismo foi um estilo literário que se opôs ao Romantismo?

Pré-Modernismo

Período demarcado por significativas transformações políticas. Conheça-o!

Romantismo

Conheça as características do Romantismo. Entenda o seu contexto histórico e saiba quais são as principais obras do Romantismo brasileiro e português.

Simbolismo - características marcantes

Atenha-se aos seus principais traços!

Surrealismo

Conheça a origem do surrealismo e as características desse movimento. Veja também quais são seus principais artistas e obras.

Tarsila do Amaral

Leia a biografia de Tarsila do Amaral para saber mais a respeito da trajetória e das obras dessa renomada pintora e desenhista da Arte Moderna brasileira.