Filosofia

Podemos dizer que a filosofia tem, aproximadamente, 2600 anos de existência se considerarmos apenas a tradição filosófica ocidental, de origem grega. Se considerarmos a filosofia oriental, que é um pouco diferente da ocidental, temos um saber ainda mais antigo, que pode atingir mais de 5 mil anos de existência, levando-se em conta a filosofia zen budista ou a filosofia hinduísta.

O que importa é que a filosofia representa um tipo de conhecimento ordenado que visa a superar o senso comum e chegar a um resultado cognitivo mais ordenado e confiável. É por essa característica elementar da filosofia que podemos nomeá-la como ancestral da ciência.

Leia também: Como estudar Filosofia para o Enem  

Etimologia da palavra filosofia

A palavra filosofia foi criada no idioma grego antigo, sendo escrita φιλοσοφία, de onde φιλο (filo ou philos) significa “amigo” e σοφία (sofia ou sophia) significa (sabedoria). O filósofo é, portanto, um “amigo da sabedoria”. O termo, segundo Aristóteles, foi utilizado pela primeira vez pelo filósofo e matemático antigo Pitágoras de Samos para referir-se ao que ele e os seus sectários pitagóricos faziam.

A filosofia é um conhecimento milenar que se manifestou de diversas maneiras ao longo da história, tendo sua origem na Grécia Antiga.
A filosofia é um conhecimento milenar que se manifestou de diversas maneiras ao longo da história, tendo sua origem na Grécia Antiga.

Conceito de filosofia

A filosofia pode ser construída com base em problemas (problemas filosóficos). Dentro dessa visão, as perguntas expressam os problemas filosóficos. Perguntas que buscam a essência (o que é?) e a causa (por que é?) são as bases da filosofia. Sendo assim, a própria pergunta “o que é a filosofia?” é um problema filosófico.

O livro Filosofando: introdução à filosofia, de Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins, alega que não existe filosofia, mas filosofias. Não podemos reduzir a filosofia a um único conceito, mas devemos atentar-nos para a diversidade de significados que a filosofia pode apresentar. Se pegarmos, por exemplo, a divisão entre filosofia ocidental (tradição surgida na Grécia) e filosofia oriental (na verdade não é uma vertente filosófica, mas um conjunto de ideias antigas) já podemos entender como a filosofia é diversa e ampla.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que se chama de filosofia oriental é um conjunto de doutrinas de vida, de modos de viver, sendo algumas delas espiritualistas. O que se chama filosofia no Ocidente começou com o esforço dos gregos antigos por superar a visão mitológica como forma de explicar o mundo. Eles buscavam uma visão racional, baseada em uma boa argumentação e que buscava um sentido lógico no que se afirmava.

A cidade de Mileto foi o berço da filosofia ocidental.
A cidade de Mileto foi o berço da filosofia ocidental.

Após o início da tradição grega, a filosofia perdurou e passou por inúmeras transformações e adaptações ao longo do tempo. Com a queda do Império Macedônico e a ascensão do Império Romano, as tradições filosóficas gregas foram adaptando-se a um novo estilo de vida.

No século II d.C., novas interpretações sobre a filosofia grega de Platão apareceram, e isso resultou nas bases para o início da filosofia cristã. Os primeiros pensadores cristãos do chamado período patrístico da filosofia, como Santo Agostinho, trouxeram para o exercício filosófico a questão da iluminação divina.

É possível perceber que a filosofia mantém uma plasticidade que a permite adaptar-se aos problemas de cada período histórico. Além disso, a filosofia divide-se em temas específicos, como ética, política, lógica, metafísica etc. Isso provoca uma maior diversificação do que pode ser entendido como filosofia.

Para além das possíveis diferenças e tentando chegar a um consenso sobre o que a filosofia é, podemos dizer que ela é uma fundamentação teórica, racional, que busca pautar-se, pela lógica, na construção de um pensamento embasado. Também pode ser um conjunto de pensamentos e estruturas que fundamentem uma ciência, com é o caso da filosofia do direito, da filosofia da educação, da filosofia da matemática ou da filosofia da ciência.

É consenso quase unânime entre os filósofos, no entanto, que a filosofia não é, em si, uma ciência. Enquanto conjunto de pensamentos organizados, a filosofia foi a primeira estrutura que abriu as portas para preparar o ser humano para o conhecimento científico que se estabeleceu de vez após o século XVI.

Veja também: Jean-Paul Sartre – importante filósofo existencialista do século XX

Para que serve a filosofia?

O filósofo francês contemporâneo Gilles Deleuze afirmou que a pergunta “para que serve a filosofia?” pretende-se, muitas vezes, uma pergunta irônica e que deve ser respondida à altura. Para Deleuze, a filosofia não apresenta uma utilidade visível em um mundo capitalista produtivista. Essa mesma visão está presente no livro introdutório Convite à filosofia, da filósofa brasileira Marilena Chaui.

Para a professora emérita da USP, a filosofia não tem utilidade em um mundo que se curva inteiramente ao capital e apenas dá valor àquilo que se apresenta com efeito prático e imediato no mundo. Desse modo, em nosso mundo, só tem valor o objeto, o que é visto, o que existe na prática. A filosofia, que lida com conceitos, com pensamentos e com a problematização, não tem utilidade nesse mundo, e, segundo Chaui, a filosofia orgulha-se disso.

Apesar das acusações de a filosofia ser inútil (e realmente ser sob o ponto de vista apresentado), encontramos a utilidade do pensamento filosófico:

  • na potencialidade que ele traz para o conhecimento;
  • na possibilidade de conhecer-se o mundo e de estabelecer-se padrões para levar à prova o conhecimento obtido;
  • na possibilidade de fazer-se avançar a ciência;
  • na possibilidade de estabelecer-se fundamentos racionais e objetivos para entender-se a ética e a política;
  • na possibilidade da superação do senso comum e da mediocridade do pensamento comum.

A filosofia possibilita o salto para além do óbvio e que permite também entender o óbvio de maneira mais profunda. Ela é feita de problemas, de perguntas, e serve de estímulo ao pensamento.

Origem da filosofia

Tales de Mileto é considerado o primeiro filósofo. [1]
Tales de Mileto é considerado o primeiro filósofo. [1]

A tradição filosófica ocidental teve sua origem na Grécia Antiga. Supõe-se que foi Tales de Mileto o primeiro filósofo. O pensador, que viveu entre 625 a.C. e 545 a.C., foi um viajante, comerciante, matemático e astrônomo. Em suas viagens, ele teve contato com a engenharia egípcia, com a matemática egípcia e arábica, e com a astronomia persa.

Conta-se que o filósofo teria formulado o teorema de Tales com base em uma viagem ao Egito e em muita observação das pirâmides. Conta-se também que ele teria explicado as enchentes periódicas do rio Nilo, antes explicadas de maneira religiosa e mitológica. Também diz-se que Tales teria previsto um eclipse solar por volta do ano de 585 a.C. utilizando apenas seus conhecimentos astronômicos e matemáticos. Os historiadores especulam que esse período seria o de maturidade intelectual do filósofo e o provável momento de nascimento da filosofia. 

Tales era habitante da cidade de Mileto, na região então compreendida como Jônia, composição da chamada Ásia Menor. A filosofia nasceu e floresceu no local, sendo que os primeiros herdeiros do pensamento de Tales foram Anaximandro e Anaxímenes, também habitantes de Mileto.

A partir de então, a filosofia foi sendo construída e modificada por todo pensador que se dedicou a conhecer o mundo e sua origem de maneira mais ordenada e racional. Apesar das diferenças dentro dele, esse primeiro movimento filosófico tinha um assunto em comum: a cosmologia.

A cosmologia dos primeiros filósofos foi o esforço de compreender-se a verdadeira origem do Universo. A palavra cosmologia significa, em tradução direta, estudo do Universo, e ela veio concorrer com a cosmogonia da mitologia dos antigos gregos. Cosmogonia significa, também em tradução direta, gênese (ou criação) do Universo.

Cosmogonias são visões míticas que apresentam uma narrativa de origem do Universo atrelada a algum ou alguns seres ou entidades sobrenaturais. No caso da mitologia grega, o surgimento do Universo estava ligado aos titãs e deuses gregos. A visão dos primeiros filósofos era contraposta à visão mitológica, pois ela enxergava que a origem não estava nos deuses e deusas, nem em qualquer entidade sobrenatural, mas na própria natureza.

Muito se especula sobre o porquê da origem da filosofia ser na Grécia, e, de fato, muitos foram os fatores que possibilitaram o florescimento de um pensamento tão original. Os orientais já faziam uma sistematização de conhecimentos que podemos chamar de filosofia, e isso foi passado para os gregos pelo contato com os persas. No entanto, o que os gregos fizeram com o conhecimento filosófico foi além do que os orientais faziam.

Isso evidencia que foi fator marcante o cosmopolitismo das colônias gregas possibilitado por serem um lugar privilegiado na região do mar Mediterrâneo, lugar de encontro de vários povos e várias culturas. Dois outros motivos de tal cosmopolitismo eram o comércio e a utilização de moeda, o que aumentava o fluxo de pessoas nas cidades. Também podemos eleger como fator central a democracia que surgia em Atenas e ecoava em outras cidades gregas, pois a democracia estimulava o livre debate de ideias, algo essencial para a existência da filosofia.

Acesse também: Positivismo – teoria filosófica que defendia o progresso baseado nos avanços científicos       

Filosofia de vida

A expressão “filosofia de vida” não necessariamente compreende uma área de estudo da filosofia. O significado da expressão é bem comum e corriqueiro: chama-se filosofia de vida, basicamente, o modo como se vive e as aspirações que uma pessoa leva para sua vida.

Crédito da imagem

[1] Naci Yavuz / Shutterstock

Por: Francisco Porfírio

Artigos de Filosofia

10 conceitos da filosofia de Epicuro

Conheça dez conceitos principais para compreender a filosofia de Epicuro. Clique!

5 noções importantes para entender o existencialismo de Sartre

Clique e conheça cinco noções importantes para compreender o existencialismo de Sartre.

A crítica de Francis Bacon ao método indutivo de Aristóteles

Entenda por que o filósofo Francis Bacon criticava o método indutivo de Aristóteles.

A distinção entre antecipações e interpretações da natureza para Francis Bacon

Clique e conheça a distinção que Francis Bacon fez entre antecipações e interpretações da natureza.

A felicidade para Sócrates

Vejamos três interpretações sobre a relação entre felicidade e virtude para Sócrates!

A felicidade pensada por Aristóteles

Em “Ética a Nicômaco”, podemos entender como a felicidade era pensada por Aristóteles. Vamos estudar esse assunto juntos?

Aristóteles

Acesse este link e aprenda um pouco sobre Aristóteles, o grande filósofo grego que iniciou o período sistemático da Filosofia.

Cinismo

Clique neste link do Alunos Online e descubra o que é o Cinismo e qual a sua contribuição para a história da Filosofia. Saiba quem são os principais pensadores dessa corrente filosófica, descubra quem foi Antístenes e entenda por que Diógenes de Sinope é o mais célebre dos cínicos.

Conhecimento Empírico e o Empirismo

Saiba doze coisas fundamentais sobre Francis Bacon e dez coisas sobre John Locke, dois filósofos que afirmavam que o conhecimento é empírico.

Dez coisas para saber sobre Zenão de Eleia

Confira dez coisas que você precisa saber sobre Zenão de Eleia, célebre pré-socrático que utilizou o paradoxo para expor seus pensamentos.

Dez máximas de Epicuro sobre a amizade e a felicidade

Clique para conhecer dez máximas de Epicuro sobre a amizade e a felicidade!

Dez tópicos sobre a vida de Emmanuel Mounier

Clique e confira dez tópicos sobre a vida do filósofo francês Emmanuel Mounier.

Dogmatismo

Você já ouviu falar que uma pessoa é dogmática? Sabe o que isso significa? Clique e entenda o que significa dogmatismo.

Escola pitagórica

A escola pitagórica é diferente das outras escolas pré-socráticas. Descubra!

Ética

Quando pensamos sobre o modo como devemos agir, estamos fazendo uma reflexão ética. Aprenda o que Kant e Aristóteles pensavam sobre isso!

Existencialismo: 10 coisas para saber sobre Kierkegaard

Kierkegaard partia de sua própria biografia para desenvolver seu existencialismo. Descubra 10 fatos sobre ele.

Filosofia: o que faz um filósofo?

Você já considerou fazer faculdade de Filosofia? Clique e descobra 4 perguntas frequentes como “O que faz um filósofo?”.

Iluminismo

O que foi o Iluminismo? Descubra as principais características e pensadores desse movimento.

Jean-Paul Sartre

Acesse este link para conhecer a biografia e um pouco da produção intelectual do importante filósofo existencialista contemporâneo Jean-Paul Sartre.

Método Científico e o Senso Comum

A Filosofia pode contribuir para a ciência investigando a diferença entre o método científico e o senso comum. Saiba mais!

Nascimento da Filosofia

O que você pensa quando escuta “Filosofia”? Se respondeu “Grécia”, tem todos os motivos: foi lá o palco do nascimento da filosofia. Saiba mais.

O que é cultura?

Crenças, valores, costumes, leis, moral e línguas fazem parte da cultura de um indivíduo. Clique e entenda!

Parmênides, o fundador da Escola Eleática

Conheça mais sobre Parmênides, fundador da Escola Eleática e considerado o pai da ontologia ocidental.

Platão

Clique para conferir a biografia, principais obras e ideias, frases e um resumo do legado de Platão, um grande nome do pensamento ocidental.

Positivismo

Acesse este link e leia sobre o positivismo, que tem como um de seus principais idealizadores o pensador Auguste Comte.

Pré-Socráticos

Você já se perguntou sobre a origem do universo? Sim?! Os filósofos pré-socráticos também. Descubra o que eles pensavam.

Sócrates

Acesse este link para descobrir a história de Sócrates, importante filósofo grego, mestre de Platão e quem iniciou o Período Antropológico da Filosofia Antiga.

Tales de Mileto

Clique neste link para conhecer um pouco sobre a trajetória de Tales de Mileto, considerado o primeiro filósofo da Grécia Antiga.