Terremoto de Fukushima em 2011

No dia 11 de março de 2011, o terremoto de Fukushima, de nove graus na escala Richter, atingiu a costa nordeste do Japão e trouxe consequências nefastas para o país, sendo taxado de um dos mais trágicos do mundo.

O território japonês está localizado em uma área do planeta apelidada de Círculo de Fogo, devido aos constantes abalos sísmicos que atingem essa região no Pacífico. Essa constância ocorre devido a placas tectônicas convergentes que estão localizadas nessa área: a placa Euroasiática Oriental, a do Pacífico, a Norte-Americana e a das Filipinas.

Esse fato faz com que ocorra inúmeros terremotos e maremotos no Japão, causando danos gravíssimos para a sociedade japonesa, como tsunamis, desabamentos de construções civis, desaparecimento de pessoas e, em casos mais graves, mortes.

Por conta dessas adversidades naturais, o Japão é considerado um país preparado para aguentar esses tremores, isso desde os materiais usados nas construções até o treinamento em escolas para educar a sociedade quando algo assim acontecer.

Leia também: Qual a diferença entre tornado, furacão e tufão?

Principais causas do terremoto de Fukushima

Terremotos ocorrem devido ao atrito entre placas tectônicas convergentes. No caso desse terremoto, o choque entre a placa Eurásia e a placa do Pacífico, há mais de 20 quilômetros de profundidade no oceano Pacífico, fez tremer a ilha de Honshu, principalmente a parte nordeste, onde está Fukushima.

Casa em 2011 arrastada por tsunami em Fukushima, Japão.
Casa em 2011 arrastada por tsunami em Fukushima, Japão.

O epicentro do tremor foi no oceano Pacífico, na costa nordeste do Japão, a uma distância de 130 quilômetros da costa e a 24,4 quilômetros de profundidade. Tremores acima de seis graus na escala Richter que ocorrem nessa profundidade são considerados perigosos para os humanos, pois geram consequências terríveis, uma vez que, até 30 quilômetros, a profundidade é considerada “pequena”.

Esse tremor no Pacífico atingiu nove graus na escala Richter e foi sentido na costa oeste dos Estados Unidos, Indonésia, Filipinas, além de alguns países da América Central e América do Sul, mesmo que de forma menos intensa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como foi o terremoto?

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o tremor ocorreu às 14 h 36 min, horário local (2 h 36 min no horário de Brasília). A partir disso, outros 70 tremores atingiram a região com magnitude superior a 5 graus na escala Richter. Uma tragédia assolava a população japonesa.

Tsunami em Fukushima, Japão.
Tsunami em Fukushima, Japão.

Em Tóquio, capital do país, prédios balançaram, alarmes começaram a soar e houve correria nas ruas. Na época, o governo do Japão pediu que a população se concentrasse no centro do país e evitasse as áreas litorâneas. Ferrovias e aeroportos foram fechados temporariamente.

Estima-se que 19 mil pessoas morreram (ou estão desaparecidas) nesse severo acidente.

Veja também: Qual a diferença entre mar e oceano?

Consequências do terremoto de Fukushima

As consequências diretas e indiretas do tremor no Pacífico e em Fukushima foram preocupantes para os japoneses, com tsunamis já mencionados, mortes e um sério acidente nuclear.

  • Tsunami

Com base nos tremores no Pacífico, tsunamis de 10 a 15 metros atingiram o litoral do Japão, e a cidade de Fukushima foi uma das mais atingidas. A velocidade das ondas gigantes era estimada em 800 km/hora.

Essas ondas adentraram no território e varreram tudo o que viram pela frente: casas, portos, prédios, pontes, estradas, navios, pessoas. Mais de quatro milhões de imóveis ficaram sem energia, gerando um caos social, além das inúmeras vítimas que morreram afogadas.

Barco arrastado para o meio da rua com a força do tsunami. Fukushima, Japão.
Barco arrastado para o meio da rua com a força do tsunami. Fukushima, Japão.
  • Acidente nuclear de Fukushima

A cidade de Fukushima foi uma das mais atingidas pelo tremor do Pacífico devido à proximidade com o epicentro. Esse tremor provocou o desligamento das 11 usinas do complexo de usinas nucleares de Fukushima. Esse procedimento de desligamento é padrão e automático, a fim de evitar possíveis explosões e liberação de radiação.

Após serem desligados, os reatores dessas usinas devem ser resfriados para diminuir o calor e o risco explosivo. Contudo, uma hora depois do tremor, tsunamis atingiram Fukushima e danificaram o sistema de resfriamento. Depois disso, o reator número quatro explodiu três vezes, liberando radiação oito vezes acima do permitido — 100 mil pessoas tiveram de evacuar a área às pressas para amenizar possíveis contaminações.

Água do oceano foi utilizada para tentar resfriar os reatores, mas o acidente já tinha acontecido. Essa água foi contaminada com radiação e teve de ser armazenada em tanques seguros para não comprometer o lençol freático nem os cursos d’água da região.

Usinas após os tsunamis. Fukushima, Japão.
Usinas após os tsunamis. Fukushima, Japão.

Lista de terremotos no Japão

Todos os anos, mais de 1500 abalos sísmicos acontecem no Japão, com maior ou menor intensidade de acordo com a escala Richter. Dessa forma, é quase impossível listar todos eles de forma eficiente, pois muitos não chegam a causar graves danos e não são oficialmente contabilizados.

Contudo, podemos fazer uma lista de cinco graves terremotos que atingiram o território japonês no século passado e neste século, com exceção do que houve em Fukushima, de acordo com o grau na escala Richter e a gravidade das consequências para a população.

  • 1923 – Terremoto de Kanto

Esse terremoto alcançou 7,9 na escala Richter e matou cerca de 142 mil pessoas. Ele atingiu a ilha de Honshu, em especial a capital japonesa, Tóquio, e a região de Kanto no dia 1º de setembro de 1923. Foi uma tragédia tão marcante que a data foi escolhida nacionalmente para simbolizar o Dia de Prevenção de Acidentes.

  • 1946 – Terremoto de Nankaido

Com magnitude de 8,1 na escala Richter e aproximadamente 1300 mortos, esse terremoto aconteceu em Nankaido, no dia 20 de dezembro de 1946. Destruição, mortes e tsunamis de até seis metros de altura foram algumas das suas consequências.

  • 1968 – Terremoto de Aomori

Em maio de 1968, um terremoto de 8,2 na escala Richter atingiu a costa leste de Honshu. Esse tremor gerou tsunamis, deixando muita destruição e cerca de 50 mortos.

  • 2007 – Terremoto de Ishikawa

No dia 25 de março de 2007, um terremoto de 6,9 na escala Richter atingiu a província de Ishikawa. Em termos de vidas humanas, seu estrago foi pequeno. Apenas uma pessoa morreu. Entretanto, as construções japonesas foram afetadas significativamente, e 44 prédios desabaram.

  • 2008 – Terremoto em Sendai

Em junho de 2008, um terremoto de magnitude 7,2 na escala Richter atingiu Sendai, costa nordeste da ilha Honshu. Ao menos 13 mortos e 150 desaparecidos foram algumas das consequências do abalo sísmico.

Resumo sobre o terremoto de Fukushima

  • 11 de março de 2011: um abalo sísmico atingiu a costa nordeste do Japão, no oceano Pacífico, há 130 quilômetros de distância e 24 quilômetros de profundidade.

  • Tremor foi sentido em todo o território japonês, porém com mais intensidade na cidade de Fukushima, uma das mais atingidas.

  • Como consequência direta, o tremor gerou tsunamis de 10 a 15 metros de altura e que chegaram a 800 km/hora.

  • As ondas gigantes foram varrendo tudo que viam pela frente, deixando um rastro de destruição e letalidade.

  • A usina nuclear de Fukushima foi atingida por uma dessas ondas gigantes e o sistema de resfriamento dos reatores foi danificado, liberando radiação.

  • Cerca de 100 mil pessoas tiveram de deixar suas casas devido aos tsunamis e à radiação.

  • O governo japonês estima em 19 mil o número de vítimas (mortas ou desaparecidas). 

Por: Átila Matias

Artigos relacionados

Acidente de Chernobyl

Clique e veja o que foi o acidente de Chernobyl. Entenda quando e como esse acidente nuclear aconteceu e quais foram as suas consequências.

Deriva Continental

Deriva Continental, O que é Deriva Continental, Quem desenvolveu a Teoria da Deriva Continental, Quando surgiu a Teoria da Deriva Continental, As evidências para elaboração da Teoria da Deriva Continental.

Japão

As principais características físicas e humanas do Japão, país que possui a terceira maior economia do mundo.

Maremoto

Aprenda mais sobre o fenômeno conhecido como maremoto, que nada mais é do que um abalo sísmico no solo oceânico que provoca a agitação das águas, as quais se propagam no sentido do litoral. Descubra também como se formam as ondas gigantes, qual é a sua dimensão e como elas podem tornar-se destrutivas.

Oceanos

Saiba mais sobre os cinco oceanos terrestres. Entenda o processo de formação dos oceanos, as suas principais características e a sua importância socioambiental.

Placas tectônicas

Entenda as placas tectônicas. Saiba como elas se movimentam e a consequência desses movimentos. Conheça as principais placas tectônicas do mundo.

Terremotos

Saiba mais sobre as causas dos terremotos, as suas diferentes intensidades e consequências.

Terremotos no Brasil

Saiba mais sobre a possibilidade de ocorrência de terremotos no Brasil!

Terremotos no Chile

Os terremotos no Chile recentemente registrados provocaram graves tragédias. Entenda por que o país sofre tanto com esse problema.

Tsunami

Descubra o que é um tsunami, seus principais aspectos e quais são as suas causas.

Tóquio

Amplie seus conhecimentos sobre Tóquio, maior metrópole do mundo. Saiba mais sobre sua geografia e economia, bem como conheça pontos turísticos da capital japonesa.

Vulcões

O conceito, as características e alguns exemplos de vulcões pelo mundo.