Fies

Criado em 1999 pelo Ministério da Educação (MEC), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) tem como objetivo ajudar estudantes a financiarem cursos de graduação em instituições de ensino particulares. 

Para se inscrever no Fies, o candidato precisa ter feito alguma das edições do Enem a partir de 2010 e ter obtido média igual ou superior a 400 pontos. Também se exige que o inscrito tenha nota acima de zero na redação do Enem. 

Professores da rede pública matriculados em cursos de licenciatura, Pedagogia ou Normal Superior estarão dispensados do Enem.

Outro requisito para participar do Fies é ter renda familiar mensal de até três salários mínimos por pessoa (per capita).

Como se inscrever no Fies

Por ano, são realizados dois processos seletivos do Fies: o primeiro ocorre em fevereiro, para ingresso no primeiro semestre; o segundo em julho, para ingresso no segundo semestre. Os interessados precisam se inscrever no site fies.mec.gov.br

No momento do cadastro, os candidatos devem escolher o curso, o Instituto de Ensino Superior (IES), o turno e a cidade de oferta. Segundo as regras do Fies, depois de definir a primeira opção de curso, o inscrito poderá indicar, em ordem de prioridade, até três opções de curso/IES/turno e local.

Depois que o estudante terminar de preencher os dados em questão, o sistema analisa as informações e verifica se o estudante está apto a usar o Fies.

O que fazer depois do resultado

Com base no desempenho do Enem, o sistema libera o resultado cerca de dez dias depois do prazo de inscrições. Assim que sai a lista, os pré-selecionados devem completar as informações exigidas no sistema do Fies.

Em seguida, no período de cinco dias, os candidatos precisam procurar a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da faculdade para apresentar o restante da documentação exigida. 

A CPSA tem até dois dias para emitir o Documento de Regularidade de Inscrição (DRI). Com este documento em mãos, o estudante precisa ir ao banco para formalizar o contrato de financiamento em dez dias no máximo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Quem não é pré-selecionado na chamada regular pode manifestar interesse na lista de espera. Os candidatos precisam acompanhar o resultado no site do Fies. 

Cursos prioritários

O MEC determina que os cursos oferecidos pelo Fies sigam a seguinte ordem de prioridade: 

  • Cursos da área de Saúde;
  • Cursos da área de Engenharia;
  • Cursos da área de Computação;
  • Carreiras de licenciaturas, como, por exemplo, Pedagogia, Letras e Normal Superior.

O Fies tem como prioridade oferecer mais vagas em Mesorregiões com menor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), como as regiões Norte e Nordeste do Brasil. 

O número de vagas oferecidas no Fies muda a cada processo seletivo. No primeiro semestre de 2020, por exemplo, foram disponibilizadas 70 mil oportunidades. 

A porcentagem de vagas oferecidas no Fies varia conforme o desempenho que o curso tem em determinada instituição de ensino. Essa nota é definida pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

Os cursos mais bem avaliados, com nota 5, têm maior prioridade para financiamento do Fies. Confira as porcentagens:

  • Conceito 5: 35% das vagas
  • Conceito 4: 30% das vagas
  • Conceito 3: 25% das vagas
  • Cursos recém-autorizados: 10% das vagas

Pagamento do Fies

Segundo as regras do Fies, enquanto está cursando a faculdade, o estudante precisa pagar o seguro de vida obrigatório e os juros do financiamento. No primeiro mês após concluir o curso, o jovem já deve começar a pagar as parcelas do saldo devedor. 

Quando a pessoa beneficiada pelo Fies tem emprego, o pagamento é retido direto do contracheque. Caso o estudante não tenha emprego quando concluir o curso, deverá pagar o valor mínimo definido pelo regulamento do Fies. 

A estimativa do MEC é que o pagamento do Fies seja feito em até 14 anos. 

Para mais informações, acesse o regulamento do Fies.

Por: Silvia Tancredi