Romantismo no Brasil

Ao nos referirmos ao termo “Romantismo”, é sempre viável compreendermos que ele representa uma das muitas estéticas literárias, também denominadas de estilos de época. Assim sendo, vale ainda mencionar que todos os estilos de época são resultantes das produções artísticas inerentes a uma leva de figuras que tão bem representaram o cenário, não somente o brasileiro, mas também o europeu.

Tais produções são fruto da maneira pela qual cada um de seus autores observava a realidade que o cercava. Portanto, torna-se inegável ressaltar que foram amplamente influenciados por fatores históricos, sociais e políticos, reinantes na época em que viveram. Contudo, como se tratava de uma representação do real, mesmo em se tratando de uma posição “coletiva” (no que se refere à posição ideológica), cada um procurava manifestar-se de forma única e magnífica, realizando assim um trabalho incontestável, no qual o poder da palavra possuía grande expressividade.

Em virtude da influência já retratada, as composições artísticas constituíam-se de características específicas, ora reveladas como forma de o artista demonstrar seu posicionamento frente aos fatos. Dessa forma, antes de ressaltarmos, de forma específica, acerca do Romantismo brasileiro, analisemos como elas se manifestavam, sob um plano mais generalizado:

* Religiosidade – Tal característica foi amplamente disseminada, haja vista que o artista, vivendo em meio a tantas angústias e incertezas, voltava-se para o plano espiritual no intuito de encontrar algo concebido como perfeito. Dessa forma, a valorização espiritual, a religiosidade cristã e o gosto pelo sobrenatural exerceram sua palavra de ordem.

* A figura do herói – Digamos que o herói romântico vive em conflito com a sociedade opressora, tornando-se alvo de inúmeros questionamentos mediante os fatos por ela evidenciados. Para tanto, sua atitude oscila entre um ser ora marginalizado, desregrado, ora dotado de virtudes, justamente como forma de rebelar-se contra tal realidade. Esse herói muitas vezes é representado por figuras históricas ou por figuras idealizadas em virtude de seus próprios feitos, como, por exemplo, o cavaleiro medieval.

*O mal do século – Tal termo designa-se como um estado de espírito bastante depressivo, levando o ser humano ao tédio, à melancolia, ao pessimismo e ao desejo de morrer, também como forma de “protesto”. Em razão disso, muitos dos representantes optavam por lugares sombrios, úmidos, sempre envoltos por um estado de total morbidez.

*Escapismo e nacionalismo – Uma das atitudes dos românticos era expressa pela fuga da realidade, algo que tanto os oprimia. Dessa forma, ela manifestava-se de maneiras distintas, tais como o sonho, os devaneios, a loucura, a imaginação exaustiva, o apego pela morte e o passado histórico. Este último resultou na formação do nacionalismo, que nada mais era que a exaltação da nação, levando-se em conta suas raízes, seus traços populares e suas crenças. Também relacionados a esse aspecto, vale mencionar acerca do passado individual, em que os românticos se voltavam para sua infância – algo considerado diferente do mundo real, uma vez considerada com sinônimo de pureza, bondade, amor e inocência.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

*Liberdade de criação – Tal característica representava nada mais nada menos que uma atitude de rebeldia contra qualquer tipo de imposição direcionada à criação artística. Precisavam ser autônomos para decidirem suas opções no que se referisse à forma e à temática.

*A natureza como expressão do “eu” – A estética romântica valorizava as emoções e o estado de alma do artista. Em virtude desse aspecto, a natureza funcionava como “pano de fundo”, ou seja, ela compartilhava com o sofrimento e com os devaneios revelados pelo artista.   

*Idealização do amor – O amor revela a temática central do Romantismo. Assim, os personagens e o anunciador (narrador) vivem em torno de tal sentimento, pois acreditam que ele funciona como uma espécie de regeneração do caráter, proporcionando ao indivíduo a possibilidade de regenerá-lo. Com isso, a perda do objeto amado ou a não correspondência amorosa resultam em tão somente a perda de sentido da própria vida. 

*A figura feminina, ora concebida como uma figura angelical, ora como uma figura demoníaca – Esta última se caracterizava como alguém que exercia um poder de tentação muito grande no artista, despertando nele um intenso amor; e aquela, vista como alguém pura e angelical, dotada de características semelhantes às divinais.

Exaltadas todas as características que nortearam a era em questão, partamos rumo ao conhecimento da maneira pela qual ela se deu aqui em solo brasileiro. Podemos dizer que a Independência do Brasil exerceu um fator de forte influência. Desta feita, como tal evento representava um plano de construção da própria identidade, os escritores apostaram na plena exaltação do sentimento nacionalista. Assim, as raízes culturais, sobretudo a figura indígena, revelou sua marca dominante. Baseados na teoria do “Bom Selvagem”, sob a autoria de Rousseau, os escritores demonstraram-se bastante adeptos às ideias por ele proferidas.

Dessa forma, deu-se início a uma nova era, manifestada pela publicação de “Suspiros poéticos e saudades”, de Gonçalves de Magalhães, em 1836, seguindo assim por um grupo de escritores os quais colaboraram para que o Romantismo fosse assim subdividido:


Na poesia, constituída pela primeira, segunda e terceira geração.

Primeira geração – Manifestações envoltas pelo sentimento nacionalista, a qual teve Gonçalves Dias como representante principal.

Segunda geração – Criações ultrarromânticas, reveladas por um sentimentalismo exacerbado e por um completo instinto pessimista, tendo como principal representante Álvares de Azevedo.

Terceira geração – Demarcada agora pelo desejo de mudança das causas sociais, retratando a realidade tal como ela se representa. Como precursor, ressaltamos a figura de Castro Alves.

Na prosa destacamos Joaquim Manuel de Macedo (1820-1882), José de Alencar (1829-1877) e Manuel Antônio de Almeida (1831-1861).

 


Aproveite para conferir as nossas videoaulas relacionadas ao assunto:

José de Alencar - Um dos representantes românticos

José de Alencar - Um dos representantes românticos

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos relacionados

Barroco Brasileiro

O Barroco foi um divisor de águas para a Literatura brasileira. Entenda sua importância para nossa história literária clicando aqui!

Arcadismo

Atenha-se às características que tanto nortearam a era em questão.

Realismo

Atenha-se ao contexto histórico-social que tanto demarcou a estética em questão!

Semana de Arte Moderna

Conheça um pouco mais sobre a história da Semana de Arte Moderna de 1922.

Parnasianismo

Você sabia que o Parnasianismo foi um estilo literário que se opôs ao Romantismo?

Gêneros literários

Conheça-os, estabelecendo familiaridade com suas principais características!

Pré-Modernismo

Período demarcado por significativas transformações políticas. Conheça-o!

O Arcadismo no Brasil

Conheça acerca do ideário que tanto norteou este movimento, também conhecido como Escola Mineira!

Simbolismo - características marcantes

Atenha-se aos seus principais traços!

As três fases do Romantismo brasileiro

Clique aqui e conheça mais sobre as gerações do romantismo brasileiro!

Oswald de Andrade

Conheça a biografia de Oswald de Andrade, importante autor modernista do Brasil. Veja quais obras ele escreveu, e leia alguns de seus mais significativos poemas.

Verso e estrofe - noções conceituais

“Mergulhe” no universo literário e descubra todos os encantos que ele tem a nos proporcionar!

A intertextualidade presente na arte literária

Aprimore seus conhecimentos em relação a esse fato!

Autor X Narrador

Autor x narrador se trata de uma relação em que há diferença entre ambos.

Foco narrativo

O foco narrativo se revela como a perspectiva por meio da qual o narrador revela os acontecimentos.

Casimiro de Abreu

Casimiro de Abreu foi um dos representantes da Segunda Geração do Romantismo.

Castro Alves

Saiba quem é Castro Alves, o grande nome da terceira geração romântica. Conheça o contexto histórico de suas obras e entenda as características literárias do autor.

Cruz e Souza

Cruz e Souza, com suas obras Missal e Broquéis, foi considerado o introdutor do Simbolismo no Brasil.

Gonçalves Dias

A primeira fase do Romantismo brasileiro teve como um de seus principais artistas Gonçalves Dias. Atenha-se à carreira artística desse nobre poeta em apenas um clique!

O Romantismo brasileiro no estilo prosaico

O Romantismo brasileiro, retratado na categoria prosaica, manifestou-se sob algumas vertentes específicas: urbana, regionalista e indianista. Confira muito mais, aqui!

Machado de Assis

O bruxo do Cosme Velho: Clique e saiba mais sobre a vida e a obra de Machado de Assis, representante maior da Literatura brasileira.

Segunda geração do Romantismo no Brasil

Conheça a segunda geração do Romantismo e saiba quais eram as características e autores que representaram esse movimento literário.

Primeira geração do Romantismo no Brasil

Conheça a primeira geração do Romantismo no Brasil e saiba quais eram as características e autores que representaram esse movimento literário nessa fase.

Naturalismo

Aprenda o que é o naturalismo. Entenda o contexto histórico e as principais características desse estilo. Saiba quais são as diferenças entre realismo e naturalismo.