Verso e estrofe - noções conceituais

Elementos básicos que compõem a linguagem literária
Elementos básicos que compõem a linguagem literária

Ao nos depararmos com ambos os elementos (verso e estrofe), logo os contextualizamos no universo literário, mais precisamente nos textos em que predominam a linguagem subjetiva. Obviamente que estamos nos referindo aos poemas que, via de regra, distinguem-se dos demais, escritos de forma épica – compostos de linhas contínuas e organizadas numa sequência lógica, em que a objetividade é fator preponderante.

Por assim dizer, analisemos, pois, um caso representativo:

Soneto da separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

                                             Vinícius de Moraes


Desse modo, infere-se que a forma como os poemas são dispostos representa apenas umas das características desse gênero, uma vez que suas peculiaridades vão muito além dessa mera disposição. Neles percebe-se todo um trabalho com a linguagem, ora manifestado pela escolha e combinação das palavras em que prevalecem alguns aspectos dignos de nota, tais como:

* A exploração da sonoridade, na qual se constata a habilidade do emissor ao utilizar alguns recursos, tais como as rimas, repetição de sons e o ritmo em uma cadência especial. De tal modo, a título de constatação, não só evidenciaremos acerca do conceito de estrofe, mas também do conceito de verso, utilizando-nos destes para exemplificar tais postulados. Vejamos:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

Notamos que se trata de algumas linhas poéticas que formam um conjunto delas. Assim, cada linha é denominada de verso e, quando reunidas, formam o que chamamos de estrofe. Portanto, uma estrofe nada mais é do que um conjunto de versos. Em se tratando dos recursos linguísticos, ora mencionados, notamos a presença das rimas (pranto/espanto e bruma/espuma), materializadas pela semelhança sonora existente no final dos vocábulos.


* Emprego da subjetividade, manifestada pela expressão do “eu” lírico, que imerge no seu mundo interior e revela seus sentimentos, desejos e suas emoções.

* Utilização de imagens, sobretudo pelo predomínio do uso de metáforas e comparações, que representam as figuras de linguagem e, consequentemente, manifestam os recursos estilísticos utilizados.

* Uso da polissemia, a qual retrata literalmente a linguagem figurada, uma vez que permite múltiplas interpretações por parte do interlocutor, ao se deleitar mediante os encantos que a linguagem poética propicia.

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto:

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos relacionados

A geração de 1945

A geração de 1945, ao contrário da geração de 1930, foi demarcada pela preocupação com a forma propriamente dita. Conheça aqui as características que a demarcaram!

Arcadismo

Atenha-se às características que tanto nortearam a era em questão.

As três fases do Romantismo brasileiro

Clique aqui e conheça mais sobre as gerações do romantismo brasileiro!

Classificações das rimas pela escolha das palavras

A escolha das palavras faz com que as rimas adquiram as seguintes classificações: rimas pobres, ricas e raras. Clique e confira muito mais acerca desse assunto!

Gonçalves Dias

A primeira fase do Romantismo brasileiro teve como um de seus principais artistas Gonçalves Dias. Atenha-se à carreira artística desse nobre poeta em apenas um clique!

João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Meto Neto é considerado o poeta engenheiro, que, como tal, coloca palavra sobre palavra. Conheça aqui um pouco mais de sua trajetória artística.

Manuel Bandeira

Em apenas um clique, conheça quem foi um dos maiores representantes da fase modernista, Manuel Bandeira.

Metalinguagem na poesia

A procura da poesia: Saiba mais sobre a metalinguagem presente em cinco poemas da língua portuguesa!

Modalidades de rimas segundo o tipo de som

Segundo o tipo de som utilizado, as rimas apresentam modalidades distintas. Confira-as aqui!

O Arcadismo no Brasil

Conheça acerca do ideário que tanto norteou este movimento, também conhecido como Escola Mineira!

O eu poético e o autor

O eu poético e o autor são elementos diferentes, portanto não podem ser confundidos.

Oswald de Andrade

Conheça a biografia de Oswald de Andrade, importante autor modernista do Brasil. Veja quais obras ele escreveu, e leia alguns de seus mais significativos poemas.

Parnasianismo

Você sabia que o Parnasianismo foi um estilo literário que se opôs ao Romantismo?

Poema, poesia e soneto

Você sabe quais são as diferenças entre poema, poesia e soneto? Clique e saiba mais!

Romantismo

Conheça as características do Romantismo. Entenda o seu contexto histórico e saiba quais são as principais obras do Romantismo brasileiro e português.

Simbolismo - características marcantes

Atenha-se aos seus principais traços!

Trovadorismo

Amplie ainda mais os seus conhecimentos acerca da arte literária, compreendendo as características do Trovadorismo, por meio de um clique, somente.

Álvares de Azevedo

Álvares de Azevedo se destacou como um dos principais autores da segunda geração do Romantismo, por ser dotado de uma personalidade poética multifacetada. Conheça aqui sua trajetória artística!