Análise combinatória no Enem

Análise combinatória é um conteúdo bastante recorrente no Enem, que costuma cobrar desde o princípio multiplicativo, conhecido também como princípio fundamental da contagem, até os agrupamentos (permutação, combinação e arranjo). A análise combinatória é a área da Matemática que tem como objetivo contar o número de reagrupamentos possíveis para determinadas situações. É bastante comum ver aplicações desse tema no nosso dia a dia, como em jogos de loteria ou no estudo das probabilidades, genética, entre outras aplicações.

Leia também: Temas de Matemática que mais caem no Enem

Análise combinatória é a área da Matemática que analisa as combinações possíveis.
Análise combinatória é a área da Matemática que analisa as combinações possíveis.

Como a análise combinatória é cobrada no Enem?

A análise combinatória é um conteúdo bastante recorrente na prova do Enem. Em todos os anos, desde 2009, aparece pelo menos uma questão que pede algum dos tipos de agrupamentos ou a aplicação do princípio fundamental da contagem.

O interessante das questões que envolvem esse assunto é que, na grande maioria delas, é exigida boa interpretação do candidato. A dificuldade em resolvê-las, na maioria das vezes, está ligada mais à interpretação do problema do que ao cálculo da quantidade de agrupamentos em si. Então, para se dar bem, é importante não só que o candidato domine a conta, que é basicamente simples, mas que ele consiga aplicá-la em situações-problemas bem elaboradas. A análise combinatória exige muita atenção para os enunciados das questões e saber interpretá-las.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

No Enem é comum que, além do princípio fundamental, apareçam questões envolvendo os agrupamentos, sendo os mais recorrentes a combinação e o arranjo. Compreender a diferença entre os dois é fundamental para acertar as questões e também é necessário conhecer as fórmulas de ambos.

Muitas questões do Enem só pedem para você indicar na fórmula como seria calculada a combinação ou o arranjo. Quase sempre não é necessário calcular o valor do agrupamento em si, mas apenas indicá-lo substituindo os valores na fórmula.

Então, em resumo, para se preparar bem para as questões de análise combinatória do Enem, busque:

  • treinar resolvendo as questões sobre o tema dos anos anteriores para desenvolver sua interpretação de texto;
  • aprender a diferença entre os tipos de agrupamentos;
  • conhecer as fórmulas de cada um dos agrupamentos;
  • saber analisar as alternativas, pois quase sempre não é necessário realizar o cálculo da combinação ou do arranjo em si.

Veja também: Dicas de Matemática para o Enem

O que é análise combinatória?

Análise combinatória é a área da Matemática que auxilia na contagem e na análise de todos os reagrupamentos possíveis dentro de um conjunto de elementos. Nessa área, são utilizadas  ferramentas para a resolução de diferentes situações que envolvem agrupamentos, surgindo o princípio fundamental da contagem, conhecido também como princípio multiplicativo.

O princípio fundamental da contagem afirma que, se duas ou mais decisões serão tomadas simultaneamente, então a quantidade de maneiras distintas que essas decisões poderão ser tomadas pode ser calculada pelo produto entre a quantidade de possibilidades de cada uma delas, ou seja, se se existem n decisões a serem tomadas {d1, d2, d3 d4 … dn} e cada uma delas pode ser tomada de {m1, m2, m3, m4, … mn} maneiras, então o número de maneiras que essas decisões poder ser tomadas simultaneamente é calculado por:  m1· m2· m3· m4· …·mn.

Utilizando o princípio fundamental da contagem, são desenvolvidos outros conceitos importantes na análise combinatória, como a permutação. Conhecemos como permutação todas os conjuntos ordenados que podemos formar com todos os elementos de um conjunto. Para calcular a permutação, utilizamos a fórmula:

Pn = n!

Vale dizer que n! (lê-se n fatorial) é a multiplicação de n por todos os seus antecessores.

Outros dois agrupamentos são as combinações e os arranjos. Ambos possuem fórmulas específicas desenvolvidas a partir do princípio fundamental da contagem. Arranjo é a quantidade de agrupamentos ordenados que podemos montar com p elementos de um conjunto que possui n elementos e é calculado por:

A combinação é a quantidade de subconjuntos possíveis que podemos montar com p elementos de um conjunto de n elementos. É muito importante diferenciar arranjo de combinação, pois, no arranjo, a ordem é importante, mas, na combinação, não. Para calcular a combinação, utilizamos a fórmula:

Questões sobre análise combinatória no Enem

Questão 1 – (Enem 2012) O diretor de uma escola convidou os 280 alunos de terceiro ano a participarem de uma brincadeira. Suponha que existem 5 objetos e 6 personagens numa casa de 9 cômodos; um dos personagens esconde um dos objetos em um dos cômodos da casa. O objetivo da brincadeira é adivinhar qual objeto foi escondido por qual personagem e em qual cômodo da casa o objeto foi escondido.

Todos os alunos decidiram participar. A cada vez um aluno é sorteado e dá a sua resposta. As respostas devem ser sempre distintas das anteriores, e um mesmo aluno não pode ser sorteado mais de uma vez. Se a resposta do aluno estiver correta, ele é declarado vencedor e a brincadeira é encerrada.

O diretor sabe que algum aluno acertará a resposta porque há:

A) 10 alunos a mais do que possíveis respostas distintas.
B) 20 alunos a mais do que possíveis respostas distintas.
C) 119 alunos a mais do que possíveis respostas distintas.
D) 260 alunos a mais do que possíveis respostas distintas.
E) 270 alunos a mais do que possíveis respostas distintas.

Resolução

Alternativa A.

Pelo princípio multiplicativo, basta encontrar o produto das decisões a serem tomadas:

  • 5 objetos;
  • 6 personagens;
  • 9 cômodos;

5· 6 · 9 = 270

Como há 280 alunos, então 280 – 270 = 10 → Há 10 alunos a mais do que as possíveis respostas distintas.

Questão 2 – (Enem 2016) O tênis é um esporte em que a estratégia de jogo a ser adotada depende, dentre outros fatores, de o adversário ser canhoto ou destro.

Um clube tem um grupo de 10 tenistas, sendo que 4 são canhotos e 6 são destros. O técnico do clube deseja realizar uma partida de exibição entre dois desses jogadores, porém não poderão ser ambos canhotos. Qual o número de possibilidades de escolha dos tenistas para a partida de exibição?

Resolução

Alternativa A.

Antes de qualquer coisa, sempre precisamos compreender se estamos lidando com combinação ou arranjo. Note que, nesse caso, a ordem não é importante, pois a partida entre os jogadores A e B seria a mesma caso fosse entre os jogadores B e A. Como a ordem não importa, estamos trabalhando com uma combinação.

Queremos indicar como seria calculado o total de partidas em que ambos os jogadores não fossem canhotos. Para isso calcularemos a diferença entre o total de partidas possíveis e o total de partidas realizadas entre dois canhotos.

Como há 10 jogadores e serão escolhidos 2, então é uma combinação de 10 elementos tomados de 2 em 2, ou seja, C10,2 partidas possíveis.

Já a quantidade de partidas em que os dois jogadores são canhotos — como há 4 canhotos e vamos escolher 2 — é calculada por C4,2.

Calculando a diferença, temos:

Note que não é necessário realizar os cálculos das combinações, pois já encontramos a alternativa correspondente.

Por: Raul Rodrigues de Oliveira

Artigos relacionados

3 macetes de Matemática para o Enem

Conheça três macetes de Matemática que te ajudarão na resolução das questões do Enem, facilitando e agilizando seus cálculos.

Arranjo simples

Conheça o que é o arranjo simples e a sua diferença com relação à combinação simples. Veja também como calcular a quantidade de agrupamentos pela fórmula do arranjo.

Combinação com repetição

Aprenda o que é a combinação com repetição ou combinação completa, além de conferir exercícios resolvidos sobre o assunto.

Dicas de Matemática para o Enem

Clique aqui e confira algumas dicas importantes sobre a prova de Matemática do Enem e que podem te ajudar a chegar mais perto de um bom resultado.

Estatística no Enem

Entenda como o conteúdo de estatística é cobrado no Enem. Veja análise de questões sobre o tema. Estude os tópicos mais importantes de estatística para o Enem.

Fatorial

Entenda o que é o fatorial de um número. Aprenda como calcular o fatorial de um número. Conheça a relação entre o fatorial de um número e a análise combinatória.

Funções no Enem

Veja como o conteúdo de funções costuma ser cobrado no Enem. Observe a resolução de questões de provas anteriores sobre o tema e se prepare melhor para o exame.

Princípio fundamental da contagem

Entenda o que é o princípio fundamental da contagem e aprenda a utilizá-lo para resolver situações envolvendo contagem na área da análise combinatória.

Probabilidade no Enem

Entenda o que é probabilidade. Veja como esse conteúdo é cobrado na prova do Enem. Conheça as características em comum que existem nas questões de probabilidade.

Temas de matemática que mais caem no Enem

Clique aqui e conheça quais são os temas que mais caem na prova de matemática do Enem. Veja também quais são os conteúdos que merecem uma maior dedicação!

Três erros comuns na regra de três

Clique para ver os três erros mais comuns cometidos na regra de três e a maneira de resolver exercícios sem cometer esses deslizes.