Amazonas

O Amazonas é um estado localizado na porção norte do Brasil. A sua ocupação foi iniciada por meio da exploração dos recursos naturais locais por diferentes povos colonizadores. Os portugueses se instalaram na região por meio de acordos políticos e explorações geográficas.

O estado possui uma vegetação densa e formada por florestas equatoriais, notadamente a Floresta Amazônica, maior formação de floresta do globo. A região guarda ainda muitas riquezas minerais e biológicas. A economia amazonense está baseada no setor primário, por meio da exploração de recursos como madeira e castanhas. Há ainda a Zona Franca de Manaus, um importante centro industrial brasileiro localizado na capital do estado. A cidade de Manaus é uma das maiores cidades em população do Brasil.

A população do Amazonas é formada, em grande parte, por descendentes de povos indígenas da região. O estado é governado por um regime de divisão de poderes, sendo o principal centro político e econômico do norte brasileiro. A infraestrutura local é marcada pela adaptação às variáveis geográficas locais, como a extensa rede hidrográfica. O Amazonas possui uma cultura muito diversa, com base em tradição indígenas, como o Festival Folclórico de Parintins.

Leia também: Estados do Brasil – territórios autônomos que possuem governos próprios

Dados gerais do Amazonas

  • Região: Norte.
  • Capital: Manaus.
  • Área territorial: 1.559.167 km² (IBGE, 2019).
  • População: 4.207.714 habitantes (IBGE, 2020).
  • Densidade demográfica: 2,23 hab./km² (IBGE, 2010).
  • Fuso: UTC-4.
  • Clima: equatorial.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

História do Amazonas

A ocupação tardia do território amazonense ocorreu em razão de questões políticas e geográficas. A região oeste do Brasil, por meio de acordo entre portugueses e espanhóis, estava destinada à exploração da Espanha. Porém, essa ocupação de fato nunca ocorreu, e trechos do atual território do Amazonas chegaram a ser ocupados por holandeses, franceses e ingleses, que extraíam das áreas de floresta elementos como madeira, peixes e frutas.

A ocupação da região por forças estrangeiras era motivo de preocupação por parte de Portugal, que vinha expandindo a ocupação do território brasileiro e temia perdas territoriais nas novas áreas colonizadas. O isolamento da região, marcada por uma floresta equatorial densa, com grandes rios e espécies exóticas, também era um elemento de dificuldade na ocupação territorial. Sendo assim, Portugal, por meio de expedições de exploração e de acordos diplomáticos com os espanhóis, alcançou a ocupação da região amazônica, tendo como base o atual estado do Pará, que já pertencia aos portugueses. Em 1755, finalmente foi criada a Capitania de São José do Rio Negro.

Desde então, por meio dos processos políticos vivenciados pelo Brasil, o território do estado do Amazonas já foi integrado algumas vezes ao estado do Pará e também já foi dividido em outros estados, como Rondônia e Roraima.

O ciclo da borracha e, mais recentemente, o processo de industrialização do estado culminaram na importância econômica e política do estado na região amazônica, posto antes ocupado unicamente pelo Pará. Além disso, o estado do Amazonas possui uma grande importância ambiental, por situar grande parte da Floresta Amazônica.

Geografia do Amazonas

O estado do Amazonas é o maior em extensão territorial do Brasil. Está localizado na Região Norte brasileira. O Amazonas faz fronteira com os países Venezuela, Colômbia e Peru. Faz limite com os estados de:

O relevo do território amazonense é predominantemente plano, com altitudes menores de 100 metros, sendo a exceção a região norte do estado, onde está localizado o ponto mais alto do Brasil, o Pico da Neblina, na Serra do Imeri, com 2.994 metros de altitude.

A hidrografia do estado é marcada pela presença de rios caudalosos e pela maior bacia hidrográfica do mundo: a Bacia Amazônica. Os rios principais do estado são: Amazonas, Negro, Japurá, Juruá, Madeira e Purus.

O clima do Amazonas é o equatorial, marcado pelas altas temperaturas, elevada umidade e grande volume de chuvas. Já a vegetação é composta pela Floresta Amazônica, unidade vegetacional equatorial com grande biodiversidade de espécies.

Veja também: Queimadas na Amazônia – prática associada ao agronegócio

Mapa do Amazonas

Divisão geográfica do Amazonas

O Amazonas possui 62 municípios, divididos em regiões intermediárias e imediatas. Essa divisão foi atualizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano de 2017. O estado  possui 4 regiões geográficas intermediárias e 11 regiões geográficas imediatas. São elas:

Regiões geográficas intermediárias

Regiões geográficas imediatas

Manaus

Manaus

São Gabriel da Cachoeira

Coari

Manacapuru

Tefé

Tefé

Tabatinga

Eirunepé

Lábrea

Lábrea

Manicoré

Parintins

Parintins

Itacoatiara

Demografia do Amazonas

O estado do Amazonas possui pouco mais de 4 milhões de habitantes e uma das mais baixas taxas de densidade demográfica do Brasil. A maior parte da população local está concentrada na capital estadual, a cidade de Manaus, centro que possui cerca de 2 milhões de habitantes, ou seja, metade da população do estado. As cidades de Parintins e Itacoatiara são outros centros demográficos importantes, com cerca de 100 mil habitantes. A população amazonense possui forte descendência indígena, e o estado abriga o maior número de indígenas do Brasil. O estado recebeu ainda muitos imigrantes nordestinos e também da região do Meio-Norte brasileiro.

A capital do Amazonas, Manaus, é uma das principais cidades brasileiras e concentra mais da metade da população do estado.
A capital do Amazonas, Manaus, é uma das principais cidades brasileiras e concentra mais da metade da população do estado.

Economia do Amazonas

A economia amazonense está alicerçada na exploração de produtos provenientes da Floresta Amazônica. Dessa maneira, destacam-se a borracha, a castanha-do-pará e a madeira como os principais produtos primários do estado. Esse setor é composto ainda pela extração de petróleo, gás natural, ferro e manganês, além da exploração de outros produtos vegetais, como juta, guaraná e açaí. Na pecuária, predomina a criação extensiva de gado bovino.

Por sua vez, o setor secundário também ocupa protagonismo na economia amazonense, em razão da Zona Franca de Manaus, distrito industrial criado em 1967 que oferece vários incentivos fiscais para a instalação de empresas. A Zona Franca de Manaus é um dos principais centros industriais do Brasil, sendo responsável por parte importante da geração de emprego e renda na região da capital amazonense. Além disso, grande parte da produção local é exportada para outros países.

Já o setor terciário está atrelado às atividades comerciais, principalmente nas cidades localizadas nas margens dos rios da região. O turismo ecológico e de aventura tem grande potencial, mas ainda é pouco explorado em âmbito estadual.

Governo do Amazonas

A forma de governo do estado é constituída pelos Três Poderes. Dessa maneira, há o Executivo, representado pelo governador e sua equipe, e também o Judiciário, composto pelas unidades de Justiça do estado. Há ainda o Poder Legislativo, que, no caso do Amazonas, é formado por 24 deputados estaduais, 8 deputados federais e 3 senadores.

Bandeira do Amazonas

Infraestrutura do Amazonas

O estado do Amazonas possui uma complexidade na sua infraestrutura ligada às questões geográficas. A região é composta por uma floresta densa, com rios caudalosos, e muitos núcleos urbanos estão dispostos distantes uns dos outros. Dessa maneira, dificulta-se a implementação de uma infraestrutura básica, seja de transporte e logística, seja de serviços, como água e esgoto.

A maior parte do transporte estadual é realizada por via aérea ou fluvial. Os rios amazônicos têm um papel primordial nos transportes de mercadorias e pessoas. Há vários portos fluviais distribuídos pelo estado, assim como aeroportos de médio e pequeno porte, e uma pequena rede de estradas. Da mesma maneira, as redes de energia e alimentação se adaptam às realidades geográficas do estado. Os serviços públicos, como saúde, educação e segurança, são descentralizados e possuem uma ampla área de abrangência, com destaque para as escolas indígenas e também para a adaptação de barcos como unidades de saúde e educação. 

Cultura do Amazonas

O Festival Folclórico de Parintins é a principal manifestação cultural do povo amazonense. [1]
O Festival Folclórico de Parintins é a principal manifestação cultural do povo amazonense. [1]

A cultura amazonense é fortemente marcada pela influência indígena no estado. Os festivais folclóricos e musicais, assim como as práticas culturais de artesanato e vestimentas, e até mesmo a língua, são elementos que receberam contribuição da população indígena ao longo do tempo. No estado, destaca-se o Festival Folclórico de Parintins, manifestação ligada à representação do Boi-Bumbá e considerada uma das maiores festividades do Brasil. As danças e músicas indígenas também possuem grande apreciação da população, assim como os gêneros musicais paraenses e nordestinos.

O artesanato utiliza elementos da floresta, como raízes e frutos, muito empregados na confecção de colares, por exemplo. A língua portuguesa na região assimila expressões indígenas representativas do cotidiano da população. No Amazonas, destaca-se ainda a culinária, que é extremamente diversificada e marcada pelo uso de alimentos como peixes, castanhas, frutas tropicais, entre outros.

Crédito da imagem

[1] T photography / Shutterstock

Por: Mateus Campos

Artigos de Amazonas

Aspectos Físicos do Amazonas

Estado que abriga a maior biodiversidade do mundo.

População do Amazonas

A população do Amazonas é formada por mais de 3,4 milhões de habitantes, sendo que a maioria reside em áreas urbanas.