Nomenclatura dos ésteres

No texto Ésteres, você viu que o grupo funcional dos ésteres é o representado a seguir:

    O
    ║
─ C ─ O ─
    │

Eles são obtidos através da substituição de um hidrogênio do grupo OH de um ácido carboxílico por um radical carbônico:

Formação de ésteres

Assim, a nomenclatura oficial dos ésteres orgânicos baseia-se no ácido que levou à sua origem. O nome do ácido termina com “ico”, de modo que basta substituir essa terminação por “ato” e acrescentar o nome do radical que substituiu o hidrogênio.

Por exemplo, considere a seguir um éster que foi obtido através do ácido etanoico:

           O                       O
           ║                        ║
H3C ─ C ─ OH → H3C ─ C ─ O ─ CH3
 
Ácido etanoico               éster

Observe que o hidrogênio foi substituído por um radical metil (metila). Assim, fazemos o seguinte:

1. Utilizamos o nome do ácido: Etanoico;

2. Substituímos a terminação “ico” por “ato”: Etanoato;

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

3. E acrescentamos o nome do radical que substituiu o hidrogênio: Etanoato de metila.

Resumidamente, a nomenclatura oficial dos ésteres segue a seguinte estrutura:

Regras para nomenclatura dos ésteres pela IUPAC

Exemplos:

Exemplos de nomes oficiais de ésteres

Muitos ésteres são usados como flavorizantes pelas indústrias de alimentos e aromas, ou seja, são substâncias utilizadas como aditivos químicos que conferem ou intensificam o aroma e o sabor de determinados alimentos, perfumes e outros produtos.

Veja os nomes de alguns desses ésteres:

  • Etanoato de butila: essência de maçã verde;
  • Etanoato de propila: essência de pera;
  • Etanoato de isopentila: essência de banana;      
  • Butanoato de butila: essência de morango;
  • Etanoato de etila: essência de maçã;
  • Butanoato de etila: essência de abacaxi;
  • Etanoato de octila: essência de laranja.

Para ver mais exemplos e saber mais sobre essa aplicação dos ésteres no cotidiano, leia o texto: Flavorizantes.

Muitos ésteres, como o etanoato de butila (essência de maça verde), são usados como flavorizantes em balas e doces

Muitos ésteres, como o etanoato de butila (essência de maça verde), são usados como flavorizantes em balas e doces

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça

Artigos relacionados

Óleos e gorduras

Conheça a constituição química dos óleos e das gorduras, além de compreender o que os diferencia.

Reações de Esterificação

Aprenda mais sobre as reações de esterificação, que são muito importantes na produção do biodiesel e de flavorizantes para a indústria alimentícia.

Reações orgânicas de desidratação

Clique e aprenda o que são reações orgânicas de desidratação e quais são os reagentes e os possíveis produtos formados nesses processos químicos!

Desidratação intermolecular

Clique e aprenda o que é uma reação de desidratação intermolecular e quais são as substâncias utilizadas e formadas.

Principais funções orgânicas abordadas no Enem

Clique e conheça as características fundamentais das principais funções orgânicas abordadas no Enem!

Fosfoetanolamina

Clique e conheça as propriedades químicas da fosfoetanolamina, a substância que foi apontada como a cura para o câncer.

Éteres

Clique aqui e conheça as características e a utilização dos éteres!

Ésteres

Conheça as características físicas dos Ésteres.

Poliésteres

Os poliésteres são muito utilizados na indústria têxtil e na fabricação do polímero PET de garrafas de refrigerante. Veja a estrutura desse polímero e entenda por que ele é tão versátil.

Nomenclatura dos Éteres

Aprenda a nomenclatura dos éteres segundo as regras estabelecidas pela IUPAC, além também da nomenclatura usual.

Flavorizantes

Os alimentos industrializados contêm determinados aditivos alimentares conhecidos como flavorizantes. Veja para que servem, suas fórmulas e qual a legislação que os regulariza.

Nomenclatura de cadeias ramificadas

Aprenda a realizar a nomenclatura de cadeias ramificadas e entenda o que significam alguns prefixos usados nos radicais, como iso, sec, terc e neo.

Nomenclatura de hidrocarbonetos cíclicos

Aprenda a realizar a nomenclatura de hidrocarbonetos cíclicos (cicloalcanos e cicloalcenos) normais e ramificados.

Nomenclatura de alcanos

Deve-se determinar a cadeia principal, numerá-la, identificar as ramificações e indicar de quais carbonos estão saindo, em ordem alfabética.

Nomenclatura dos álcoois

Aprenda a realizar a nomenclatura dos álcoois com ou sem a presença de ramificações e insaturações.

Nomenclatura dos compostos de função mista

Aprenda a nomear corretamente os compostos de função mista, sabendo escolher qual será a função principal e qual é a ordem de prioridade entre os grupos funcionais.