Lei da Gravitação de Newton

Quando Newton realizou estudos sobre o movimento que a Lua descreve em volta da Terra, ele concluiu que a mesma força que atrai os objetos para a superfície da Terra é exercida pela Terra sobre a Lua, mantendo-a em órbita em torno da Terra. Newton, então, chamou essas forças de forças gravitacionais. Para ele, essas forças eram responsáveis por manter os planetas em órbita em volta do Sol.

Com base nas leis de Kepler é que Newton conseguiu descobrir que a força gravitacional entre o Sol e um planeta possui intensidade diretamente proporcional à massa do Sol e à massa do planeta; e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles.

O interessante foi que Newton descobriu um resultado que é válido para todo o Universo, ou seja, ele pode ser aplicado a qualquer corpo material, constituindo a Lei da Gravitação Universal, enunciada assim:

Dois pontos materiais, de massas m1 e m2, atraem-se mutuamente com forças que têm a mesma direção da reta que os une e cujas intensidades são diretamente proporcionais ao produto das suas massas e inversamente proporcionais ao quadrado da distância d que os separa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Portanto,

Dois corpos de massa m1 e m2 se atraem com forças que constituem um par de ação e reação

A constante de proporcionalidade G é denominada constante da gravitação universal. Seu valor depende apenas do sistema de unidades utilizado. No Sistema Internacional, seu valor é G = 6,67.10-11 (N.m2)/kg2. Esse valor não depende do meio, é o mesmo no ar, no vácuo ou em qualquer outro meio interposto entre os corpos. Como o valor da constante G é muito pequeno, a intensidade da força  só é apreciável quando pelo menos uma das massas for elevada, como a de um planeta. Para corpos de pequenas massas, a intensidade da força gravitacional  é muito pequena, podendo ser desprezada no estudo da maioria dos fenômenos do cotidiano.

É a força da gravidade que a Terra exerce sobre a Lua que a mantém em órbita em volta da Terra

É a força da gravidade que a Terra exerce sobre a Lua que a mantém em órbita em volta da Terra

Por: Domiciano Correa Marques da Silva

Artigos relacionados

Campo gravitacional

Saiba o que é campo gravitacional e por que ele é importante.

Leis de Kepler

Conheça as três Leis de Kepler utilizadas para descrever o movimento planetário.

Unidades astronômicas

Conheça as unidades astronômicas que medem o cosmos. É só clicar aqui!

Contribuições de Nicolau Copérnico

Conheça um pouco das contribuições de Nicolau Copérnico para o entendimento do universo!

Fases da Lua

Saiba por que a Lua apresenta quatro fases distintas e conheça algumas de suas principais características!

Trânsito de Mercúrio e Trânsito de Vênus

Clique aqui para saber o que é o trânsito de Mercúrio e Vênus, fenômenos que ocorrem quando esses planetas cruzam a face do disco solar!

Plutão: o planeta anão

Você sabe por que Plutão foi rebaixado para a classificação de planeta anão? Clique aqui e descubra!

Leis de Newton

Clique aqui e conheça as leis de Newton, a base da Mecânica Clássica e as responsáveis pela explicação de diversos fenômenos cotidianos.

Missão Kepler

Saiba mais sobre a missão Kepler, atividade executada pela NASA que tem por objetivo descobrir novos mundos!

Estrelas cadentes

Clique aqui para entender o que realmente são aqueles rastros luminosos no céu que chamamos de estrelas cadentes.

Isaac Newton

Clique aqui e conheça a história de uma das maiores personalidades da história da humanidade: Sir Isaac Newton!

Primeira lei de Kepler

Clique aqui e conheça a Primeira lei de Kepler, que nos mostra como é a trajetória dos planetas ao redor do Sol.

Cinco coisas que você precisa saber sobre as Leis de Newton

Clique aqui e veja quais são as cinco coisas que você precisa saber sobre as leis de Newton, a base da Mecânica Clássica.

Imponderabilidade

Clique aqui para entender a imponderabilidade, sensação de falta de peso que permite a “flutuação” dos astronautas em “gravidade zero”.