Brasília

Brasília é a sede do governo federal brasileiro. Ela está localizada no Distrito Federal, ente federativo que integra a região Centro-Oeste do país. Trata-se de uma cidade planejada, cuja construção teve início em 1956, com inauguração em 21 de abril de 1960. O principal intuito de se transferir o poder político para o interior do território nacional era o de promover a sua maior integração. A cidade é hoje uma das mais ricas do país, com economia altamente concentrada no setor de serviços.

Leia também: Quais são os estados do Brasil?

Dados gerais de Brasília

  • Gentílico: brasiliense

  • Localização: região Centro-Oeste

  • País: Brasil

  • Unidade federativa: Distrito Federal

  • Região intermediária: Distrito Federal

  • Região imediata: Distrito Federal

  • Região metropolitana: Área Metropolitana de Brasília (AMB), composta pelo Distrito Federal e mais 12 municípios goianos, que formam o que a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) chama de colar metropolitano. São eles: Luziânia, Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Cidade Ocidental, Santo Antônio do Descoberto, Águas Lindas de Goiás, Planaltina, Formosa, Padre Bernardo, Alexânia, Cristalina, e Cocalzinho.

  • Municípios limítrofes: Planaltina, Formosa, Cristalina, Cidade Ocidental, Valparaíso de Goiás, Nova Gama, Santo Antônio do Descoberto, Águas Lindas de Goiás e Padre Bernardo, em Goiás, e Cabeceira Grande, em Minas Gerais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dados geográficos de Brasília

  • Área total: 5.760,784 km² (IBGE, 2020)

  • População total: 3.055.149 habitantes (IBGE, 2020)

  • Densidade demográfica: 444,66 hab./km² (IBGE, 2010)

  • Clima: Tropical

  • Altitude: 1172 metros

  • Fuso horário: Horário Padrão de Brasília (GMT -3 horas)

Histórico

  • Fundação: 21 de abril de 1960

Brasília abriga a sede do governo federal.[1]
Brasília abriga a sede do governo federal.[1]

Geografia de Brasília

Brasília está situada no Planalto Central brasileiro, conforme a classificação de Aziz Ab’Sáber. Sendo assim, é constituída por um relevo consideravelmente plano, em que predominam as formações planálticas. Sua altitude média é de 1172 metros, enquanto as cotas altimétricas no Distrito Federal variam entre 750 m e 1350 m. O ponto mais elevado é o pico do Roncador, que está a 1341 metros acima do nível do mar.

O clima brasiliense é do tipo Tropical, com pequenas variações nas áreas mais elevadas. É marcado por uma estação chuvosa, que vai geralmente de março a setembro ou outubro, e outra estação seca. Os índices pluviométricos variam na faixa de 1000 mm a 1600 mm ao ano, enquanto a temperatura média fica em torno de 22 ºC, com grande amplitude térmica anual.

O Distrito Federal está integralmente inserido no Cerrado. Em função disso, a cobertura vegetal de Brasília é formada pelas espécies características desse bioma. Árvores como os ipês, buritis e paineiras podem ser encontradas na capital federal e em áreas vizinhas.

O rio Paranoá é um dos principais cursos d’água de Brasília, cujas águas foram represadas para a formação do lago de Paranoá. Além desse, outros importantes rios que cruzam a capital são o Maranhão, Preto, São Bartolomeu e Descoberto, que dão nome a algumas das bacias hidrográficas em que se divide o sistema de drenagem do Distrito Federal.

Leia também: Qual é a relação entre o Cerrado e as águas do Brasil?

Vista do lago Paranoá e da Ponte JK.[2]
Vista do lago Paranoá e da Ponte JK.[2]

Economia de Brasília

A economia da capital federal é bastante diversa e um tanto quanto distinta se comparada às demais capitais brasileiras, o que se deve, principalmente, à alta concentração dos serviços administrativos.

O Produto Interno Bruto (PIB) de Brasília é o terceiro maior entre as cidades brasileiras, atrás somente de São Paulo e do Rio de Janeiro. O valor total, em 2018, era de R$ 254,81 bilhões, o que corresponde a cerca de 3,6% do PIB brasileiro. Como ressaltamos, sua maior fatia é oriunda do setor terciário, que chega a quase 85%. Atividades como administração, defesa, educação, saúde pública e seguridade social respondem pela principal parte do valor agregado.

Enquadrados também no terciário estão os serviços ligados ao turismo, que vêm ganhando cada vez mais espaço na economia brasiliense.

Nos anos iniciais, que vão desde a inauguração até, aproximadamente, os anos 1990, a indústria de Brasília tinha na construção civil os seus maiores rendimentos. O secundário hoje é responsável por 3,74% do valor adicionado ao PIB e se volta principalmente para o setor tecnológico. A produção agropecuária, por sua vez, corresponde a somente 0,5% da economia da capital.

Demografia de Brasília

A população brasiliense é de 3.055.149 habitantes, tornando Brasília o terceiro município mais populoso do país. À época do último Censo Demográfico do IBGE (2010), a distribuição populacional era de 444,66 hab./km², um valor que pode ser considerado elevado, embora esteja distante das maiores concentrações populacionais brasileiras.

O crescimento populacional do Distrito Federal aconteceu de forma mais acelerada a partir de 1956, quando teve início a construção de Brasília, que atraiu um grande contingente de migrantes de outras regiões do Brasil. Um ano mais tarde, 12.283 pessoas viviam nas áreas que hoje conhecemos como regiões administrativas. Na fundação de Brasília, em 1960, a cidade reunia pouco mais de 141 mil habitantes.

Conforme mostram os dados levantados pela Codeplan (2018), a população de Brasília é composta por quase 45% de migrantes, os quais são oriundos, em sua maioria, das regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste (com exceção do DF), nessa ordem. A outra parcela consiste de pessoas naturais do Distrito Federal.

Governo de Brasília

A estrutura governamental de Brasília é distinta daquela observada nos municípios brasileiros. Uma vez que faz parte do Distrito Federal, considerado um ente federativo e, assim, um território autônomo, a administração de Brasília corresponde à mesma dessa unidade, não possuindo prefeito. O governante da cidade é o governador do Distrito Federal, bem como os membros do Legislativo são os mesmos eleitos para a representação distrital.

Cultura de Brasília

A cidade de Brasília desfruta de uma cultura bastante diversa que reflete o rico mosaico de costumes, tradições e manifestações culturais dos migrantes que estão nas raízes de sua composição populacional.

Uma parte da identidade de Brasília e a sua própria história estão expressas nas formas arquitetônicas que compõem a sua paisagem urbana. O Plano Piloto consiste em um projeto desenhado pelo arquiteto e urbanista Lúcio Costa, enquanto muitos dos famosos monumentos e edificações são de autoria de Oscar Niemeyer. A cidade foi considerada Patrimônio Mundial pela Unesco no ano de 1987.

A paisagem urbana de Brasília retrata um conjunto arquitetônico singular.[3]
A paisagem urbana de Brasília retrata um conjunto arquitetônico singular.[3]

A música representa outra importante manifestação cultural de Brasília, de onde saíram artistas e bandas que contribuíram enormemente para a música brasileira. Diversos estilos são produzidos na capital, variando do chorinho ao rock. Além da música, a sétima arte do cenário nacional é celebrada anualmente no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece no tradicional Cine Brasília.

História de Brasília

A ideia de uma capital que se localizasse no centro do território brasileiro foi muito anterior ao projeto que efetivou a construção de Brasília. Concretamente, a ideia apareceu com José Bonifácio de Andrade e Silva, em 1823, embora considerada também no período colonial.

O marco legal que estabeleceu a transferência da capital federal para o Planalto Central surgiu ainda na primeira constituição do Brasil República, em 1891. Uma comissão exploradora se dirigiu à área no ano seguinte, com o intuito de traçar seu perfil e conhecer mais detalhadamente a fisiografia da região.

Apesar dos esforços, foi apenas na década de 1950 que a efetivação desse projeto começou a ganhar corpo. Em 1955, foi, enfim, delimitada uma área de 52 mil km², conhecida como Sítio Castanho, para a construção de Brasília. O nome foi oficialmente adotado por Juscelino Kubitschek, presidente eleito em 1956.

A construção de Brasília aconteceu durante o final dos anos 1950.
A construção de Brasília aconteceu durante o final dos anos 1950.

Com a intenção de se construir uma cidade planejada e funcional, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) lançou um concurso para a seleção de um Plano Piloto. O vencedor foi o arquiteto e urbanista Lúcio Costa, que idealizou Brasília na forma de um avião ou cruz, com os Eixos Monumental (mais longo) e Rodoviário (que se divide entre as Asas Norte e Sul) se cruzando.

A construção da nova capital do Brasil teve início ainda em 1956. Durante essa fase, muitos migrantes de outros estados foram atraídos para trabalharem nas obras. Esses trabalhadores ficaram conhecidos como “candangos”, e a maioria deles passou a viver nas adjacências do Plano Piloto, nas chamadas cidades-satélite.

A inauguração da nova capital brasileira ocorreu em 21 de abril de 1960.

Infraestrutura de Brasília

O Distrito Federal é o ponto de partida de importantes vias federais que conectam a capital do Brasil a todas as regiões do país. São elas as BR-101, BR-010, BR-020, BR-030 e BR-080. Além disso, o território conta com as rodovias distritais. Os deslocamentos entre as diferentes regiões administrativas da capital e intraurbanos podem ser feitos por meio do transporte público, do qual se destacam o BRT e a malha metroviária.

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) é responsável pelo abastecimento de água e pelo sistema de esgoto da capital. Cerca de 83,78% do volume de água consumido em Brasília é residencial, abrangendo a maior parte dos domicílios da cidade. A coleta de esgoto, por sua vez, atinge 89,29% da população.|1|

O sistema de distribuição de energia elétrica em Brasília tem parte de sua rede integrada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) por meio das subestações de Brasília Sul, Brasília Geral e Samambaia. Uma parcela da energia consumida na região é proveniente de Itaipu (6,85%). Em 2018, cerca de 99% das residências da capital federal eram abastecidas pela rede elétrica distrital.

Nota

|1| Fonte dos dados apresentados no item: CASTRO, Kássia Batista de; LIMA, Larissa Ane de Sousa. (Orgs.) Atlas do Distrito Federal. Brasília: Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), 2020. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/atlas-do-distrito-federal-2020/.

Créditos das imagens

[1] Erich Sacco / Shutterstock

[2] Antonio Salaverry / Shutterstock

[3] 061 Filmes / Shutterstock

Por: Paloma Guitarrara

Artigos relacionados

Capitais do Brasil

Veja tabelas das capitais do Brasil. Descubra quais são as maiores e as mais ricas capitais brasileiras. Saiba quais cidades já foram as capitais brasileiras.

Fortaleza

Conheça aspectos gerais de Fortaleza. Aprenda sobre a geografia e a história de Fortaleza. Entenda a economia e a cultura de Fortaleza.

Governo JK e a utilização política da TV

A utilização política da TV no Brasil ganhou força no governo JK, indicando a utilização do meio de comunicação como instrumento no cenário político.

Macapá

Conheça aspectos gerais de Macapá. Aprenda sobre a geografia e a história de Macapá. Entenda a economia e a cultura de Macapá.

Maceió

Conheça aspectos gerais de Maceió. Aprenda sobre a geografia e a história de Maceió. Entenda a economia e a cultura de Maceió.

O desenvolvimentismo de JK

Conheça o governo JK e seu projeto desenvolvimentista, elaborado para acelerar a economia capitalista brasileira.

Projetos para a economia brasileira em 1950

Dois projetos foram apresentados para a economia brasileira em 1950: liberalismo e nacionalismo.

Rio Branco

Conheça aspectos gerais de Rio Branco. Aprenda sobre a geografia e a história de Rio Branco. Entenda a economia e a cultura de Rio Branco.

Salvador

Conheça aspectos gerais de Salvador. Aprenda sobre a geografia e a história de Salvador. Entenda a economia e a cultura de Salvador.