Vacina contra a gripe

A vacina contra gripe tem como objetivo proteger a população contra uma doença causada pelo vírus Influenza e que, diferentemente do que muitos pensam, é grave e pode levar à morte. A vacina é oferecida gratuitamente para grupos prioritários, entretanto, outros grupos podem vacinar-se em clínicas particulares.

É uma vacina considerada segura, entretanto, assim como qualquer medicamento, pode provocar reações adversas, podendo desencadear, por exemplo, dor no local da injeção. A vacina contra a gripe deve ser tomada todos os anos, independentemente se o indivíduo vacinou-se ou não no ano anterior.

Leia também: Soros e vacinas – duas ferramentas usadas no controle de doenças

O que é a gripe?

A gripe é uma doença viral, provocada pelo vírus Influenza, o qual possui quatro tipos: A, B, C e D.  O Influenza tipo A é o grande responsável por provocar grandes pandemias. Um exemplo foi a pandemia de H1N1, desencadeada pelo Influenza A(H1N1)pdm09.

A gripe pode desencadear sintomas como febre, dores no corpo e tosse seca.
A gripe pode desencadear sintomas como febre, dores no corpo e tosse seca.

A gripe apresenta sintomas bastante conhecidos pela população, como febre, tosse seca, dores no corpo, dor de cabeça e dor de garganta. A febre destaca-se como o sintoma mais importante, permanecendo por cerca de três dias. A gripe é uma doença grave e pode até matar, sendo os óbitos mais frequentes nos chamados grupos de risco, como idosos. A principal complicação da gripe é a pneumonia, que pode ser causada pelo próprio vírus Influenza ou ser consequência de infecções por bactérias.

A transmissão da gripe ocorre por meio do contato com partículas eliminadas pelos doentes ou objetos e mãos contaminadas por essas secreções. Ao tossir, espirrar ou mesmo falar, a pessoa doente libera pequenas partículas contendo o vírus que pode contaminar outras pessoas ou objetos.

Para prevenir-se da gripe, algumas medidas básicas podem ser adotadas, tais como evitar contato com pessoas doentes, lavar sempre as mãos com água e sabão, evitar tocar boca, nariz e olhos sem que as mãos estejam devidamente limpas, e não compartilhar objetos de uso pessoal.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Vacina contra a gripe

A vacina contra a gripe tem por objetivo evitar que a população contraia a doença e, desse modo, evitar a ocorrência de casos graves dela e até mesmo a morte por ela. A vacina é feita anualmente, sendo sua composição alterada de um ano para outro. Essa alteração é importante para garantir-se a proteção contra os subtipos do vírus que mais circulam no momento. No ano de 2020, de acordo com o Ministério da Saúde, a composição foi a seguinte: A/Brisbane/02/2018 (H1N1)pdm09,  A/South Australia/34/2019 (H3N2), e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria).

A vacina contra a gripe apresenta composição diferente a cada ano.
A vacina contra a gripe apresenta composição diferente a cada ano.

De acordo com o Manual de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação, a vacina é obtida por meio de culturas de vírus em líquido alantoide de embriões de galinha. Ainda de acordo com o manual, a vacina apresenta em sua composição antibióticos, como a neomicina ou polimixina e timerosal, como conservantes.

Leia mais: Como se prevenir da gripe H1N1 – fundamental para conter a doenças e evitar novos surtos

Quem deve se vacinar contra a gripe?

A vacina contra a gripe é oferecida gratuitamente, pelo SUS, para grupos que estão mais sujeitos à infecção. Vale salientar que clínicas particulares também oferecem a vacina, a qual pode ser administrada também em grupos não prioritários. De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas ofertadas pelo SUS são gratuitas, seguras e estão disponíveis nos mais de 41 mil postos de vacinação, distribuídos em  todo o Brasil.

Veja, no quadro seguinte, os grupos prioritários que recebem a vacina contra a gripe:

Grupos prioritários para a vacinação contra Influenza

Crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias)

Gestantes em qualquer idade gestacional

Puérperas até 45 dias após o parto

Trabalhadores da Saúde

Professores de escolas públicas e privadas

Povos indígenas a partir dos seis meses de idade

Indivíduos com 60 anos ou mais de idade

Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas

População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional

Força de segurança e salvamento

Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade

Vale destacar que crianças com idade inferior a seis meses não devem vacinar-se. Além disso, pessoas que apresentam doenças febris devem vacinar-se quando o quadro de saúde estiver normal, e é necessária a administração sob observação naqueles que apresentam histórico de anafilaxia a doses anteriores. De acordo com o Informe Técnico da 22ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza de 2020, pessoas que, após a ingestão de ovo, apresentaram apenas urticária, podem administrar a vacina influenza, sem qualquer cuidado especial.

Quais são os efeitos adversos da vacina contra gripe?

A vacina contra a gripe é considerada segura, entretanto, reações adversas podem ocorrer após a sua administração. De maneira geral, essas reações não são graves e desaparecem sem necessidade de intervenção médica. Entre as mais comuns, estão dor no local da injeção, eritema (rubor da pele), enduração, febre, mal-estar e dores musculares. Esses sintomas tendem a  desaparecer em dois dias. Manifestações mais raras, como manifestações neurológicas, são raramente observadas.

Leia mais: Vacina contra dengue – garante relativa proteção contra os quatro sorotipos do vírus

Com quantos dias estou imunizado?

Após a administração da vacina, a imunização, com a detecção de anticorpos protetores, é observada de duas a três semanas em indivíduos adultos saudáveis. A imunização dura de seis meses a um ano.

Tenho que me vacinar todos os anos?

É importante que a vacinação contra a gripe seja feita todos os anos. Isso se deve ao fato de que a proteção vai diminuindo ao longo dos meses e de que diferentes tipos de vírus Influenza circulam a cada ano, o que faz com que, em cada campanha, a vacina tenha uma formulação diferente.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

17 de outubro – Dia Nacional da Vacinação

Aproveite o Dia Nacional da Vacinação para aprender um pouco mais sobre as vacinas e sua importância.

Como se prevenir da gripe H1N1 (Gripe A)

Clique aqui e descubra como se prevenir da gripe H1N1, um tipo de gripe que pode desencadear complicações sérias.

Soro e vacina

Aprenda a diferença entre soro e vacina e entenda em que situações cada um desses agentes imunizadores deve ser aplicado.

Influenza A (H3N2)

Que tal saber mais sobre o Influenza A (H3N2)? Com grande capacidade de adaptação, esse vírus pode ser classificado em três tipos. Conheça alguns aspectos relevantes sobre eles, com enfoque no Influenza A, que têm sido responsável por várias mortes. Veja também medidas importantes que podem ajudar a prevenir a gripe.

Gripe, hepatite, herpes e poliomielite

Clique aqui e conheça as formas de contaminação das seguintes doenças virais: gripe, hepatite, herpes e poliomielite. Veja também como evitá-las.

Vacinação contra HPV

Informe-se a respeito da vacinação contra HPV que começará no dia 10 de março de 2014 em todo o país.

Resfriado

Doença respiratória de sintomas semelhantes aos da gripe.

Sistema linfático

Clique aqui e conheça mais sobre um dos sistemas de defesa do nosso corpo.