Operadores argumentativos

Operadores argumentativos são responsáveis pela articulação das ideias no texto. Eles também são elementos coesivos que operam por meio de conectores argumentativos.

Conhecer bem os operadores argumentativos melhora a produção escrita.
Conhecer bem os operadores argumentativos melhora a produção escrita.

Operadores argumentativos são palavras e expressões que facilitam a organização e o encadeamento do pensamento em um texto. Quando bem utilizados, eles podem garantir melhor compreensão e sequenciamento de ideias, além de prover fluidez ao texto.

No Enem, os operadores argumentativos são avaliados pela Competência IV, em que o aluno deve “demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação”. Os operadores compõem, portanto, a superfície do texto e funcionam como elementos coesivos de orientação retórica (argumentativa).

Leia também: Conectivos e o processo de estruturação do texto

Resumo sobre operadores argumentativos

  • Os operadores argumentativos são elementos coesivos responsáveis pelo encadeamento das ideias.

  • Na redação do Enem, operadores argumentativos são avaliados pela Competência IV, responsável por verificar o conhecimento dos mecanismos linguísticos de “amarração textual”.

  • É função dos operadores evitar contradições, raciocínios ilógicos e repetições.

  • Os operadores são divididos em tipos. São eles: junção ou soma, disjunção argumentativa, oposição, explicação ou justificativa, condição, comparação, especificação ou exemplificação, redefinição e correção.

Videoaula sobre operadores argumentativos

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que são os operadores argumentativos?

que, segundo a linguista Ingedore Koch, atuam no encadeamento entre orações de um mesmo período, entre dois ou mais períodos ou entre parágrafos, a fim de realizar relações discursivo-argumentativas. articuladores textuaisOperadores argumentativos são

Para realizar essa amarração textual, é preciso usar conectores (conjunções, advérbios e expressões de ligação) que estabeleçam os diversos tipos de encadeamento argumentativo entre as orações do texto.

Assim, em uma dissertação argumentativa, os operadores são fundamentais para facilitar a compreensão das ideias do autor. Por outro lado, a má utilização desse mecanismo linguístico pode produzir diversas incoerências ou tornar o texto maçante, caso o autor não demonstre um repertório amplo e ocorra repetições em excesso.

Leia também: Cinco hábitos que vão melhorar a sua redação

Função dos operadores argumentativos

Os operadores são responsáveis por determinar a orientação argumentativa do enunciado que eles introduzem. As principais funções discursivo-argumentativas são:

  • utilizar argumentos em favor de uma mesma conclusão;

  • empregar opiniões contrárias no intuito de fazer com que o leitor mude sua opinião (nesse caso, os discursos terão origens diferentes e serão colocados “frente a frente” no texto);

  • retomar um enunciado e usá-lo como causa ou explicação para ocorrência de um outro;

  • inserir enunciado que funciona como condição para ocorrência de um outro (em outros termos, trata-se de apresentar uma série de comprovações do que foi dito);

  • realizar uma síntese entre uma premissa maior e uma menor;

  • estabelecer relação comparativa que pode ser de igualdade, superioridade ou inferioridade entre os enunciados apresentados;

  • redefinir, corrigir ou suspender um enunciado anterior, ressaltar uma opinião ou reforçar a própria legitimidade do que foi dito.

Tipos de operadores argumentativos

Para cada situação ou intenção do autor, aplica-se uma estratégia argumentativa. Em cada uma delas, há conectores específicos que traduzem objetivos distintos. A seguir, veja uma breve lista com os principais tipos de operadores:

  • Junção ou soma: e, e nem, e também, como também, mas também, tanto… como, além de, além disso, ainda.

A definição ajuda não só a entender a língua portuguesa, mas também a desvendar como a palavra “pixuleco” virou sinônimo de propina nos autos da Operação Lava Jato.

LIMA, Daniela. Folha de S. Paulo. Poder, 29, jun. 2015, A5.

  • Disjunção argumentativa: ou, ou então, quer… quer, seja… seja…, caso contrário, ao contrário.

Quem é que nunca ficou com uma pontinha de dúvida ao reservar um hotel desconhecido, mesmo após realizar exaustivas pesquisas? Ou que, convicto de escolhas, se desapontou com o carpete exalando perfume, o quarto apertado, o atendimento rude? Hoje, sites e buscadores de hospedagem trazem tantos reviews de usuários, filtros e recursos de avaliação que chegam a nos confundir.

Viagem e turismo, jul. 2015, p. 113.

  • Oposição: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto.

A vitória representa a subida na tabela, mas o futebol não é bom. Pode haver tempo de adaptação para mudar o sistema, mas precisa ser rápido.

Disponível em <https://www1.folha.uol.com.br/colunas/pvc/2021/09/sao-paulo-muda-vence-e-quer-acabar-com-dogmas.shtml>. Acesso em 20 set. 2021.

  • Explicação ou justificativa: pois, porque, como, por isso que, já que, visto que, uma vez que.

E eu te chamo

Eu te peço vem

Diga que você me quer

Porque eu te quero também

Nando Reis – Música: Luz dos olhos

  • Condição: se, caso, desde que, contanto que, a menos que, a não ser que.

Se portanto em cinzas eu vivo, resistente ao fogo serei eternamente, pois fui cunhado em ouro e não em ferro.

SAUTEL, Nadine. Michelangelo. São Paulo: L&PM Pocket, 2003

  • Comparação: tão.. quanto, tão menos… quanto, tão mais… quanto, quanto, tanto quanto, menos… (do) que, mais… (do) que.

Preservar a natureza é mais importante do que obter progresso desordenado.

XAVIER, Antonio Carlos dos Santos. Como se faz um texto: a construção da dissertação argumentativa. Catanduva, SP: Editora Respel, 2014.

  • Especificação ou exemplificação: por exemplo, como por exemplo, a exemplo de, a título de exemplificação, como.

Berço do flamenco, o ritmo espanhol mais universalizado, e da maior produção de azeites de oliva do mundo, a Andaluzia começa a revelar outras faces — como a da arte moderna e da sua costa atlântica.

MOSKOVICS, Luisa Belchior. Um novo descobrimento. Folha de S.Paulo. Turismo, 13 ago. 2015, D4.

  • Redefinição e correção: ou seja, ou melhor, quer dizer, melhor dizendo, melhor, ou, em outras palavras.

Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é usada, entre outras coisas, para remunerar as aplicações feitas em títulos do Tesouro, isto é, da dívida pública federal.

BAVA, Silvio Caccia. Selic. Le Monde Diplomatique Brasil, ed. 96, jul. 2015.

Leia também: Competência IV da redação do Enem — aquela que avalia o uso dos operadores argumentativos

Exercícios resolvidos sobre operadores argumentativos

Questão 1

(UEPB 2008)

O AQUECIMENTO CLIMÁTICO AMEAÇA AS GELEIRAS DO HIMALAIA

Por Julien Bouissou

O aquecimento climático está acelerando o derretimento das geleiras do Himalaia. Quarenta e nove postos de observação do clima, espalhados pela cadeia montanhosa, registraram desde meados dos anos 1970 um aumento da temperatura média de 1,2 ºC, ou seja, o dobro do aumento que havia sido registrado anteriormente, ao longo de um período equivalente, nesta latitude.

Em relação ao termo “ou seja”, pode-se afirmar que é um operador discursivo que

a) nega o que foi apresentado anteriormente, indicando uma não contradição no decorrer do texto.

b) marca uma relação de retificação, distorcendo o enunciado anterior.

c) estabelece a progressão textual, ampliando o conteúdo semântico do enunciado.

d) delimita a relação entre os enunciados do texto, ocasionando uma redução de sentido à informação posterior.

e) introduz um argumento que produz efeitos de sentidos contrários, alterando a informação anterior.

Resolução

Para responder a questão, é preciso nos lembrarmos da finalidade de redefinição e correção dos operadores argumentativos. Assim, ao dizer que houve um aumento de 1,2 ºC, na sequência o autor amplia o que foi dito, ressaltando “ser o dobro” do aumento registrado antes. Pode-se dizer, portanto, que o termo “ou seja” não funciona como forma de contradizer ou deslegitimar o(s) enunciado(s) anterior(es). Descarta-se, portanto, as alternativas A, B e E. O conectivo argumentativo também não delimita ou reduz o sentido da informação, pois o que ele faz é justamente o contrário, isto é, expandi-lo. Assim, a alternativa D também pode ser descartada. A alternativa C é a correta.

Questão 2

(Enem 2010)

Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A cozinha era enfim espaçosa, o fogão enguiçado dava estouros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando. Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizonte. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas.

LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998

A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectos da organização, estruturação e funcionalidade dos elementos que articulam o texto, o conectivo mas

a) expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto.

b) quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase.

c) ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase.

d) contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor.

e) assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso.

Resolução

A resposta correta é a alternativa E. Como já vimos, o conectivo mas pode assumir mais de uma função no texto (junção/soma ou oposição). Assim, no primeiro caso, o conectivo expressa ideia de junção, e no segundo, a ideia de oposição. Com essas informações, é possível dizer que as demais alternativas estão incorretas. A conjunção mas, portanto, “assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso”.

Por: Rafael Camargo de Oliveira

Artigos relacionados

Coesão referencial

Aprenda mais sobre a coesão referencial e saiba como esse mecanismo pode ser utilizado na criação das relações entre elementos de um mesmo texto.

Coesão textual na redação do Enem

Saiba o que é coesão textual e aprenda quais são os mecanismos para estabelecer-se articulação em um texto. Veja como o Enem avalia esse critério na redação.

Competência 4 da redação do Enem

Você conhece a competência 4 da redação Enem? Aprenda quais são os conectivos e operadores argumentativos necessários para o texto e como aplicá-los em sua produção.

Gêneros textuais argumentativos

Interaja-se com uma seção em que você poderá estabelecer um pouco mais de familiaridade com os gêneros textuais argumentativos!

Redação do Enem

Saiba como é a redação do Enem. Como deve ser feito o texto, o que é a proposta de intervenção, como a redação é corrigida e o que fazer para zerar o texto.

Tipos de coesão

Quer aprender mais sobre os processos de construção do texto? Clique e saiba quais são os tipos de coesão textual.