Feudalismo

Feudalismo é um tipo de organização social, econômica e política que vigorou na Europa Ocidental durante a Idade Média, entre os séculos V a XV, baseada nos feudos.

Os feudos eram grandes propriedades de terra onde a agricultura era a principal atividade econômica e o senhor feudal era o chefe.
Os feudos eram grandes propriedades de terra onde a agricultura era a principal atividade econômica e o senhor feudal era o chefe.

O feudalismo foi um tipo de organização social, política e econômica na Europa Ocidental, logo após a queda do Império Romano, no século V. Com as invasões bárbaras, Roma perdeu seu domínio no Ocidente e a unidade territorial do imenso império se desfez. Apesar de alguns reis germânicos tentarem resgatar tal unidade, o poder se fragmentou entre os senhores feudais, que detinham o poder sobre seus feudos. A terra se tornou fonte de riqueza e a agricultura, a principal atividade econômica.

No período da Idade Média, o feudalismo predominou até entrar em crise, a partir do século XIII, quando as cidades e o comércio retomaram suas atividades de forma intensa.

Leia também: Causas e consequências das invasões normandas no Reino dos Francos

Resumo sobre o feudalismo

  • O feudalismo foi um tipo de organização social, política e econômica que vigorou na Idade Média, na Europa Ocidental.

  • As terras se valorizavam, tornando-se fonte de riqueza e poder.

  • A origem do feudalismo está na transição do Império Romano para a formação dos reinos germânicos.

  • A política feudal estava fragmentada entre os senhores feudais; na economia, a agricultura era a atividade predominante e a sociedade era dividida em nobres, clero e servos.

  • A crise feudal começou quando o comércio foi retomado e as cidades voltaram a crescer, enfraquecendo o poder dos senhores feudais e desvalorizando as terras.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é feudalismo?

Segundo o historiador Jacques Le Goff, o feudalismo foi:

“Um sistema de organização econômica, social e política baseado nos vínculos de homem a homem, no qual uma classe de guerreiros especializados — os senhores —, subordinados uns aos outros por uma hierarquia de vínculos de dependência, domina uma massa campesina que explora a terra e lhes fornece com que viver.”

Essa forma de organização prevaleceu, durante grande parte da Idade Média, na Europa Ocidental. Com as invasões bárbaras e a fuga das pessoas para o campo, as terras se valorizaram e se tornaram fontes de riqueza. Dessa forma, a principal atividade econômica no feudalismo foi a agricultura. As relações sociais se estabeleciam por meio de trocas de fidelidade, nas quais um benefício era concedido em favor do cumprimento de obrigações militares, em sua maioria.

Qual a origem do feudalismo?

O feudalismo começou a se formar no século V, quando o Império Romano do Ocidente se desintegrou a partir da formação dos reinos germânicos. Esse tipo de organização social, política e econômica se baseou na herança romana e nas tradições vindas dos povos bárbaros.

Desde o século III, quando a crise do Império Romano era evidente, as cidades começaram a se esvaziar por conta da movimentação dos bárbaros, provocando a fuga para o campo. Assim, os grandes proprietários de terra se tornaram poderosos por conta da valorização da terra e do trabalho realizado pelos servos. Quando os primeiros reinos germânicos se formaram, o feudalismo se consolidou por toda a Europa. Os reis concediam terras para os nobres no intuito de manter a fidelidade e o apoio ao seu governo.

Veja também: 1453: Queda de Constantinopla

Principais características do feudalismo

  • Sociedade feudal

A sociedade feudal era estamental, ou seja, não havia mobilidade social. O status era determinado por meio do nascimento e da propriedade de terras. Os grupos sociais que compunham essa sociedade eram:

  • Nobres: os senhores feudais, que possuíam as terras, e os cavaleiros, que garantiam a segurança dos feudos.
  • Clero: formado por religiosos da Igreja Católica.

  • Servos: a mão de obra nos feudos que prestava serviço aos senhores feudais e tinha que cumprir obrigações dentro dos feudos.

As relações de fidelidade eram estabelecidas entre suseranos e vassalos. Os primeiros eram aqueles que cediam um bem, e os segundos, os que o recebiam. Essa relação era selada em uma cerimônia formal reconhecida pelo clero. A relação de vassalagem ocorria de forma hierárquica, formando uma cadeia de proprietários de terra.

Os servos eram a maioria da população, que produzia alimentos para si e para o senhor feudal. Eles não eram escravos, pois não poderiam ser vendidos e tinham algumas propriedades, como um pedaço de terra dentro dos feudos. Os servos tinham que cumprir algumas obrigações, tais como:

  • Corveia: obrigação de trabalhar determinados dias da semana nas terras do senhor feudal.

  • Talha: o servo era obrigado a ceder uma parte da sua produção ao senhor.

  • Banalidades: pequenas tributações pagas em dias festivos ou quando se utilizava instalações do feudo, como forno, moinho, tonéis.

  • Mão morta: quando o servo morria, seus descendentes procuravam garantir o direito de se manter nas terras.

A Igreja Católica exercia grande influência na mentalidade feudal. O clero se estabeleceu como a única ponte que ligava a terra ao céu, internalizando na mente das pessoas o medo do inferno e a necessidade de evitar os prazeres terrenos para alcançar a vida eterna. O papa tinha influência política e participava das coroações de novos reis, reafirmando sua concordância com o novo chefe de poder.

Desde as invasões bárbaras que os mosteiros se tornaram refúgios para aqueles que fugiam da desordem provocada pela queda do Império Romano do Ocidente e os religiosos que buscavam um contato direto com Deus e afastado do mundo. Nesses mosteiros, os monges se tornaram copistas e responsáveis pela guarda da produção cultural da Antiguidade Clássica e da sua reprodução, reescrevendo as obras clássicas greco-romanas.

  • Economia feudal

Por conta da valorização das terras, logo após a queda do Império Romano do Ocidente, a atividade econômica predominante na Idade Média foi a agricultura. A terra era cultivada pelos servos por meio do sistema de rotação, que consistia no uso de uma parte das terras enquanto a outra estava de repouso. Após a colheita, a parte que estava de repouso era utilizada e a que tinha sido usada anteriormente ficava em repouso. Dessa forma, podia-se aproveitar melhor a terra, mantendo-a fértil.

Outra atividade econômica do feudalismo foi a pecuária. Era uma atividade que estava interligada à agricultura. Os bois e as vacas eram usados como tração para fazer girar as moedas dos feudos, auxiliar os servos no plantio e na colheita bem como no transporte dos frutos.

O comércio, que havia sido tão frequente na Antiguidade Clássica, tornou-se uma atividade econômica menor. Com a expansão islâmica e o domínio do mar Mediterrâneo, a Europa Ocidental não pôde manter o acesso aos outros entrepostos comerciais. Por conta da drástica redução nas relações comerciais, a moeda perdeu sua utilidade. Os feudos trocavam entre si os excedentes da produção.

  • Política feudal

A política feudal foi marcada pelo domínio dos senhores feudais, os nobres proprietários de terra, onde se estabeleciam os feudos. Dessa forma, o poder na Europa Medieval era decentralizado nas mãos dos senhores.

Concessão de terras

A concessão de terras era uma prática comum durante a Idade Média. Desde o início do século V que essa prática havia se consolidado na Europa Ocidental. No Reino dos Francos, Pepino, o Breve, em 751, concedeu terras para a Igreja Católica, fortalecendo a relação do clero com os reinos bárbaros.

A região central da península Itálica se transformou em Estados pontifícios até meados do século XIX, quando aconteceu a Unificação Italiana. As doações de terra para a Igreja Católica não ficaram restritas aos reis. Proprietários de terra concediam ao clero uma porção do seu território em busca de uma recompensa no paraíso. Dessa forma, a Igreja ampliava seu poder terreno, tendo em vista que já tinha o poder espiritual.

As terras também eram concedidas mediante os acordos de fidelidade. Um suserano concedia uma determinada quantidade de terras para seu vassalo em troca de sua fidelidade e apoio militar quando necessário. Essa concessão era feita em um evento público que contava com a participação de um bispo que assegurava a legitimidade da concessão.

Como ocorreu a crise do feudalismo?

Entre os séculos XI e XIII, o feudalismo atravessou um período de crise marcado por:

  • revoltas

  • problemas econômicos

  • enfraquecimento dos senhores feudais

As Cruzadas iniciaram-se como expedições religiosas, com o objetivo de libertar a Terra Santa das mãos dos muçulmanos, e se tornaram, com o passar do tempo, expedições comerciais que traziam produtos do Oriente, como as especiarias, para serem comercializados na Europa. Dessa forma, o comércio se tornou atividade econômica predominante e aumentou a circulação de moedas.

A epidemia de Peste Bubônica, ou Peste Negra, assolou a Europa entre 1546 e 1553, matando um terço da sua população. Isso fez com que faltasse mão de obra servil nos feudos, e os que sobreviveram à peste se revoltaram contra os senhores feudais, que exigiam quantidade excessiva de trabalho.

Desde o século X, a população europeia cresceu, fazendo ressurgir as cidades que foram esvaziadas, no século IV, durante as invasões bárbaras. Apesar da diminuição demográfica provocada pela Peste Negra, a população voltou a crescer no século XV, consolidando o crescimento das cidades, que surgiam das feiras e dos entrepostos comerciais, onde se hospedavam as caravanas vindas do Oriente trazendo especiarias.

Videoaula sobre o feudalismo no Enem

Exercícios resolvidos sobre feudalismo

Questão 1 - (UFPA) Nas relações de suserania e vassalagem dominantes durante o feudalismo europeu, é possível observar que:

A) a servidão representou, sobretudo na França e na Península Ibérica, um verdadeiro renascimento da escravidão conforme existia na Roma Imperial.

B) os suseranos leigos, formados pela grande nobreza fundiária, distinguiam juridicamente os servos que trabalhavam nos campos dos que produziam nas cidades.

C) mesmo dispondo de grandes propriedades territoriais, os suseranos eclesiásticos não mantinham a servidão nos seus domínios, mas sim o trabalho livre.

D) o sistema de impostos incidia de forma pesada sobre os servos. O imposto da mão morta, por exemplo, era pago pelos herdeiros de um servo que morria para que continuassem nas terras pertencentes ao suserano.

E) as principais instituições sociais que sustentavam as relações entre senhores e servos eram de origem muçulmana, oriundos da longa presença árabe na Europa Ocidental.

Resolução

Alternativa D. Os servos eram a única mão de obra nos feudos e os únicos que pagavam impostos para os seus senhores feudais. Eles tinham que ceder uma parte da produção para os senhores e pagar uma taxa pelo uso dos instrumentos do feudo.

Questão 2 - (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

A) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.

B) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.

C) Vilões e servos estavam presos a várias obrigações, entre elas, o pagamento anual de capitação, talha e banalidades.

D) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos.

E) As relações de produção eram escravocratas.

Resolução

Alternativa C. Os servos eram obrigados a pagar impostos para os seus senhores em troca da estadia deles e de suas famílias dentro dos feudos.

Nota

|1| LE GOFF, Jacques. Para um novo conceito de Idade Média. Lisboa, Estampa, 1980.

Por: Carlos César Higa

Artigos relacionados

Crise do sistema feudal

Entenda os motivos da crise do feudalismo e a transição para o sistema capitalista.

Desenvolvimento da cidade medieval

Saiba mais sobre o desenvolvimento da cidade medieval desde o fim do Império Romano do Ocidente até a crise do século XIV.

Divisões da Idade Média

Saiba mais sobre as divisões da Idade Média e os principais acontecimentos que marcaram esses períodos.

Nobreza feudal

Conheça um pouco mais sobre a nobreza feudal e sua estrutura de organização social no contexto da história medieval.

Peste Negra

Conheça a história da Peste Negra e saiba alguns detalhes dessa terrível pandemia que assolou a Europa no período da Baixa Idade Média.

Relações de servidão no mundo feudal

Saiba como as relações de servidão no mundo feudal, entre nobres e servos, exploraram o trabalho e cobraram altas taxas de impostos aos camponeses e suas famílias, na Idade Média.

Renascimento comercial e urbano da Europa no século XI

Saiba mais sobre o renascimento urbano e comercial europeu que ocorreu a partir do século XI e as transformações ocorridas na Europa com o início das feiras medievais.

Usura na Idade Média

Saiba como era pensada e problematizada a Usura na Idade Média e por quais motivos era considerada uma prática imoral.