Primeira Lei de Mendel

A primeira lei de Mendel também pode ser chamada de lei da segregação dos fatores
A primeira lei de Mendel também pode ser chamada de lei da segregação dos fatores

Conhecido como o pai da genética, Gregor Johann Mendel (1822-1884) foi um monge agostiniano nascido onde hoje é a República Tcheca. Ingressou em um mosteiro ainda muito jovem e lá aprendeu ciências agrárias e muitas técnicas de polinização artificial, que permitiam realizar cruzamentos entre várias espécies de plantas. Através de seus experimentos, Mendel fez muitas descobertas, e respondeu a inúmeras questões sobre hereditariedade.

Uma das razões para o sucesso dos experimentos de Mendel foi o material que ele escolheu para suas pesquisas, a ervilha-de-cheiro (Pisum sativum). Essa leguminosa foi escolhida para as pesquisas por diversos motivos, como:

  • Produz muitas sementes e, consequentemente, grande número de descendentes férteis;
  • Vegetal de fácil cultivo;
  • A planta possui ciclo de vida curto, o que permite a obtenção de várias gerações em um curto espaço de tempo;
  • Variedades de fácil identificação e com características distintas;
  • Facilidade na polinização artificial.

Além das vantagens vistas anteriormente, as ervilhas também apresentavam características simples e facilmente identificáveis como: cor da semente (verde ou amarela), forma da semente (lisa ou rugosa), cor da casca da semente (cinza ou branca), cor da vagem (verde ou amarela), entre outras características. O fato de Mendel ter considerado apenas uma característica de cada vez, sem se preocupar com outras características, contribuiu para o sucesso de suas pesquisas.

Mendel utilizava apenas plantas puras em seus experimentos, ou seja, plantas de sementes amarelas que só originassem plantas com sementes amarelas, e plantas de sementes verdes que só originassem plantas com sementes verdes. Para saber se uma planta realmente era pura, Mendel escolhia as plantas e observava seus resultados ao longo de seis gerações. A cada geração, Mendel observava seus descendentes, e se nenhum deles gerasse sementes de cores diferentes da cor da planta inicial, a planta era considerada pura.

Em seus experimentos Mendel cruzou plantas puras de características diferentes, por exemplo, plantas puras de sementes amarelas com plantas puras de sementes verdes, chamando essa primeira geração de geração parental ou geração P. Os indivíduos descendentes desse primeiro cruzamento apresentavam somente sementes de cor amarela, sendo por isso chamado por Mendel de híbridos, pois descendiam de pais com características diferentes. Mendel chamou a segunda geração de geração F1.

Primeiro cruzamento dando origem à geração F1
Primeiro cruzamento dando origem à geração F1

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em um segundo momento Mendel cruzou entre si os indivíduos obtidos na geração F1, e como resultado desse cruzamento obteve a geração F2, composta por plantas de sementes amarelas e plantas de sementes verdes, na proporção de 3:1.

Segundo cruzamento dando origem à geração F2
Segundo cruzamento dando origem à geração F2

Após essa experiência Mendel verificou que o fator para a cor verde havia desaparecido na geração F1, e por esse motivo chamou o fator para a cor amarela de dominante. Como a cor verde não apareceu na geração F1, mas apareceu na geração F2, Mendel supôs que o fator para essa cor estava escondido, encoberto na geração F1, mas reapareceu na geração F2, sendo por isso chamado de recessivo.

A partir dessa experiência Mendel verificou que algumas características são dominantes sobre outras, sendo que, nesse caso em específico, a cor amarela é dominante sobre a cor verde. Em experimentos feitos com outras partes da planta, como forma das sementes, cor da flor, cor da casca da semente, posição das flores, entre outros, Mendel observou que algumas características sempre se sobressaíam às outras, sendo que certos traços desapareciam em uma geração, reaparecendo na geração seguinte. Dessa forma, Mendel pôde concluir que:

  • Cada organismo vivo possui um par de genes responsável por determinada característica;
  • Os descendentes recebem apenas um gene de cada par, sendo um materno e um paterno;
  • Se um organismo apresentar dois fatores diferentes, pode ocorrer de apenas a característica dominante se manifestar;
  • Os genes são transmitidos através dos gametas;
  • Os filhos herdarão dos pais apenas um gene de cada característica, podendo ocorrer então a manifestação apenas da característica dominante, pois os dois genes se separam (ou seja, se segregam) durante a formação dos gametas, indo apenas um gene para cada gameta.

A partir dessa última conclusão também poderemos chamar a primeira lei de Mendel de lei da segregação dos fatores, ou lei da pureza dos gametas ou ainda, lei da segregação de um par de fatores.


Aproveite para conferir as nossas videoaulas sobre o assunto:

Por: Paula Louredo Moraes

Artigos relacionados

Alelos dominantes e recessivos

Clique aqui e compreenda a diferença entre alelos dominantes e recessivos!

Como analisar um heredograma?

Compreenda aqui como analisar um heredograma passo a passo!

Gregor Mendel

Você já ouviu falar sobre Gregor Mendel? Clique aqui e conheça um pouco mais sobre a vida e as contribuições desse pesquisador.

Homozigoto e heterozigoto

Aprenda a diferença entre homozigoto e heterozigoto e amplie seu conhecimento em Genética!