Borracha Natural

O látex (borracha natural) é extraído da seringueira (Hevea brasiliensis)
O látex (borracha natural) é extraído da seringueira (Hevea brasiliensis)

Inúmeros materiais ao nosso redor são feitos de borracha, tais como os pneus dos carros, as luvas cirúrgicas, os balões de aniversário, os bicos de mamadeira, as borrachas escolares, preservativos e assim por diante. Alguns desses produtos são feitos com borracha natural e outros com borracha sintética.


Produtos feitos com borracha

A borracha natural é obtida na natureza através do látex produzido nas seringueiras (Hevea brasiliensis), que foram mostradas na imagem principal deste texto. O látex é um líquido branco que é recolhido em pequenas tigelas por meio de incisões feitas no caule dessas árvores. Em virtude dessa prática, os indígenas chamam a borracha natural de cauchu, que vem de caa, que significa “madeira”, e o-chu, que é “que chora”, ou seja, “árvore que chora”.

A borracha é um polímero natural de adição, formada pela reação de polimerização com sucessivas adições dos monômeros do isopreno (2-metilbut-1,3-dieno), formando um poli-isopreno:


Reação de polimerização do isopreno para a produção do poli-isopreno

O valor de n, na fórmula acima, é da ordem de 5000.

Essa reação de autopolimerização por adição 1,4 de alcadienos conjugados é feita com o auxílio de uma enzima que atua como catalisadora. Demora sete anos para que uma seringueira atinja a idade de produção de látex. Cada árvore produz diariamente em média 30 g de látex e, em 2005, a produção mundial foi de 8 682 mil toneladas desse material. O Brasil atualmente fornece cerca de 1% do total mundial.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A borracha é um elastômero, ou seja, quando é submetida à tensão, seus arranjos desordenados tornam-se ordenados (esticam-se) e depois retornam ao aspecto original.

Entretanto, a borracha natural formada apenas por látex não é um bom elastômero e possui alta histerese, isto é, demora certo tempo para responder à tensão. Por exemplo, se apertarmos um pedaço de borracha, ela demorará a voltar ao seu formato original. Além disso, ela possui algumas características que dificultam seu amplo uso, como o fato de que, em dias frios, ela fica dura e quebradiça; enquanto em dias quentes, ela amolece, porque o oxigênio do ar vai com o tempo quebrando as ligações duplas por meio de reações de oxidação.

Para resolver esses problemas e tornar a borracha pronta para ser usada na produção dos materiais que mencionamos, a borracha natural passa por um processo denominado vulcanização.

Leia sobre esse processo no texto: Vulcanização da borracha.

Imitando a reação de polimerização que ocorre na seringueira, os químicos realizam reações de adição semelhantes em laboratório e produzem as borrachas sintéticas. Veja mais sobre esses tipos de borrachas e suas produções aqui: Borrachas sintéticas. Elas são mais usadas na produção de pneus para automóveis. Mas ainda não se conseguiu produzir um tipo de borracha que seja exatamente igual à borracha natural, porque o polímero dela é gigantesco, como mostrado pela representação abaixo da estrutura molecular do poli-isopreno:


Estrutura molecular do poli-isopreno, o principal constituinte da borracha natural

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça

Artigos relacionados

Alcaloides

Você sabia que a morfina, a cocaína, a nicotina e a cafeína pertencem ao grupo dos alcaloides? Saiba mais sobre esses compostos lendo este texto.

Polimetilmetacrilato (acrílico)

O acrílico ou plexiglass é, na verdade, o polimetilmetacrilato (PMMA). Saiba mais sobre esse polímero por meio deste artigo!

Reação de Adição em Alcadienos

Entenda como ocorrem as reações de adição em alcadienos ou dienos isolados, conjugados e acumulados.

Regra de Markovnikov

Conheça a regra de Markovnikov e entenda quais são os produtos principais formados em reações orgânicas de adição de haletos de hidrogênio e de água.