Analisando a regência dos verbos namorar e precisar

A regência verbal, sem dúvida, representa um daqueles inevitáveis questionamentos quando se trata dos fatos linguísticos. Em muitas situações, mesmo aquelas relacionadas à linguagem escrita, deixamos de utilizar as formas verbais de forma correta. No entanto, à medida que vamos nos tornando um pouco mais familiarizados com as questões gramaticais, a tendência é ir internalizando-as  e, consequentemente, colocando-as em prática, sempre que necessário.

Partindo desse princípio, dada a necessidade de aprimorarmos constantemente algumas competências, o artigo em questão tem por finalidade evidenciar acerca da regência que norteia alguns verbos – triviais, por sinal – sempre compreendendo que a regência se refere à relação existente entre um determinado verbo e seus respectivos complementos, sendo que tal pressuposto incide diretamente no uso ou não da preposição.

Vamos então a algumas explicações:

O verbo namorar, tendo em vista o padrão formal da linguagem, classifica-se como transitivo direto. Observe:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

João namora Cláudia.

No entanto, por analogia e, sobretudo, tendo por base as expressões “casar com” e “noivar com”, tal verbo passou a ocupar também a posição de transitivo indireto, como bem nos demonstra o exemplo subsequente:

João namora com Cláudia.

Na qualidade de intransitivo ele não pede complemento, adquirindo a acepção semântica relativa a “andar de galanteios, ter namorado (a)”. Constate:

Marcos namora muito.

Quanto ao verbo “precisar”, usualmente, na linguagem relativa ao português contemporâneo, admitem-se duas colocações:

- Quando o complemento é um substantivo ou pronome, o correto é usarmos a preposição. Nesse caso ele se classifica como transitivo indireto. Analise:

Precisamos de você.

Preciso de cuidado.

- Quando o complemento é um verbo no infinitivo, a preposição não é exigida, observe:

Preciso viajar.

Precisamos sair agora.

A regência verbal consiste na relação entre o verbo e seus complementos

A regência verbal consiste na relação entre o verbo e seus complementos

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos relacionados

Classificação dos verbos quanto à predicação

Atenha-se aos seus principais aspectos!

Os verbos e as dúvidas

Amplie seus conhecimentos em relação a este assunto.

Regência Verbal

A regência verbal, assim como os demais fatos linguísticos, é bastante importante na construção de nossos discursos. Atenha-se a alguns detalhes aqui!

Regência do verbo implicar

A regência do verbo implicar será definida dependendo do sentido que ele apresenta. Saiba mais desse assunto clicando aqui!

Regência do verbo “assistir”

Aprenda sobre um verbo que possui dupla regência, o verbo assistir, que pode, dependendo do significado que expressa, ser classificado como verbo transitivo direto ou verbo transitivo indireto. Amplie seu conhecimento linguístico por meio da análise desse caso no qual ocorre uma diversidade de regência.

Regências diferentes e um só complemento

Ao contrário do que dizem alguns gramáticos, verbos com diferentes regências podem ser expressos com um só complemento. Clique e confira!

Transitividade e Intransitividade verbal

Conheça sobre a natureza linguística de alguns verbos

Verbos - aspectos estruturais

Constate acerca de importantes pressupostos que nortearão seus conhecimentos!