Regências diferentes e um só complemento

Tendo em vista o padrão formal da linguagem, enunciados como estes apresentados logo abaixo carecem de um olhar mais apurado, observe: 

Li e gostei do livro.

Entrei e saí da sala imediatamente.

O primeiro aspecto que incide na problemática posta em questão reside no fato de que em ambos os exemplos há dois verbos que se constituem de regências diferentes, ou seja:

Lemos algo e gostamos de algo – transitivo direto e indireto, respectivamente.

Entramos em algum lugar e saímos de algum lugar – temos a mesma transitividade, porém com complementos diferentes. Dessa forma, caso fôssemos reformular tais enunciados, esses seriam expressos da seguinte forma:

Li o livro e gostei dele.

Entrei na sala e saí dela imediatamente.

Concluímos, portanto, que mesmo em se tratando da concepção de alguns gramáticos (os quais revelam ser necessário o uso de ambos os complementos), o português brasileiro nos revela que quando houve uma menção anterior, não se faz necessário repetir o complemento, haja vista que ele existe, porém implícito. Trata-se de uma comodidade linguística, a qual confere tão somente agilidade ao enunciado. Assim sendo, ao analisarmos os exemplos expressos a seguir, constataremos tal aspecto:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

* A que horas chega ao trabalho? - Chego (ao trabalho) às sete horas.

* Será que ela gosta deste prato?- Acredito que gosta (deste prato)

Na linguagem literária e na linguagem do dia a dia é bastante comum constatarmos o uso de verbos que apesar de serem constituídos de regências distintas são expressos com apenas um complemento. A título de reforçarmos a afirmativa, vejamos o que nos diz Evanildo Bechara, em sua Moderna Gramática Portuguesa:

“Ao gênio de nossa língua, porém, não repugnam tais fórmulas abreviadas de dizer, principalmente quando vêm dar à expressão uma agradável concisão que o giro gramaticalmente lógico nem sempre conhece (...) Salvo as situações de ênfase, (...), a língua dá preferência às construções abreviadas que a gramática insiste em condenar” .

Verbos de regências distintas podem ser expressos com apenas um complemento

Verbos de regências distintas podem ser expressos com apenas um complemento

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos relacionados

Analisando a regência dos verbos namorar e precisar

Constate acerca de alguns importantes pressupostos!

Regência do verbo implicar

A regência do verbo implicar será definida dependendo do sentido que ele apresenta. Saiba mais desse assunto clicando aqui!

Regência do verbo “assistir”

Aprenda sobre um verbo que possui dupla regência, o verbo assistir, que pode, dependendo do significado que expressa, ser classificado como verbo transitivo direto ou verbo transitivo indireto. Amplie seu conhecimento linguístico por meio da análise desse caso no qual ocorre uma diversidade de regência.

Regência dos verbos com sentido de movimento ou estático

A regência dos verbos com sentido de movimento ou estático está relacionada ao uso correto da preposição.