Segundo Triunvirato

O Segundo Triunvirato surgiu logo após o assassinato de Júlio César, em 44 a.C. O poder em Roma foi dividido entre três militares aliados de César:

  • Marco Antônio
  • Lépido
  • Otávio

Cada integrante do novo triunvirato assumiu o controle de uma região dominada por Roma. Marco Antônio comandou o Oriente; Lépido, a África; e Otávio, o Ocidente. A rivalidade entre os generais aumentou por causa da disputa pelo poder romano. Após várias batalhas entre eles, Otávio saiu vitorioso e, em 30 a.C., tornou-se o primeiro imperador romano.

Leia mais: Pax Romana – políticas que procuravam garantir uma aparente paz ao Império Romano

Contexto histórico do Segundo Triunvirato

As conquistas romanas extrapolaram as fronteiras da cidade e alcançaram as mais distantes regiões do mundo antigo. Ocidente, Oriente e o norte da África estavam sob o domínio de Roma. Por causa das conquistas militares, do exército temido e bem treinado e das riquezas que essas conquistas proporcionavam aos romanos, os generais ganharam poderes políticos, ameaçando a república.

Em 79 a.C., Júlio César propôs a Crasso e Pompeu uma aliança política para pacificar as disputas pelo poder em Roma. Era o Primeiro Triunvirato. Entretanto, as rivalidades entre os três não cessou. Crasso foi lutar na Síria e foi assassinado. César e Pompeu começaram uma guerra civil, ameaçando a já fragilizada estabilidade da república.

Com a morte de Pompeu no Egito, o Senado concedeu a Júlio César o título de ditador. O povo romano aclamava o novo ditador, que era cônsul, tribuno, sumo sacerdote e comandante do exército. Esse poder excessivo nas mãos de César começou a incomodar o Senado. Temia-se o retorno da monarquia e César sendo coroado rei de Roma. Caso isso acontecesse, era o fim da república e o Senado não teria mais poder sobre Roma. Bruto e Cássio, ambos senadores, planejaram a morte de César.

Em 44 a.C., dentro do Senado romano, Júlio César foi assassinado a facadas pelos senadores. Acreditava-se que, com a sua morte, os senadores voltariam a ter o poder sobre os generais, mas não foi isso que aconteceu.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Por que foi criado o Segundo Triunvirato?

Logo após a morte de César, a tão esperada estabilidade na república não aconteceu. Mesmo morto, o antigo ditador ainda exercia influência na política romana. Em 43 a.C., formou-se o Segundo Triunvirato, cujos participantes eram generais ligados a César: Marco Antônio, cônsul, Lépido, chefe da ordem dos cavaleiros, e Otávio, sobrinho e filho adotivo de César. Os generais ainda mantinham o poder na república romana mesmo após a morte de César. Apesar de formado o novo triunvirato, as rivalidades entre os três integrantes não tardaram a acontecer.

O imenso território conquistado por Roma foi dividido entre o triunvirato:

  • Marco Antônio, comandando o Oriente;
  • Lépido, comandando a África;
  • Otávio, comandando o Oriente.

Apesar do imenso poder que já tinham, a rivalidade entre eles só aumentou. Os triúnviros queriam a supremacia política de Roma, o controle total de todo território conquistado. Marco Antônio foi ao Egito e estabeleceu uma aliança com Cleópatra, rainha do Egito, por quem se apaixonou. Essa aliança fortaleceu Marco Antônio, que derrotou Lépido e rompeu a aliança política com Otávio. Tal qual no Primeiro Triunvirato, Roma assistiu a seus líderes generais em guerra civil pelo poder total dos romanos.

Fim do Segundo Triunvirato

Mais uma guerra civil em curto espaço de tempo deixou claro que a crise na república era definitiva. Os senadores já não tinham mais poderes de decisão. Eram os generais quem disputavam o poder em Roma, guerreando entre si para saber-se qual era o mais poderoso.

Em 32 a.C., as tropas orientais, sob o comando de Marco Antônio, entraram em guerra contra as tropas ocidentais de Otávio. Novamente o exército romano brigava entre si. O vencedor do confronto foi Otávio. Ele entrou triunfalmente no Egito e transformou-o em província romana. A vitória de Otávio representou não apenas o fim do Segundo Triunvirato, mas também a transição da república para o império.

Veja também: Legado romano – heranças culturais e intelectuais deixadas pelos romanos

Transição da república para o império na Roma Antiga

A crise republicana em Roma está ligada ao êxito do exército no combate a outros povos. As riquezas e os escravos que essas guerras traziam para a cidade só enfraqueciam o poder dos senadores e aumentavam a participação política dos generais. Júlio César se tornou ditador, foi assassinado no Senado romano, mas sua força política sobreviveu.

Os generais que compuseram o Segundo Triunvirato eram aliados de César. A tão esperada estabilidade na república e o fortalecimento de suas instituições não aconteceram. O novo triunvirato repetiu muitas ações já feitas pelos primeiros triúnviros:

  • comando das províncias romanas
  • guerra civil pelo poder total de Roma

Otávio foi o vencedor da guerra contra Marco Antônio e tornou-se, em 30 a.C., o primeiro imperador de Roma. Otávio era da linhagem de César, ou seja, por mais que os senadores tentassem acabar com a presença do ditador em Roma, ela se perpetuou em Otávio, que, a partir da sua ascensão ao império, passou a chamar-se Otávio Augusto.

Otávio derrotou Marco Antônio e pôs fim no Segundo Triunvirato, dando início ao período imperial em Roma como o primeiro imperador romano, em 30 a.C.
Otávio derrotou Marco Antônio e pôs fim no Segundo Triunvirato, dando início ao período imperial em Roma como o primeiro imperador romano, em 30 a.C.

Resumo sobre o Segundo Triunvirato

  • O Segundo Triunvirato surgiu logo após a morte de Júlio César. Era composto por Marco Antônio, Lépido e Otávio Augusto.
  • Guerra Civil: Marco Antônio x Lépido e Marco Antônio x Otávio.
  • A vitória de Otávio marcou a transição do período republicano para o imperial em Roma. Ele se tornou o primeiro imperador em 30 a.C.

Acesse também: Crise no Império Romano – fatores que levaram à fragmentação do império

Exercícios resolvidos

Questão 1 - Assinale a alternativa que corretamente aponta os três generais que fizeram parte do Segundo Triunvirato:

A) Júlio César, Lépido e Crasso

B) Crasso, Pompeu e Otávio

C) Marco Antônio, Lépido e Otávio

D) Júlio César, Otávio e Pompeu

Resolução

Alternativa C. O Segundo Triunvirato, formado pela aliança entre Marco Antônio, Lépido e Otávio, reforçou a crise republicana e abriu as portas para o período imperial.

Questão 2 - Otávio foi o primeiro imperador romano, em 30 a.C. Para isso, ele precisou derrotar as tropas de Marco Antônio. Assinale a alternativa que corretamente cita a causa da guerra entre os dois triúnviros:

A) queriam a supremacia política em Roma.

B) representavam senadores que disputavam o poder no Senado.

C) entraram em guerra por divergências religiosas.

D) Otávio assassinou Marco Antônio para que este não se tornasse rei de Roma.

Resolução

Alternativa A. Desde o início do Segundo Triunvirato, em 43 a.C., os integrantes do triunvirato não estavam contentes em comandar apenas uma parte do imenso território conquistado por Roma. Eles queriam mais, e a disputa pelo poder total motivou a guerra civil entre eles.

Por: Carlos César Higa

Artigos relacionados

Crise do Império Romano

Saiba mais a respeito da crise do Império Romano, que resultou na sua fragmentação a partir de 476 d.C.

Invasões bárbaras

Acesse para saber mais sobre as invasões bárbaras, também conhecidas como invasões germânicas. Veja quem eram os povos germânicos e por que eles migraram.

Monarquia Romana

Conheça a história do período inicial da cidade de Roma, a partir de sua fundação e da implantação de uma monarquia.

O Império Romano

Tanto as províncias quanto os povos conquistados passaram a pagar tributos ao Império Romano.

O pão e circo romano

Clique aqui e entenda em que consistiu a política romano do pão e circo!

Os verdadeiros gladiadores

Estudos mostram que os gladiadores não eram tão exuberantes como os representados pelo cinema. Saiba mais!