Recursos naturais e desenvolvimento sustentável

O principal desafio da política do desenvolvimento sustentável é encontrar um equilíbrio entre a exploração dos recursos naturais e a conservação desses.

A expressão desenvolvimento sustentável conheceu a sua popularidade a partir do início dos anos 1990 e refere-se ao uso dos recursos naturais de forma a não esgotá-los, mantendo ou renovando os ciclos de reposição. No âmbito desse entendimento, considera-se que o homem deve preservar (proteger, manter resguardada) e conservar (utilizar racionalmente, renovar) a natureza.

Para entender as principais questões concernentes ao desenvolvimento sustentável, é preciso, pois, que se tenha uma compreensão sobre os tipos e as formas de uso dos recursos naturais, isto é, os elementos da natureza que são utilizados pelo homem para a manutenção de sua existência. Eles são comumente divididos em recursos renováveis e recursos não renováveis.

Recursos renováveis são aqueles elementos que são repostos ou que podem ser reaproveitados ou revitalizados após o seu uso. Exemplos: ar, água, solos, vegetações. Todos esses exemplos são de elementos que se renovam naturalmente ou através da ação humana (como no caso das vegetações que se renovam através do reflorestamento).

Recursos não renováveis são aqueles em que não possibilidade de renovação em um período de curto ou médio prazo. Exemplo: petróleo, minérios, entre outros.

Assim, em tese, para manter um uso racional dos recursos oferecidos pela natureza, é necessário utilizar-se mais dos recursos renováveis e menos dos recursos não renováveis. No entanto, a questão não é tão simples assim.

É preciso compreender, primeiramente, que os recursos renováveis não são necessariamente duráveis por longos períodos do tempo, isto é, sua disponibilidade poderá se extinguir, principalmente se não houver um sistema de conservação ou de preservação. Por isso, torna-se importante a adoção de medidas para minimizar os impactos da exploração da natureza.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Além disso, é preciso considerar as questões qualitativas dos processos de renovação da natureza. Por exemplo, uma floresta rica em nutrientes que foi desmatada para a utilização de sua madeira na fabricação de móveis pode ser reflorestada, dando origem a uma nova floresta pobre em nutrientes e com baixo índice de diversidade, causando prejuízos ao ecossistema ao qual ela pertence.

É preciso lembrar também da importância do tempo nos processos de renovação dos recursos naturais. Algumas espécies de vegetais, considerando o exemplo acima citado, demoram vários anos para se tornarem adultas e oferecerem nutrientes, frutos e alimentos para a natureza. Nesse meio tempo, muitos prejuízos podem ser causados à natureza. Por esse motivo, pensar em sustentabilidade é ir além do famoso discurso do “plantar duas árvores a cada uma que for derrubada”.

Dessa forma, pensar em desenvolvimento sustentável é pensar em mais do que simplesmente não utilizar os recursos não renováveis em detrimento dos renováveis. Uma economia sustentável, para ser operada, requer o conservasionismo dos elementos da natureza, minimizando os seus impactos sem, no entanto, deixar de atender às necessidades básicas da população.

Outro ponto importante é a redução do consumo. Estudos apontam que se toda a população do planeta seguisse os padrões norte-americanos de consumo, a humanidade precisaria de mais dois planetas e meio! Por isso, não é possível pensar em desenvolvimento sustentável sem considerar a redução dos excessos consumistas, bem como a realização de uma distribuição de riquezas, que minimizem casos de desigualdade no acesso às riquezas produzidas pela natureza.

A humanidade precisa encontrar o equilíbrio entre consumo e renovação dos recursos naturais

A humanidade precisa encontrar o equilíbrio entre consumo e renovação dos recursos naturais

Por: Rodolfo F. Alves Pena

Artigos relacionados

Problemas Ambientais Globais

Confira esta análise introdutória sobre os principais problemas ambientais globais.

Unidades de conservação

O conceito e os principais tipos e características das unidades de conservação.

Política dos 5rs

Conheça e entenda a importância da política dos 5rs, o conjunto de medidas pautado em repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar.

Recursos naturais estratégicos

Um debate sobre os principais recursos naturais estratégicos da atualidade, com ênfase na questão da água e do petróleo.

Ecomalthusianismo

Entenda o que é o ecomalthusianismo, o que defende essa teoria e quais são as críticas a ela direcionadas.

Ação antrópica

Clique para entender o que é ação antrópica e os seus reflexos no meio ambiente. Com este texto, você compreenderá melhor os impactos provocados pelas alterações feitas pelo homem no meio ambiente, sejam eles positivos, sejam negativos. Saberá também quais são as ações que favorecem a conservação do meio ambiente.

Ibama

Você sabe o que é Ibama? Clique aqui, entenda o que é essa sigla, e conheça o importante papel desse instituto na preservação do meio ambiente.

Greenpeace

Greenpeace, o que é Greenpeace, onde atua o Greenpeace, o Greenpeace no Brasil, como campanhas realizadas pelo Greenpeace no Brasil.

Ecossistema

Ecossistema, planeta, Terra, superfície, paisagens naturais, florestas tropicais, Savanas, Estepes e pradarias, Vegetação desértica, florestas temperadas, tundra, climática, relevo, raios solares, floresta Amazônica.

Desmatamento

Entenda as principais causas do desmatamento e conheça algumas das soluções possíveis para o problema. Veja o que essa prática gera para o planeta.