Monocultura

Monocultura é uma prática agrícola realizada em grandes áreas, nas quais são cultivadas um único produto. Essa prática está associada a diversos problemas ambientais.

Monocultura é a produção agrícola de um único produto/espécie vegetal. Pode referir-se também à criação de um único tipo de animal em uma grande propriedade rural.

Características da monocultura

A monocultura normalmente é realizada em latifúndios (grandes propriedades rurais). O monocultivo é quase sempre voltado à exportação, ou seja, o cultivo ou a criação são voltados para o abastecimento do mercado internacional.

Essa prática agrícola está associada a diversos problemas ambientais, como o desmatamento. Para que seja possível sua realização, é necessário que grandes extensões de terra sejam desflorestadas. Outro problema é a consequente perda de biodiversidade na área destinada à monocultura, bem como o esgotamento do solo, visto que apenas uma espécie é cultivada, levando-o, então, à exaustão.

Outra característica da monocultura é a presença do intenso uso de agrotóxicos. Uma mesma espécie cultivada tende a criar um único ciclo de pragas, podendo prejudicar a plantação, considerando-se que não há rompimento desse ciclo. Sendo assim, torna-se imprescindível o uso de defensivos agrícolas para contenção de pragas, ervas daninhas e doenças.

Leia também: Agricultura intensiva e meio ambiente

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Etapas do monocultivo

Primeiramente, ocorre a retirada da cobertura vegetal para a área destinada ao cultivo ou à criação. Posteriormente, há o preparo do solo com técnicas, como aração (técnica de inversão das camadas do solo) ou gradagem (etapa realizada após a aração do solo que consiste em romper os torrões deixados pelo processo de aração, fazendo com que o solo fique plano). Preparado o solo, escolhe-se uma espécie ou criação, assim, um único produto é cultivado ou criado repetidas vezes numa mesma área.

Monocultura no Brasil

A monocultura faz parte da estrutura fundiária do Brasil desde que o país iniciou suas atividades agropecuárias. O primeiro monocultivo foi o da cana-de-açúcar, na Região da Zona da Mata, no Nordeste do Brasil; em São Paulo e em Minas Gerais. Essa produção era voltada para a exportação, com destino aos países europeus.

Com a Revolução Verde e a inserção de novas técnicas agrícolas, aumentaram-se ainda mais as monoculturas em todo o país. A indústria associou-se com as práticas agrícolas, e o país passou a produzir monocultivos em larga escala para a exportação.

O café, por um longo período, foi o principal produto agrícola no cenário de produção para exportação, sendo então o principal produto de exportação da economia brasileira no início do século XX. O café era cultivado especialmente nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Seu cultivo normalmente estava associado à mão de obra escrava e péssimas condições de trabalho em grandes latifúndios.

Leia mais: A origem do café

Atualmente, a soja é o principal produto de exportação do Brasil. O país é o segundo maior produtor (estando atrás apenas dos Estados Unidos) e o maior exportador de soja do mundo. De acordo com a Empraba, na safra 2016/2017, a produção de soja ocupou uma área de 33,89 milhões de hectares, resultando em uma produção de 113,92 milhões de toneladas de soja.

O Brasil ocupa a terceira posição no ranking de exportações agrícolas no mundo. A produção agrícola alcançou, em 2017, cerca de R$ 319 bilhões, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O gerente de agricultura do IBGE, Alfredo Guedes, divulgou que as condições climáticas auxiliam as monoculturas, impulsionando especialmente a produção de soja e milho no país.

Saiba mais: A economia canavieira

Apenas 14 municípios do país não realizam atividades agrícolas, dentre os 5.570 municípios. São Paulo é o maior produtor agrícola, seguido dos estados de Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Observe a distribuição da produção agrícola por regiões, segundo dados do IBGE:

Produção agrícola por regiões

Dentre os municípios, Sorriso, no Mato Grosso, configura o primeiro lugar no ranking de produção agrícola, tendo como principal produto a soja. É seguido por Sapezal, também no Mato Grosso, tendo como principal produto o algodão. O açaí é o principal cultivo da Região Norte. No Nordeste, Centro-Oeste e Sul, a soja é dominante como monocultura. Na região Sudeste, a cana-de-açúcar é o principal monocultivo.

O Brasil possui o que chamamos de crédito rural. Esse crédito representa um financiamento que se destina aos produtores rurais, cooperativas e associações de produtores rurais, cujos objetivos são incentivar investimentos e ajudar com os custos da produção e comércio dos produtos agropecuários, segundo o Governo do Brasil. Esse financiamento impulsiona o crescimento das monoculturas no país.

Veja, a seguir, o ranking das principais culturas de comercialização associadas à aplicação de crédito rural:

Crédito rural e culturas de comercialização no Brasil

Monocultura e policultura

A policultura, ao contrário da monocultura, é uma prática agrícola que representa o cultivo de várias espécies vegetais ou animais em uma mesma área. Normalmente, a policultura é voltada para o abastecimento do mercado interno e realizada por pequenos produtores rurais. O trabalho realizado na policultura geralmente é familiar, e parte da produção destina-se à subsistência. Diferente da monocultura, a policultura provoca menos danos ao meio ambiente, implica menor emprego tecnológico e normalmente há pouco uso de defensivos agrícolas.

Saiba mais: O que é agricultura orgânica?

Policultura
A policultura é a prática agrícola pela qual são cultivadas ou criadas diversas espécies de vegetais ou diversas espécies animais.

Consequências da monocultura para o meio ambiente

A prática da monocultura está associada a inúmeros problemas causados no meio ambiente. Para que essa atividade seja realizada, é preciso retirar uma enorme área de cobertura vegetal. O desmatamento provoca, além de alterações climáticas, perda de biodiversidade, pois inúmeros animais perdem seu habitat, e também desequilíbrio ecológico, forçando várias espécies a migrarem para outros locais.

Desmatamento
O desmatamento é um dos principais problemas ambientais associados à prática da monocultura.

Solo

Outro problema ambiental é a questão do solo. O cultivo de uma única espécie em uma mesma área sem alternância pode provocar a exaustão ou o esgotamento dos nutrientes do solo.

O solo também sofre com o uso de agrotóxicos na monocultura. O uso incorreto dos defensivos agrícolas pode acarretar contaminação do solo e, também, dos lençóis freáticos. A consequência dessa contaminação é o desequilíbrio da vida aquática e também a intoxicação dos seres vivos, provocando possíveis doenças nos seres humanos.

Expansão da monocultura

Diversas monoculturas têm expandido suas fronteiras no território brasileiro. A soja é a monocultura em maior expansão, principalmente no Centro-Oeste do país. A cana-de-açúcar expandiu suas áreas também nessa mesma região. O cultivo de eucalipto, laranja e café também é expressivo e vêm crescendo, majoritariamente, nas regiões Sudeste e Nordeste do Brasil.

Expansão da produção de eucalipto
A monocultura de eucalipto está crescendo na região Sudeste, principalmente no estado do Rio de Janeiro.

Leia mais: Economia açucareira no Brasil

Vantagens e desvantagens da monocultura

Vantagens

Desvantagens

O tempo de produção da monocultura é reduzido.

Ocorrem empobrecimento e exaustão do solo.

A produção apresenta custos reduzidos.

Por cultivar uma única espécie, apresenta favorecimento para o ciclo de pragas e doenças em larga escala.

O uso de agrotóxicos é facilitado, visto que o ciclo de pragas é mantido.

Há desmatamento de grandes áreas.

A produção é bastante expressiva no mercado externo.

Há perda da biodiversidade e desequilíbrio ecológico.

O Governo Federal oferece financiamentos, conhecidos como crédito rural.

Uso irracional e irregular dos recursos hídricos para irrigação.

No Brasil, uma das principais monoculturas é representada pela soja, produto bastante exportado pelo país.

No Brasil, uma das principais monoculturas é representada pela soja, produto bastante exportado pelo país.

Por: Rafaela Sousa

Artigos relacionados

Ação antrópica

Clique para entender o que é ação antrópica e os seus reflexos no meio ambiente. Com este texto, você compreenderá melhor os impactos provocados pelas alterações feitas pelo homem no meio ambiente, sejam eles positivos, sejam negativos. Saberá também quais são as ações que favorecem a conservação do meio ambiente.

Café

Conheça mais sobre o café clicando aqui! Neste texto falaremos sobre o cafeeiro e sobre os benefícios e malefícios do consumo do café.

Matriz energética brasileira

Conheça mais sobre a matriz energética brasileira, conjunto de fontes de energia disponíveis no Brasil para o suprimento da demanda energética do país. Saiba quais são os tipos de fontes de energia que compreendem a matriz brasileira, bem como as vantagens e desvantagens desse modelo energético.

Revolução Verde

Clique aqui e entenda o processo da Revolução Verde. Saiba quais são as suas principais características, vantagens e desvantagens.