Amapá

A Amapá é um estado do Brasil. Ele está localizado na região Norte do país. Sua história é marcada pelas disputais territoriais entre as principais potências do período colonial. Já a sua geografia é caracterizada pela presença da Floresta Amazônica, reconhecida pela elevada biodiversidade e importância ambiental. O estado possui 16 municípios, sendo governado em âmbito estadual por Waldez Góes (2019-2022).

A população do Amapá é pequena e está concentrada na capital do estado. Os deslocamentos pelo território ocorrem pelo uso de uma infraestrutura de rodovias e, ainda, via navegação, por meio dos grandes rios da região. Os rios também possuem importância econômica para o estado, pela prática da pesca. Além disso, a economia amapaense está voltada para atividades de extrativismo vegetal e mineral. A principal manifestação cultural do Amapá é o marabaixo.

Leia também: Pobreza no Brasil – fenômeno persistente em nossa sociedade

Dados gerais do Amapá

  • Região: Norte

  • Capital: Macapá

  • Governo: Waldez Góes (2019-2022)

  • Área territorial: 142.470 km² (IBGE, 2019)

  • População: 861.773 hab. (IBGE, 2020)

  • Densidade demográfica: 4,69 hab./km² (IBGE, 2010)

  • Fuso horário: UTC -3

  • Clima: Equatorial

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

História do Amapá

A história do Amapá está diretamente ligada ao processo de colonização do Brasil assim como às disputas territoriais empreendidas pelas potências mundiais da época. Conforme os acordos diplomáticos entre Portugal e Espanha, o território atual do Amapá pertencia aos espanhóis, por meio do Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494.

Contudo, o mesmo território foi doado, em 1637, para o explorador português Bento Maciel Parente, sendo nomeado Capitania da Costa do Cabo Norte. Mesmo com a posse portuguesa, o referido território sofreu com inúmeras invasões de ingleses, holandeses, espanhóis e franceses.

A França, inclusive, ocupou o território militarmente em 1697, mas acabou sendo derrotada pelos portugueses. O conflito diplomático, assim como o estabelecimento de fronteiras internacionais, foi solucionado por meio da assinatura do Tratado de Utrecht, que assegurou a posse portuguesa do território amapaense.

com a independência do Brasil, em 1822, o Amapá passou a integrar o Pará. Mesmo com a ocupação portuguesa, novas incursões militares, principalmente francesas, foram realizadas na região, sendo que, em 1900, novos acordos internacionais garantiram a posse do território amapaense pelo governo brasileiro. Desde então, a região passou a ser ocupada de forma gradual, em especial, com o desenvolvimento de atividades econômicas, como o extrativismo.

O Amapá continuou ligado territorialmente ao Pará, até que, em 1943, foi criado o território federal do Amapá. O objetivo era estabelecer maior autonomia da região e desenvolver a ocupação do território pelas atividades humanas. Já em 1988, com o advento da Constituição Brasileira de 1988, foi oficialmente criado o estado do Amapá.

Mapa do Amapá

Fonte: IBGE.
Fonte: IBGE.

Veja também: Mapa do Brasil – representação cartográfica do território brasileiro

Geografia do Amapá

O Amapá está localizado na região Norte do Brasil. O território amapaense faz divisa com o estado do Pará, e, ainda, está localizado na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa e o Suriname, além de ser banhado pelo oceano Atlântico.

O relevo predominante no Amapá é plano, em especial ao longo do litoral, sendo que, no interior do estado, ocorrem formações de planalto, com a presença de morros e serras. As duas principais serras do Amapá são a Serra Lombarda e a Serra do Tumucumaque.

O clima do Amapá é do tipo Equatorial, caracterizado pela alta pluviosidade e temperatura. Já a vegetação predominante é a Tropical, sendo que cerca de 70% do território amapaense são cobertos pela Floresta Amazônica. A rede hidrográfica do estado é formada por rios caudalosos que possuem grande importância econômica para a região, sendo os mais importantes: Jari e Oiapoque.

O rio Oiapoque é um dos principais rios do Amapá. Ele é uma fronteira natural entre o Brasil e a Guiana Francesa.
O rio Oiapoque é um dos principais rios do Amapá. Ele é uma fronteira natural entre o Brasil e a Guiana Francesa.

Divisão geográfica do Amapá

O Amapá é um dos menores estados brasileiros em extensão territorial. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Amapá possui 16 municípios, que estão divididos em duas grandes regiões geográficas intermediárias, também chamadas de mesorregiões, sendo elas Macapá e Oiapoque/Porto Grande.

Cada uma dessas mesorregiões é dividida em outras duas microrregiões, também chamadas de regiões geográficas imediatas, sendo elas Macapá e Laranjal do Jari, e Oiapoque e Porto Grande. Os 16 municípios que formam o Amapá são:

Amapá

Itaubal

Oiapoque

Santana

Calçoene

Laranjal do Jari

Pedra Branca do Amapari

Serra do Navio

Cutias

Macapá

Porto Grande

Tartarugalzinho

Ferreira Gomes

Mazagão

Pracuúba

Vitória do Jari

Demografia do Amapá

O estado do Amapá possui uma população de 861.773 habitantes, de acordo com dados estimados pelo IBGE. Considerando-se o cenário populacional dos estados brasileiros, o Amapá é o segundo estado menos populoso do Brasil, logo depois de Roraima. Em razão da baixa população absoluta, o Amapá possui baixa densidade demográfica, menos de cinco habitantes por quilômetro quadrado. A maior cidade é a capital, Macapá, com cerca de 400 mil habitantes. Além da capital, a outra única cidade que apresenta mais de 100 mil habitantes é Santana, com cerca de 120 mil. O restante do estado é formado por cidades pequenas em população.

Economia do Amapá

A economia do Amapá está voltada principalmente para o setor primário, com destaque para o extrativismo mineral e vegetal. A extração de minérios, com destaque para o manganês e o ouro, gera muitas divisas para o estado. Além disso, extração de bens vegetais, como a madeira e a castanha-do-pará, é importante para a economia amapaense.

Na agricultura, destacam-se cultivos como arroz e mandioca, e a presença de rebanhos bovinos, na pecuária. No cenário agropecuário, muitos cultivos estão voltados para a subsistência, assim como a pesca, amplamente praticada pela população do estado.

Já o setor secundário é praticamente inexistente no Amapá, sendo que o estado possui apenas pequenas indústrias voltadas para transformação de produtos vegetais e minerais extraídos localmente.

Por sua vez, o setor terciário apresenta grande importância, em razão de contribuir para grande parte da geração de emprego e renda no estado. O grande volume de pessoas vinculadas ao serviço público, assim como às atividades de comércio, contempla a geração de divisas nesse setor. Além disso, atividades de turismo em nível regional também possuem destaque na economia do estado.

Governo do Amapá

O governo do Amapá é formado pela mesma estrutura administrativa do Brasil, sendo composto pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. O atual governador do Amapá é Waldez Góes, sendo Jaime Nuner o vice, e seus mandatos vão até 2022. O Amapá está representado na Câmara federal por oito deputados federais e no Senado federal por três senadores. Já em âmbito estadual, a Câmara legislativa do estado é composta por 24 deputados estaduais.

Bandeira do Amapá.
Bandeira do Amapá.

Infraestrutura do Amapá

O Amapá tem uma infraestrutura básica com ainda algumas deficiências em razão do isolamento do seu território assim como da pouca importância econômica do estado. Para o deslocamento de pessoas e serviços, encontram-se no Amapá:

  • duas rodovias federais;

  • quatro rodoviais estaduais;

  • portos;

  • um aeroporto internacional;

  • uma ponte binacional, que liga o Brasil até a Guiana Francesa.

Já no âmbito de serviços para a população, o Amapá possui uma rede pública de educação formada por escolas municipais, estaduais e federais, além da rede particular. O estado conta ainda com uma universidade federal, uma universidade estadual, um instituto federal, além de várias faculdades particulares. Já na sua saúde, a estrutura do estado ainda é insatisfatória, formada por pequenos estabelecimentos de saúde de cobertura regional e uma maternidade situada na capital do estado.

Acesse também: Urbanização – processo de crescimento populacional e territorial das cidades

Cultura do Amapá

A cultura do Amapá recebeu fortes influências indígenas e africanas e ainda possui estreita relação com o estado do Pará. A culinária típica do estado é constituída por alimentos como açaí, mandioca, camarão e peixe. Já os festejos locais apresentam relação direta com as práticas religiosas, sendo que a maior parte da população do estado é católica.

No estado, o marabaixo, manifestação folclórica amapaense com forte influência africana, é a principal atração artística. Já no que toca ao esporte, o futebol é o mais praticado no Amapá, sendo que o estádio Milton Corrêa, na capital Macapá, é conhecido mundialmente por ser cortado pela Linha do Equador.

Por: Mateus Campos

Artigos de Amapá

Aspectos Físicos do Amapá

Os aspectos físicos do Amapá são bastante diversificados, com destaque para o clima, o relevo, a vegetação e a hidrografia.

População do Amapá

Características do segundo menor contingente populacional do Brasil.