Grão de pólen

O grão de pólen, estrutura presente em gimnospermas e angiospermas, garante a transferência do gameta masculino até o gameta feminino.

O grão de pólen é uma estrutura presente em dois grupos de plantas: gimnospermas e angiospermas. Nesses grupos vegetais, essa estrutura permite o encontro do gameta masculino com o gameta feminino, agindo, dessa forma, na reprodução dessas plantas, o que garante a manutenção dessas espécies.

→ O grão de pólen é o gameta masculino das angiospermas e gimnospermas?

Apesar do que muitas pessoas pensam, o grão de pólen não é o gameta masculino de gimnospermas e angiospermas. Podemos definir o grão de pólen como o micrósporo que contém o gametófito masculino. Sendo assim, ele não é o gameta propriamente dito e, sim, a estrutura que contém a geração haploide do ciclo desses organismos que são capazes de produzir os gametas.

Ao ser depositado na parte feminina da planta, o grão de pólen germina e dá origem ao chamado tubo polínico. Esse tubo, então, transporta o gameta masculino (núcleo espermático) até o óvulo para que possa fecundar a oosfera. Dessa forma, o grão de pólen garante a independência da água na reprodução, uma vez que não existe a necessidade de o gameta masculino nadar até o gameta feminino.

Como é a estrutura do grão de pólen?

O grão de pólen é uma estrutura bastante resistente, e essa característica é essencial para o cumprimento de sua função. A resistência do grão é conseguida graças à presença de uma parede externa, denominada exina, e de uma parede interna, denominada intina.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A exina é muito resistente por causa da presença de esporopolenina, um composto que atua como barreira contra a radiação, patógenos e desidratação. Essa camada pode apresentar-se lisa ou, então, ser rica em ornamentações, o que é uma informação essencial para os estudos taxonômicos. Além de ornamentações, frequentemente observa-se na exina pequenos furos, os quais podem servir de local para a saída do tubo polínico. A intina, por sua vez, apresenta como componentes a celulose e a pectina.

Alguns animais garantem o transporte de pólen de uma planta para outra
Alguns animais garantem o transporte de pólen de uma planta para outra

→ Onde o grão de pólen é produzido?

Nas gimnospermas, o grão de pólen é produzido nos chamados estróbilos, e, nas angiospermas, é produzido nas flores, mais precisamente na antera. Após ser produzido, ele é transportando até o local onde se encontra o gameta feminino, e esse transporte é conhecido como polinização.

→ O que é a polinização?

A polinização é o nome dado à transferência do pólen até a parte feminina da planta. Nas gimnospermas, essa transferência ocorre do estróbilo masculino para o óvulo, e, nas angiospermas, é a transferência do pólen da antera para o estigma. Essa transferência pode acontecer com a ação de vários agentes, como vento, água e animais.

O pólen é essencial para garantir a reprodução das gimnospermas e angiospermas de forma independente da água

O pólen é essencial para garantir a reprodução das gimnospermas e angiospermas de forma independente da água

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Angiospermas

Grupo de plantas caracterizado pela presença de flores e frutos.

Botânica no Enem: como esse tema é cobrado?

Você sabe como é cobrada a Botânica no Enem? Clique aqui, conheça alguns pontos importantes dessa área e resolva algumas questões.

Dupla fecundação nas angiospermas

Retire suas dúvidas a respeito da dupla fecundação nas angiospermas. Clique aqui!

Flor

Conheça um pouco sobre a reprodução de plantas com sementes.

Gimnospermas

Gimnospermas, Plantas vasculares, Sementes nuas, Ovário, Escamas, Estróbilo, Pinha, Microsporângio, Megasporângio, Grão de pólen, Monóicas, Dióicas, Anemofilia, Haplóides, Zigoto, Araucária, Sequóias, Ginko biloba.

Polinizadores

Aprenda mais sobre os agentes polinizadores, elementos bióticos e abióticos que garantem o encontro do grão de pólen com o gameta feminino.

Reprodução assexuada nas angiospermas

Veja como ocorre a reprodução assexuada das angiospermas e quais são os seus tipos, clicando aqui.