Candida auris

Candida auris é um fungo que causa grande preocupação mundial, uma vez que se trata de uma espécie multirresistente e de difícil eliminação do ambiente.

Candida auris é uma espécie que teve seu primeiro caso infeccioso descrito no Brasil em 2020.
Candida auris é uma espécie que teve seu primeiro caso infeccioso descrito no Brasil em 2020.

 Candida auris é uma espécie de fungo que foi identificada pela primeira vez como causadora de doença em seres humanos em 2009, no Japão. O fungo é considerado uma grave ameaça à saúde pública, uma vez que provoca infecções difíceis de serem tratadas, podendo ser fatal, e sua eliminação do ambiente contaminado também não é fácil.

A dificuldade de tratamento reside no fato de que o fungo é um patógeno multirresistente, ou seja, os tratamentos realizados com diferentes antifúngicos não surtem efeitos satisfatórios, o que causa limitações. Dentre os fatores de risco para a infecção por C. auris podemos citar a internação em UTI por longos períodos, cirurgia recente e uso de antimicrobianos.

Saiba mais: Qual é a classificação dos fungos?

Resumo sobre Candida auris

  • Candida auris é um fungo que causa preocupação em todo o mundo por ser capaz de provocar surtos em hospitais e ser multirresistente.

  • É difícil de ser retirado do ambiente, o que favorece a ocorrência de surtos.

  • Pode provocar infecções da corrente sanguínea e até mesmo ser fatal.

  • Doses altas de antifúngicos são necessárias para tratar a infecção.

  • A dificuldade de diagnóstico de Candida auris pode fazer com que o número de casos registrados não represente as verdadeiras taxas de infecção.

  • O primeiro caso no Brasil foi descrito em 2020, parte de um dos três surtos do país.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Candida auris: o que é?

Candida auris é uma levedura considerada perigosa à saúde pública. Apesar de ter sido identificada inicialmente em material do conduto auditivo externo (daí o nome auris), trata-se de um patógeno multirresistente.

Esse patógeno pode afetar diferentes partes do corpo, inclusive desencadeando:

  • infecção da corrente sanguínea;

  • outras infecções invasivas.

As infecções invasivas provocadas por Candida auris podem ser fatais, principalmente em pacientes que já possuem algum problema de saúde.

O fungo se destaca ainda por ser capaz de permanecer viável por semanas e até mesmo meses no ambiente e ser resistente a diferentes desinfetantes. Essa resistência dificulta a limpeza adequada dos ambientes contaminados, favorecendo a ocorrência de novas infecções. Devido a isso, o fungo é uma preocupação constante em ambientes hospitalares.

Por que o Candida auris é tão temido?

A maior preocupação em relação ao Candida auris é que essa espécie de fungo tem se mostrado resistente a diferentes tipos de antifúngicos, dificultando e limitando consideravelmente o tratamento da infecção provocada por ele.

Devido à sua grande resistência, o fungo é popularmente chamado de “superfungo”. Segundo a Anvisa, “algumas cepas de C. auris são resistentes a todas as três principais classes de fármacos antifúngicos”:

  • polienos;

  • azóis;

  • equinocandinas.

Vale salientar que a multirresisncia não faz dessa espécie um fungo impossível de tratar. Para o tratamento, no entanto, são necessárias altas doses de antifúngicos e a utilização de diferentes classes desse medicamento.

Veja também: Histoplasmose — a doença causada pelo fungo dimórfico Histoplasma capsulatum

Fatores de risco para infecção por Candida auris

Candida auris representa um risco principalmente para pessoas que estão internadas por longos períodos e que apresentam o sistema imunológico comprometido. De acordo com a Anvisa, são fatores de risco para infecção por C auris:

internação em instituições de longa permanência para idosos e hospitais, principalmente em unidades de terapia intensiva (UTI) por longos períodos, uso de cateter venoso central ou outros dispositivos médicos invasivos (sondas para alimentação enteral ou tubos para ventilação mecânica), além de cirurgia recente, diabetes e uso de antimicrobianos ou antifúngicos de amplo espectro.

Identificação de Candida auris

Candida auris é um fungo que apresenta grande dificuldade de diagnóstico, uma vez que é facilmente confundido com outras espécies de leveduras, como:

  • Saccharomyces cerevisiae;

  • Candida haemulonii.

 Ilustração 3D do Candida.
Existem diferentes espécies de fungos pertencentes ao gênero Candida.

Métodos tradicionais para diagnóstico de fungos não são eficazes, de modo que é recomendada a realização de técnicas moleculares ou sequenciamento genético. Devido à dificuldade de diagnóstico, é provável que muitos casos de Candida auris não sejam notificados.

Casos de Candida auris no Brasil

Candida auris é um fungo que foi descrito pela primeira vez como agente causador de doença em humanos no Japão, no ano de 2009. No entanto, o primeiro caso no Brasil foi confirmado apenas em dezembro de 2020.

Na ocasião, o fungo estava presente na amostra da ponta do cateter de um paciente internado em uma UTI em Salvador. Esse foi um dos 15 casos ocorridos no primeiro surto provocado pelo fungo no país. Esse surto foi responsável por duas mortes.

Um segundo surto, com apenas um caso, foi observado na Bahia em dezembro de 2021. Mais recentemente, em janeiro de 2022, a Anvisa foi notificada a respeito de dois possíveis casos de pessoas doentes em um hospital de Pernambuco, um homem de 38 anos e uma mulher de 70 anos. Esses casos representam o terceiro surto de Candida auris em nosso território.

Leia também: Mucormicose — uma doença fúngica rara e potencialmente fatal

Candida auris é o mesmo fungo causador da candidíase?

Candida é um gênero de fungo muito comum em todo o mundo, existindo espécies que vivem:

  • no solo;

  • nos alimentos;

  • na água;

  • em nosso corpo.

No corpo humano, essas espécies de fungo fazem parte da nossa microbiota. Geralmente, elas tornam-se patogênicas quando há um desequilíbrio orgânico, se tornando oportunistas.

Alguns fatores podem fazer com que os fungos provoquem infecção, como:

  • alterações na defesa do nosso corpo;

  • cirurgias invasivas;

  • queimaduras;

  • uso de cateteres.

Normalmente, utiliza-se o termo candidíase para se referir a infecções causadas por fungos do gênero Candida. A espécie prevalente nas infecções causadas por esse gênero é a chamada Candida albicans, que provoca a candidíase vulvovaginal. 

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Saiba mais sobre a Anvisa, uma autarquia que atua em todo o país no controle da produção e distribuição de vários produtos.

Candidíase

Saiba mais sobre uma das infecções genitais mais frequentes entre mulheres.

Fungos

Os fungos são organismos eucariontes, uni ou multicelulares (leveduras ou fungos filamentosos, respectivamente), e de nutrição heterotrófica por absorção.

Infecção

As infecções podem ser causadas por diversos tipos de agentes infecciosos, e seus sintomas e tratamentos são variáveis. Aumente seu conhecimento sobre esse tema aqui!

Mucormicose

Você já ouviu falar sobre a mucormicose? Clique aqui e conheça mais sobre essa doença oportunista potencialmente fatal. Aprenda sobre seus sintomas e tratamento.