O grau dos adjetivos

Ao falamos sobre o grau, remetemo-nos à ideia das flexões da classe dos adjetivos, uma vez que, semelhantemente aos substantivos, apresentam variações distintas, levando em consideração alguns aspectos específicos.

Tal variação (a de grau) está associada ao ato de intensificar ou comparar as características que ao adjetivo se deseja atribuir, subdividindo-se em duas modalidades: grau comparativo e superlativo.

No primeiro, compara-se a mesma característica a qual se atribui a dois ou mais seres ou duas ou mais características, estando elas atribuídas a um mesmo ser. O grau comparativo subdivide-se em:

Comparativo de igualdade: João é tão bondoso quanto seu irmão.
Comparativo de inferioridade: João é menos bondoso que seu irmão.
Comparativo de superioridade: João é mais bondoso que seu irmão.


Destacando de forma enfática, temos que os adjetivos “bom, mau, pequeno e grande” possuem formas sintéticas para o grau comparativo de superioridade, equivalente a “maior, menor, melhor e pior”. Assim, exemplificando, temos:

Os resultados foram melhores que os outros.
Minha escolha foi pior que a sua.


As formas analíticas referentes a “mais bom”, “mais mau”, “mais grande”, “mais pequeno” somente devem ser empregadas quando se compara duas características de um mesmo ser. A título de expressá-las, temos:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Pedro é mais bonito (do) que inteligente.
O cão é mais mau (que) que bonito.
Aquele país é mais grande (do) que desenvolvido.  


No grau superlativo, a característica é intensificada de forma relativa ou absoluta. O superlativo relativo se dá por meio de uma intensificação atribuída a todos os demais seres de um conjunto, manifestando-se sob duas formas:


Superlativo relativo de inferioridade:

A aluna é a menos estudiosa de todos.


Superlativo relativo de superioridade:

João é o mais esforçado de todos os alunos.


No grau superlativo absoluto, a característica que se atribui a um determinado ser se dá de forma excessiva, podendo materializar-se de forma analítica ou sintética. Desta forma, vejamos:


- O superlativo absoluto analítico é constituído, geralmente, por um advérbio.


Os professores são demasiadamente exigentes.
Sua opinião é muito válida.


- O superlativo absoluto sintético é formado por meio do emprego de sufixos. Entre eles, o que mais se destaca é o sufixo “-íssimo”.

Este material é originalíssimo.
Foi uma tarde agradabilíssima. 

Aproveite para conferir as nossas videoaulas relacionadas ao assunto:

Representa as distintas flexões inerentes a esta classe

Representa as distintas flexões inerentes a esta classe

Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Artigos relacionados

Adjetivos - características relevantes

Ao clicar aqui, certifique-se daquelas consideradas principais!

Adjetivos pátrios

Conheça mais uma particularidade inerente a esta classe gramatical!

Características do grau superlativo absoluto sintético

Por dentro da gramática: características do grau superlativo absoluto sintético.

Conjunção

Atenha-se aos traços que demarcam esta classe gramatical.

Os adjetivos e seu grau superlativo

Interaja-se mais sobre este assunto ao clicar aqui!

Silepse: a concordância ideológica

Leia este artigo e saiba tudo sobre a concordância ideológica, conhecida como silepse de número, gênero ou pessoa.

Substantivo

Aprenda mais sobre o substantivo e suas classificações. Veja como funcionam suas variações de gênero, número e grau. Resolva os exercícios sobre o tema.