<

Período Regencial (1831-1840)

Composição política transitória entre a abdicação de D. Pedro I e o reinado de D. Pedro II, o Período Regencial garantiu principalmente a manutenção da unidade territorial.

Diogo Feijó foi um dos principais políticos do Período Regencial. Aqui em retrato de S. A. Sisson (1824-1893). *
Diogo Feijó foi um dos principais políticos do Período Regencial. Aqui em retrato de S. A. Sisson (1824-1893). *

O Período Regencial no Brasil Império iniciou-se em 1831 e prolongou-se até 1840. A regência do Estado brasileiro, recém-independente, foi realizada em decorrência da abdicação do trono por D. Pedro I em favor de seu filho, D. Pedro de Alcântara, que era menor de idade e não poderia, assim, assumir o trono.

A regência que começou sendo composta por três membros chegou ao fim do período sendo composta por apenas um regente. Dessa forma, passou-se da Regência Trina para Regência Una. A importância desse período da história brasileira se efetivou em decorrência dos esforços realizados pela elite agrária em manter seu poder e garantir a construção do Estado nacional de forma unificada.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

E esse esforço não foi pequeno. Durante o Período Regencial, inúmeras rebeliões separatistas surgiram no território nacional. A Cabanagem, a Sabinada, a Balaiada e a Revolução Farroupilha colocaram em risco a integridade territorial do Império.

A ação da Guarda Nacional foi essencial para o fortalecimento do Estado e para a unidade territorial do país. O Período Regencial teve fim com o golpe da maioridade, quando D. Pedro II assumiu o trono com apenas 15 anos de idade.

––––––––––––––––

* Crédito da imagem: Biblioteca do Congresso dos EUA

Por: Tales Pinto

Artigos de Período Regencial (1831-1840)

A política brasileira durante o Período Regencial

Saiba mais sobre o Período Regencial, com enfoque na intensa disputa política existente nesse momento anterior ao Segundo Reinado.

Ato Adicional de 1834 e as mudanças do governo central

Saiba o que foi o Ato Adicional de 1834 e o que ele representou no Período Regencial.

Balaiada ou Revolta dos Balaios (1838-1841)

Conheça a Balaiada e suas principais características.

Cabanagem, movimento popular amazônico

Com uma composição social variada, mas com grande participação popular, a Cabanagem chegou a proclamar uma república na Região Amazônica.

Guerra dos Farrapos

Acesse este texto e saiba detalhes importantes da Guerra dos Farrapos, conflito iniciado quando estancieiros gaúchos decidiram rebelar-se contra o império.

Insurgência islâmica na Revolta dos Malês (1835)

Conheça a Revolta dos Malês, a rebelião dos escravos muçulmanos que ocorreu em 1835 na cidade de Salvador.

O artista goiano Veiga Valle

Conheça a história e as características do artista goiano Veiga Valle, nascido em Pirenópolis, no século XIX.

O período regencial e o Estado excludente

Conheça os fundamentos do Estado criados no Período Regencial e da ordem social que excluía a maioria da população das decisões políticas.

Regência Trina (1831-1835)

Conheça a composição da Regência Trina e os grupos políticos do período.

Regência Una de Araújo Lima (1837-1840)

Clique aqui e saiba mais sobre as medidas tomadas durante a Regência Una de Araújo Lima.

Regência Una de Diogo Feijó (1835-1837)

Conheça a Regência Una de Diogo Feijó e a formação dos dois partidos do Segundo Reinado.

Republicanismo e liberalismo na Sabinada (1837-1838)

Saiba mais sobre a Sabinada – rebelião que conseguiu constituir uma república por quatro meses, em Salvador, durante o Período Regencial.

Revolta de Manoel Congo em Paty dos Alferes

Conheça a Revolta de Manoel Congo e suas principais características.