Enunciando a Segunda Lei de Newton

Newton
Newton

Ao enunciar a segunda lei, Isaac Newton não a demonstrou da maneira como vemos na escola. Ele não o fez na forma  que temos usado até o momento. Podemos dizer que quando sua lei foi enunciada, ela apresentava certa ambiguidade. De fato, um pouco mais tarde, o matemático Leonhard Euler apresentou um aperfeiçoamento da equação da Segunda Lei de Newton. Ele a reformulou tomando como base a quantidade de movimento de um corpo. Observe:

Nessa equação, Q representa a quantidade de movimento de um corpo de massa m qualquer. Supondo que F e a massa do corpo sejam constantes, temos:

Sabemos que a variação da quantidade de movimento nada mais é do que o momento final menos o momento inicial, dessa forma podemos reescrever a equação da seguinte maneira:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Colocando a massa m em evidência, temos:

Como sabemos que a variação da velocidade pode ser dada como (vf – vi) = Δv, podemos escrever:


De tal modo, a equação 2 é um caso particular da equação 1, supondo F e m constantes. A equação 1 é mais geral que a equação 2, podendo ser aplicada em casos em que a massa do sistema seja variável. Além disso, a equação 1 continua válida na Mecânica Relativística, embora alguns conceitos da Mecânica Newtoniana tenham sido alterados pela Teoria da Relatividade.

Aproveite para conferir a nossa videoaula sobre o assunto:

Por: Domiciano Correa Marques da Silva

Artigos relacionados

Cinco coisas que você precisa saber sobre as leis de Newton

Clique aqui e veja quais são as cinco coisas que você precisa saber sobre as leis de Newton, a base da Mecânica Clássica.

Isaac Newton

Acesse este artigo se quiser saber mais da vida de Isaac Newton, brilhante cientista inglês. Confira detalhes de sua vida pessoal e profissional.

Lei fundamental dos movimentos

Veja aqui uma análise sobre a quantidade de movimento de um objeto, que explica a lei fundamental do movimento.

Leis de Newton

Clique aqui e conheça as leis de Newton, a base da Mecânica Clássica e as responsáveis pela explicação de diversos fenômenos cotidianos.