Cor da luz

Quando observamos as coisas que estão ao nosso redor, podemos vê-las porque elas refletem a luz que chegam até elas. Por exemplo: vemos uma maçã vermelha porque ela absorve todas as outras cores e reflete somente o vermelho. Como dito, isso acontece com todos os outros objetos que vemos.

Sendo assim, a luz que sai do Sol e chega até nós é um somatório de cores. O mesmo acontece com a luz que uma lâmpada incandescente emite quando aquecida. De tal modo, podemos dizer que a luz do Sol e a luz de uma lâmpada incandescente são luzes brancas.

É possível provar que a luz proveniente do Sol ou a proveniente de uma lâmpada incandescente é um somatório de cores fazendo incidir sobre a superfície de um prisma um raio de luz. Quando isso é feito, percebe-se que há uma decomposição da luz, ou seja, a luz branca se decompõe em um leque de uma infinidade de cores. O mesmo fato é observado no fenômeno do arco-íris. Nesse fenômeno, observa-se a decomposição da luz branca.

As cores que mais se destacam são apenas sete, chamadas de cores do arco-íris. As cores são: vermelha, alaranjada, amarela, verde, azul, anil evioleta. Deve-se sempre seguir essa ordem na dispersão da luz branca.

Outra maneira bastante simples de comprovar a existência da luz branca é através do disco de Newton. É um experimento bastante simples e de fácil construção. Da mesma maneira que um prisma ou a refração na gota de água (que forma o arco-íris), o disco de Newton decompõe a luz branca. Para verificar esse fenômeno, construa um disco pintado com as sete cores mencionadas acima em ordem de sequência, e, fazendo-o girar rapidamente, você visualizará a composição das cores ─ essa composição resultará em uma cor branca.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

É possível classificar a luz de duas maneiras:

Luz monocromática

É a luz constituída por uma única cor, como a luz monocromática amarela emitida pelo vapor de sódio, nas lâmpadas.

Luz policromática

É a luz constituída de duas ou mais cores, como a luz branca do Sol ou a luz emitida pelo filamento aquecido da lâmpada incandescente comum.

De acordo com os conceitos físicos, a decomposição e a dispersão da luz acontecem por meio da refração no interior do prisma. Sendo assim, cada uma das cores decompostas apresenta velocidade de propagação diferente quando inserida no vidro.

Veja um exemplo: a cor vermelha é a que menos se desvia quando inserida no prisma, portanto ela possui maior velocidade de propagação. Já a cor violeta é a cor que mais se desvia quando inserida em um prisma, portanto dizemos que ela possui a menor velocidade dentre as outras cores.

Não podemos nos esquecer de que a velocidade da luz depende também do meio onde ela está se propagando.

A velocidade da luz também depende do meio por onde ela se propaga. No vácuo e, de forma bastante aproximada no ar, a velocidade da luz, que é representada pela letra c, possui o seguinte valor:

c=3 x 108  m/s 

Representa-se a velocidade da luz através da consoante c. É de suma importância lembrar que a velocidade de propagação da luz em outros meios apresenta valor menor que seu valor quando se propaga no vácuo.

Cores do arco-íris em um disco de Newton

Cores do arco-íris em um disco de Newton

Por: Domiciano Correa Marques da Silva

Artigos relacionados

Círculo-íris?

Você sabia que os arcos-íris na verdade são círculos? Clique aqui e entenda por que esse fenômeno tem formato circular e é percebido como arco.