<

Vitiligo

O vitiligo é uma doença caracterizada pelo surgimento de manchas brancas na pele, as quais apresentam formato e tamanho variados. Pode acometer pessoas de qualquer sexo e raça.

Mulher com pernas e braços acometidos por vitiligo
Mulher com pernas e braços acometidos por vitiligo

O vitiligo é uma doença caracterizada pelo surgimento de regiões na pele sem pigmentação. Essas regiões apresentam-se como manchas brancas de formato e tamanho variados. Não é uma doença contagiosa e não causa prejuízos graves à saúde do paciente, porém é responsável por grande impacto negativo na vida do indivíduo que a possui, uma vez que pode causar uma redução na autoestima. Atualmente existe uma série de tratamentos para estabilizar o quadro e até proporcionar uma repigmentação da pele. Maquiagens especiais também podem ser usadas para disfarçar as manchas brancas. Vale dizer que essa doença pode afetar pessoas de todas as idades, sexos e raças.

Leia também: Diferenças entre doenças, síndromes e transtornos

Resumo

  • O vitiligo é uma doença caracterizada pela perda de coloração em algumas áreas da pele.

  • As manchas na pele surgem como consequência da redução ou ausência de melanócitos, células responsáveis pela produção de melanina.

  • As causas da doença ainda não são bem definidas.

  • A doença pode afetar pessoas de todas as idades, sexos e raças.

  • O dermatologista é o médico indicado para realizar o diagnóstico da doença e indicar o melhor tratamento para o paciente.

  • O vitiligo não possui cura, mas é possível controlá-lo.

O que é vitiligo?

O vitiligo é uma doença que provoca o surgimento de lesões cutâneas de hipopigmentação, ou seja, a doença leva ao surgimento de áreas na pele sem pigmentação, que podem ser observadas como manchas brancas na pele. A falta de pigmentação na pele é resultado da ausência ou redução de células chamadas melanócitos, as quais são responsáveis por produzir melanina, um pigmento que dá cor à nossa pele, cabelos e olhos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, a condição incide em 1% a 2% da população mundial.

O vitiligo não é uma doença grave e também não é transmitida de uma pessoa para outra. O maior impacto provocado pela doença é na autoestima, pois muitas pessoas sentem-se envergonhadas das manchas brancas que surgem na pele.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sintomas do vitiligo

O vitiligo se manifesta a partir do surgimento de manchas brancas na pele. Essas manchas podem surgir pequenas e aumentar de tamanho ao longo do tempo. Além disso, novas manchas também podem aparecer, causando, em alguns casos, o acometimento de todo o corpo. Na maioria dos pacientes, essas manchas não causam coceira, não doem e nem descamam, entretanto, em alguns casos, essas regiões podem apresentar sensibilidade e dor. Vale destacar que, em alguns pacientes, os pelos e cabelos também podem embranquecer em algumas áreas. De maneira geral, o vitiligo pode surgir em qualquer fase da vida de uma pessoa, porém ele aparece com mais frequência por volta dos 20 anos de idade.

Leia também: Câncer de pele — doença grave, mas que apresenta tratamento e cura

Tipos de vitiligo

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o vitiligo pode apresentar-se em dois tipos: segmentar ou não segmentar.

  • Segmentar ou unilateral. manifesta-se em apenas uma parte do corpo. Pelos e cabelos também podem perder a pigmentação. Esse tipo de vitiligo ocorre, geralmente, quando o paciente ainda é jovem.

  • Não segmentar ou bilateral: tipo mais comum de vitiligo. Caracteriza-se por se manifestar nos dois lados do corpo, acometendo, por exemplo, os dois joelhos e as duas mãos. As lesões na pele iniciam-se geralmente pelas extremidades, como pés, mãos, boca e nariz. Nesse tipo de vitiligo, há períodos em que a doença desenvolve-se e períodos em que ela entra em estagnação. Os ciclos tendem a ser maiores com o tempo, assim como as áreas de pigmentação. Os ciclos da doença ocorrem durante toda a vida.

Causas do vitiligo

Mãos com manchas de vitiligo sobre um fundo de madeira.
O vitiligo é uma doença não contagiosa que apresenta causas ainda não totalmente conhecidas.

O vitiligo é uma doença que não apresenta causas totalmente compreendidas. Acredita-se que a doença esteja relacionada com fatores genéticos e fenômenos autoimunes. A questão genética é levantada, uma vez que aproximadamente 20% dos pacientes que possuem vitiligo apresentam pelo menos um parente de primeiro grau com a doença. Além da questão genética e autoimune, fatores emocionais são considerados como agravantes e desencadeadores da doença. Naqueles pacientes que apresentam predisposição genética, fatores ambientais, como exposição a pesticidas e ao Sol, são considerados fatores precipitantes da doença.

Leia também: Doenças autoimunes — doenças provocadas pelo próprio organismo

Diagnóstico do vitiligo

O vitiligo é diagnosticado pelo médico por meio da análise da pele do paciente, uma vez que, de maneira geral, as lesões provocadas pelo vitiligo são bastante características. A realização de biópsia da pele pode demonstrar a ausência de melanócitos. Em pacientes com a pele branca, a realização do exame com lâmpada de Wood ajuda a detectar o problema. O médico mais recomendado para diagnosticar o vitiligo é o dermatologista.

Tratamento do vitiligo

Atualmente estão disponíveis diferentes terapias para tratar o vitiligo. O objetivo do tratamento, no entanto, não é buscar a cura da doença, mas sim estabilizar o quadro do paciente e promover a repigmentação da pele. Essa repigmentação é induzida por meio de medicamentos. Além disso, outras técnicas indicadas são a fototerapia, laser, técnicas cirúrgicas ou transplantes de melanócitos. Existem também maquiagens que ajudam a disfarçar as manchas na pele.

Outro ponto importante do tratamento diz respeito a evitar situações que possam precipitar o surgimento de novas manchas ou provocar a acentuação daquelas já presentes. Entre as recomendações está evitar a exposição inadequada ao Sol e o uso de roupas que possam provocar atrito na pele. É também importante evitar situações de estresse.

Vale salientar que, em algumas situações, é recomendado também o acompanhamento psicológico do paciente, uma vez que o vitiligo pode causar grande impacto na autoestima da pessoa doente.

Dia Mundial de Combate ao Vitiligo

O Dia Mundial de Combate ao Vitiligo é comemorado em 25 de junho. A data foi escolhida por ser o dia de aniversário de morte de Michael Jackson, um importante cantor estadunidense que apresentava a doença. O Dia Mundial de Combate ao Vitiligo é uma data importante para maior conscientização a respeito da doença, informando toda a população a respeito desse problema, que até os dias atuais é alvo de preconceito, em virtude, principalmente, de desinformação.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

A pele dos mamíferos

Pele, Mamíferos, Epiderme, Derme, Hipoderme, Células pavimentosas, Queratina, Melanócitos, Lâmina basal, Tecido conjuntivo, Colágeno, Anexos, Terminações nervosas, Glândulas sebáceas, Bulbos pilosos, Pêlos, Capilares, Tecido subcutâneo, Células adiposas.

Ansiedade

Saiba até que ponto a ansiedade pode ser positiva, e quando ela se torna um problema.

Câncer de pele

O que você sabe a respeito do câncer de pele? Neste texto falaremos sobre os diferentes tipos de câncer, os sintomas que merecem atenção e o tratamento que pode ser realizado em casos em que esse tipo de câncer é diagnosticado. Abordaremos ainda a regra do ABCDE, que ajuda a identificar sinais de risco.

Doenças autoimunes

Compreenda o que são doenças autoimunes e conheça alguns exemplos.

Melanina

Compreenda como nosso corpo se protege dos efeitos nocivos dos raios solares através da produção de melanina.

Nanismo

Compreenda o que é nanismo, suas causas e seus tipos.