Herança ligada ao sexo

Os genes encontrados na região não homóloga do cromossomo X apresentam uma herança ligada ao sexo.

Algumas doenças são determinadas por genes presentes apenas no cromossomo X
Algumas doenças são determinadas por genes presentes apenas no cromossomo X

Sabemos que na espécie humana o sexo é determinado pelo cromossomo X e Y. As mulheres apresentam dois cromossomos X, enquanto os homens apresentam um X e outro Y, sendo assim, o cromossomo Y é encontrado exclusivamente em homens. Temos, portanto, mulheres XX e homens XY.

O sexo de um indivíduo será determinado no momento em que ocorrer a fecundação. Em razão de a mulher ser XX, todos seus ovócitos II são X. Já em homens, os espermatozoides poderão ser X ou Y. Sendo assim, no momento da fecundação, se o espermatozoide que penetrar o ovócito II for Y, teremos um homem, e se for X, teremos uma mulher.

O cromossomo X é maior quando comparado ao cromossomo Y, tendo apenas algumas regiões homólogas. É essa região presente apenas nas extremidades que se emparelha durante a meiose. É importante destacar que alguns genes presentes no cromossomo X não são encontrados em Y, sendo chamados de genes ligados ao sexo, apresentando um tipo de herança denominado de herança ligada ao sexo.

Em mulheres, os genes ligados ao sexo poderão ocorrer em dose dupla ou não. Os homens, por sua vez, sempre apresentarão apenas um desses genes. Isso se deve ao fato de o homem possuir apenas um cromossomo X e a mulher apresentar dois. Dizemos que o homem é, portanto, hemizigótico.

Por ser hemizigótico, o homem poderá manifestar um caráter recessivo ligado ao sexo com apenas um gene. Na mulher, esse mesmo caráter só se expressará em homozigose. Percebe-se, então, que homens apresentarão maior quantidade de caracteres recessivos ligados ao sexo que mulheres.

Algumas doenças são ligadas ao sexo, entre elas podemos citar o daltonismo, a hemofilia e a distrofia muscular de Duchenne. Vamos observar abaixo como é a herança dessas doenças.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Usaremos como exemplo um tipo de daltonismo que se caracteriza por uma incapacidade de diferenciar as cores vermelha e verde. Vamos representar o alelo que determina o daltonismo com a letra d.

Os possíveis genótipos e fenótipos desse tipo de daltonismo estão mostrados abaixo:

Observe os possíveis genótipos relacionados ao daltonismo
Observe os possíveis genótipos relacionados ao daltonismo

Imagine uma mulher normal, porém portadora do gene para o daltonismo (XDXd). Ela então resolve ter um filho com um rapaz normal (XDY). Entretanto teme que seu filho possa ser daltônico, uma vez que sua mãe possuía essa doença.

Observe os possíveis genótipos dos filhos do casal XDXd e XDY
Observe os possíveis genótipos dos filhos do casal XDXd e XDY

Observe que o casal poderá ter filhos com 4 genótipos diferentes e apenas 25% de chance de ter um filho daltônico (XdY). Lembre-se de que apenas o homem é capaz de expressar uma característica recessiva ligada ao sexo com a presença de um único alelo. Observe também que todas as filhas serão normais, entretanto há chance de 25% de terem uma filha portadora do gene.

Tanto a hemofilia como a distrofia muscular de Duchenne apresentam o mesmo tipo de herança do daltonismo.

Para saber mais sobre essas doenças, acesse os links: daltonismo e hemofilia.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Daltonismo

Clique aqui e saiba mais sobre o daltonismo, essa anomalia genética que afeta mais homens do que mulheres.

Hemofilia

Clique aqui e aprenda mais sobre a hemofilia, uma doença que apresenta como manifestação clínica mais importante os sangramentos.

Hemofilia, uma anomalia ligada ao sexo

Clique aqui e saiba mais o que é a hemofilia e quais as suas causas e tratamento.