Diabetes

Diabetes é uma doença desencadeada por uma produção insuficiente de insulina ou problemas em sua ação. A doença se caracteriza por um quadro de hiperglicemia.

No diabetes, observa-se um aumento dos níveis de glicose no sangue.
No diabetes, observa-se um aumento dos níveis de glicose no sangue.

Diabetes Mellitus é uma condição bastante conhecida que pode desencadear consequências graves ao paciente. Trata-se de um problema cujo risco de morte precoce, segundo a OMS, tem subido nos últimos anos. A doença é caracterizada por uma elevação dos níveis de glicose no sangue, o que pode ocorrer devido a problemas na secreção da insulina ou na ação desse hormônio.

Podemos classificar o diabetes em tipos 1 ou 2, outros tipos de diabetes e gestacional. O diagnóstico da doença é feito com base na análise dos níveis de glicose do indivíduo, e o tratamento envolve mudanças no estilo de vida e uso de medicamentos. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença em nosso país.

Leia mais: Carboidratos — também são chamados de glicídios, glucídios, hidrocarbonetos, hidratos de carbono e açúcares

Resumo sobre diabetes

  • É uma doença em que se observa uma elevação na quantidade de glicose no sangue.

  • Pode ocorrer como consequência de problemas na secreção do hormônio insulina ou na sua ação.

  • A insulina atua garantindo que a glicose entre nas células.

  • Pode ser classificado em tipo 1, tipo 2, outros tipos específicos e gestacional.

  • Seus sintomas são sede, fome excessiva, emagrecimento, cansaço e vontade de urinar diversas vezes.

  • Para seu diagnóstico, exames de sangue que avaliam os níveis de glicose são essenciais.

  • Pode ser tratado com mudanças no estilo de vida e medicamentos.

Videoaula sobre diabetes mellitus e insipidus

O que é diabetes?

Diabetes é uma doença que se caracteriza por uma elevação da quantidade de glicose no sangue (hiperglicemia) devido à falta ou incapacidade da insulina de realizar sua função. A insulina é um hormônio produzido pelas células beta do pâncreas e que apresenta como função primordial garantir que a glicose entre nas células para que possa ser utilizada. Quando um indivíduo não produz uma quantidade adequada de insulina ou há problemas em sua ação, a glicose se acumula no sangue, uma situação conhecida como hiperglicemia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como fatores de risco para ocorrência de diabetes, destaca-se idade avançada, obesidade, histórico familiar, hipertensão, colesterol alto e alterações nas taxas de triglicérides no sangue. Além disso, hábitos de vida pouco saudáveis podem contribuir para o desenvolvimento da doença.

Leia mais: Por que o colesterol pode ser perigoso?

Classificação do diabetes

O diabetes pode ser classificado em tipo 1, tipo 2, outros tipos específicos e gestacional.

  • Diabetes tipo 1: é caracterizado por uma destruição das células beta do pâncreas e, consequentemente, perda da secreção do hormônio insulina. Sua causa está ligada à doença autoimune, ou seja, a destruição das células pancreáticas se dá pela ação do sistema imunológico que produz anticorpos que atacam o próprio organismo. Nesse caso, não existem formas de prevenir a doença. Nesses pacientes, pode-se observar sintomas que se iniciam de maneira relativamente rápida, como sede, fome excessiva, emagrecimento e fraqueza. Geralmente, esse tipo de diabetes aparece na infância ou adolescência, entretanto, pode ser também diagnosticado na fase adulta.

  • Diabetes tipo 2: é o tipo mais comum, no qual se observa uma redução na ação do hormônio, caracterizando um quadro de resistência insulínica. O corpo passa então a aumentar a produção de insulina a fim de manter os níveis adequados, quando ele não é mais capaz de manter esses níveis normais, surge o diabetes. A instalação do quadro de diabetes é mais lenta, e os sintomas podem demorar vários anos para aparecerem. Esse tipo de diabetes está associado ao aumento de peso e à obesidade, sendo assim, hábitos de vida saudáveis podem ajudar na prevenção da doença.

  • Outros tipos específicos de diabetes: incluem causas como defeitos genéticos, doenças no pâncreas, como pancreatite e tumores, doenças endócrinas e uso de determinados medicamentos.

  • Diabetes gestacional: é diagnosticado durante a gestação e se destaca por ser um quadro transitório ou não.

Aparelho medidor de glicemia, uma maçã e um par de tênis de corrida em superfície e fundo azuis
Hábitos de vida saudáveis auxiliam na prevenção e no controle do diabetes.

Sintomas do diabetes

O diabetes mellitus pode causar no paciente diversos sintomas, destacando-se:

- Poliúria: paciente passa a urinar com mais frequência e se observa um aumento do volume diário normal.

- Polidipsia: paciente apresenta constantemente uma sensação de sede

- Polifagia: paciente apresenta uma fome insaciável.

- Perda de peso: paciente reduz seu peso mesmo apresentando polifagia.

- Visão turva.

O diabetes mellitus, além dos sintomas já descritos, pode desencadear complicações graves que podem colocar em risco a vida do paciente. Dentre as complicações, podemos citar a cetoacidose diabética, que normalmente ocorre em pacientes do tipo 1, e a síndrome hiperosmolar hiperglicêmica não cetótica, mais comum em pacientes do tipo 2. Além disso, o diabetes pode relacionar-se com doenças cardiovasculares, cegueira, problemas renais, úlceras nos pés e amputação de extremidades, doença periodontal, entre outros problemas.

Leia também: Dicas para uma alimentação saudável

Diagnóstico do diabetes

O diagnóstico precoce do diabetes, assim como de várias outras doenças, é fundamental para tomar medidas que evitem a complicação dessa enfermidade. De acordo com as Nações Unidas, metade de todos os adultos com diabetes tipo 2 permanece sem diagnóstico e, por isso, não recebe a insulina para o tratamento. Isso é um problema grave, uma vez que o diabetes pode levar a problemas como perda de visão, amputações e até mesmo a morte.

Para diagnosticar um quadro de diabetes, é necessário realizar exames que analisem a quantidade de glicose presente no sangue. Três exames podem ser feitos nesse sentido: glicemia de jejum, glicemia casual, e teste oral de tolerância à glicose (TOTG).

No TOTG, o paciente em jejum terá seu sangue coletado e, posteriormente, uma segunda coleta será realizada após duas horas da ingestão de um líquido com 75 gramas de glicose. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, deve-se considerar positivos os seguintes resultados:

1) glicemia de jejum > 126 mg/dl (jejum de 8 horas).

2) glicemia casual (colhida em qualquer horário do dia, independente da última refeição realizada) > 200 mg/dl em paciente com sintomas característicos de diabetes.

3) glicemia > 200 mg/dl duas horas após sobrecarga oral de 75 gramas de glicose.

Ainda de acordo com a Sociedade, é considerado diabético o indivíduo que possuir duas glicemias de jejum acima de 126 mg/dL ou, na glicemia de duas horas durante o TOTG, se o valor for superior a 200 mg/dL ou, em qualquer momento do dia, se o paciente tiver sintomas clássicos e a glicemia for maior que 200 mg/dL.

Tratamento do diabetes

Após a confirmação do diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado imediatamente para realização do controle glicêmico. Para isso, o paciente deve mudar seus hábitos alimentares, realizar atividades físicas e, muitas vezes, usar certos medicamentos, como a insulina. É importante salientar que o paciente nunca deve se automedicar e acreditar em receitas milagrosas para tratar essa doença tão séria.

Além disso, o diabético deve monitorar seus níveis glicêmicos, obedecendo sempre ao número de testes recomendados pelo médico. Com isso, o paciente será capaz de corrigir hiperglicemias e manter os níveis de glicemia o mais próximo do normal. Ao monitorar seus níveis glicêmicos, ele também será capaz de identificar se seus esforços estão promovendo a resposta esperada.

Além disso, é fundamental que o paciente compareça às consultas no período determinado pelo médico, pois esses períodos são fundamentais para o profissional avaliar se o tratamento está adequado e verificar o surgimento de complicações.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Alimentação Saudável

Como alimentar-se melhor, dicas de alimentação saudável, como se alimentar melhor na época do vestibular, alimentos que devem ser evitados, alimentação balanceada, igestão de líquidos.

Alzheimer

Clique aqui e conheça mais sobre o Alzheimer. Neste texto falaremos sobre as causas, sintomas, fases, diagnóstico e tratamento dessa doença.

Aterosclerose

Saiba mais sobre a aterosclerose, um problema de saúde grave relacionado com hábitos de vida pouco saudáveis.

Cinco doenças comuns a homens e animais

Sabia que algumas doenças não afetam apenas humanos? Descubra cinco males comuns a homens e animais.

Diabetes emocional

Você já ouviu falar em diabetes emocional? Será que esse é realmente um tipo de diabetes? Clique aqui e descubra!

Diabetes gestacional

Descubra o que é o diabetes gestacional e a importância da realização do pré-natal.

Diabetes tipo 1

Conheça mais sobre o diabetes tipo 1, doença desencadeada pela destruição das células beta do pâncreas.

Diabetes tipo 2

Saiba mais sobre o diabetes tipo 2, um dos tipos do diabetes mellitus. Neste texto, falaremos o que é esse tipo de diabetes, suas causas, sintomas e como é feito o diagnóstico desse distúrbio metabólico. Além disso, abordaremos os principais aspectos referentes ao tratamento desse grave problema de saúde.

Dicas para uma alimentação saudável

Veja algumas dicas para uma alimentação saudável e melhore sua qualidade de vida.

Doenças autoimunes

Compreenda o que são doenças autoimunes e conheça alguns exemplos.

Engenharia Genética

Compreenda como as bactérias podem ajudar na fabricação de substâncias úteis ao homem através da engenharia genética.

Glicose

Aprenda mais a respeito da glicose, uma molécula extremamente importante para a produção de energia na célula. Neste texto, falaremos sobre o que é glicose, suas funções, o transporte de glicose na célula e o processo de glicólise. Além disso, abordaremos importantes temas como hiperglicemia, hipoglicemia e diabetes.

Hormônios

Você sabe o que são hormônios? Clique aqui e saiba mais sobre essas importantes substâncias que funcionam como sinais químicos no organismo.

Insulina

Amplie seus conhecimentos sobre a insulina, um importante hormônio humano que se relaciona com o controle da quantidade de glicose no sangue.

Obesidade

Vamos entender melhor o que é a obesidade? Clique aqui e aprenda mais sobre esse importante problema de saúde que acomete milhões de pessoas.

Obesidade infantil

Vamos entender melhor o que é a obesidade infantil? Neste texto descobriremos o que é obesidade, como a obesidade infantil é diagnosticada e como tratá-la.

Pâncreas

Amplie seus conhecimentos sobre o pâncreas, uma glândula que produz suco pancreático e dois importantes hormônios: a insulina e o glucagon.

Sedentarismo

Que saber mais sobre o sedentarismo e seus riscos? Clique aqui e amplie seus conhecimentos sobre esse tema tão importante e atual.

Síndrome dos Ovários Policísticos

Entenda a Síndrome dos Ovários Policísticos, um problema de saúde que afeta várias mulheres em fase reprodutiva.