Como estudar para o Enem

A rotina de estudos para quem vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) exige bastante dedicação e empenho para que o resultado seja satisfatório. Estudar de forma adequada é fundamental tanto para o aproveitamento do seu tempo quanto para assimilar o conteúdo.

Pensando nisso, criamos um passo a passo de como estudar para o Enem. Confira!

1 – Saiba o que é cobrado no Enem

As provas do Enem são formadas pelas questões de múltipla escolha, as quais são baseadas em conteúdos estudados durante o Ensino Médio, e a redação. No total, são 180 questões divididas entre dois domingos.

1º dia: Redação; 45 questões de Linguagens e Códigos; 45 questões Ciências Humanas

2º dia: 45 questões de Ciências da Natureza; 45 questões Matemática

Não dá para adivinhar tudo que cai nas provas do Enem, contudo, é possível ter uma noção do que é cobrado consultado a Matriz de Referência do Enem. Nela é mostrado, de forma mais detalhada, as competências exigidas em cada uma das áreas do conhecimento e os respectivos assuntos interligados a elas. Assim, dá para se basear no que é ideal estudar ao longo do Ensino Médio para estar mais preparado para o Exame. 

Tendo essa sinalização, filtrar o que cai com maior frequência pode tornar a rotina de estudos um pouco mais facilitada, já que você saberá o que precisará focar durante a preparação.

2 – Resolva provas anteriores

Outra dica é consultar as provas anteriores do Enem e refazê-las. Com isso, você notará que há aqueles assuntos que são cobrados com uma frequência maior durante as provas.

Mesmo para aqueles que já fizeram o Enem em alguma outra oportunidade, até mesmo como treineiros, e já conhecem a prova, resolver questões anteriores pode ser um diferencial. Esse exercício o ajudará a familiarizar cada vez mais com o nível de dificuldade das questões.

As provas anteriores do Enem com os seus respectivos estão disponíveis para serem baixadas no site do Inep desde a primeira edição do Exame, ocorrida em 1998. Contudo, o indicado é treinar a partir das provas do ano de 2009, que são semelhantes com as aplicadas atualmente.

No Brasil Escola, parceiro do Prepara Enem, você também poderá encontrar todas as provas e gabaritos do Enem, além da correção comentada das questões. Basta fazer o download e resolvê-las.

3 – Faça simulados

Uma ferramenta que auxilia positivamente quem vai passar pelas provas do Enem é a resolução de simulados. Com eles, é possível ter uma noção do que o aguarda nas provas, seja pelo formato da prova ou pela divisão das questões. 

Com os simulados você poderá cronometrar o seu tempo de realização das questões. Desse modo, terá um parâmetro do tempo em que está levando para responder cada questão, onde gastará mais tempo ou até mesmo onde precisa aperfeiçoar.

Na escola e cursinhos pré-vestibulares são aplicados simulados constantemente com esse mesmo objetivo: fazer com que os estudantes se exercitem e treinem seu desempenho.

Há também a possibilidade de resolver simulados on-line. O portal Brasil Escola é um exemplo de site que oferece simulado on-line muito eficaz para os estudos. Como ele é possível simular tanto a prova completa do Enem como também personalizá-lo conforme a área de conhecimento e disciplinas que deseja aperfeiçoar sua preparação.

Simulado on-line do Enem

4 – Treine a redação

Muitos estudantes têm dúvida sobre quais temas focar para estudar para a redação do Enem, não é mesmo? Mas você não precisa se preocupar com isso. Na verdade, a melhor forma de estudar para a redação do Enem é o treino. Praticar, praticar e praticar, esse é o “segredo”. O ideal é que o estudante faça, pelo menos, uma redação por semana.

Os temas não importam muito. A recomendação é encontrar um modelo próprio que contemple a introdução, o desenvolvimento com uma ou mais propostas de intervenção, e a conclusão. Isso você só consegue praticando e lendo bastante, para adquirir repertório. Até vídeos e filmes podem te ajudar a aumentar esse repertório.

Treine aqui sua redação para o Enem!

Se mesmo assim ainda quiser indicação de temas, dê prioridade para problemas sociais do Brasil. É importante também estar atualizado no que diz respeito a questões históricas, causas sociais e ao que acontece no Brasil e no mundo. 

Um outro material que auxilia na preparação para a redação é a Cartilha de Redação do Enem. Consultando e tendo conhecimento do que ela trata, é possível saber o tipo de texto cobrado e o que é desejado pela banca avaliadora na sua redação. Nela também costa alguns exemplos de redações que alcançaram a tão sonhada nota 1000.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

5 – Aproveite o tempo em sala de aula

O tempo em que estiver em sala de aula deve ser aproveitado da melhor forma. Ele é ideal para que você aprenda de verdade e possa tirar as dúvidas acerca de determinado conteúdo com seus professores. Preste atenção, anote, questione e tire suas dúvidas. Aprenda de verdade.

Aproveitando o tempo dentro da sala de aula você otimizará seus estudos quando estiver em casa, já que não precisará aprender a matéria e somente reforçá-la, revisá-la por meio de treino e resolução de exercícios.

Uma outra dica para quem deseja ter um bom aproveitamento em sala de aula é ter uma boa noite de sono. Montar um cronograma para se organizar melhor quanto à divisão desse tempo dedicado as aulas em casa e aos estudos em casa facilitará. 

6 – Descubra o curso ou a área de conhecimento do seu interesse

Outra forma de aperfeiçoar a forma de estudar para o Enem é descobrindo qual a área de conhecimento que você tem maior aptidão e interesse, bem como o curso em que deseja cursar. 

Dessa forma, você poderá canalizar os estudos em determinada disciplina, focar mais no que possui maior dificuldade e dividir da melhor maneira o tempo entre um e outro conteúdo.

O estudante que se prepara para concorrer a uma vaga no curso de Medicina, por exemplo, deverá ter foco nos estudos em disciplinas como Biologia, Química e Física, as quais pertencem à área de Ciências da Natureza.

Já para o estudante que deseja uma vaga na graduação de Direito, por exemplo, o foco da preparação deverá ser nas matérias de História e Geografia, que estão na área de Ciências Humanas.

7 – Elabore um plano de estudo

O plano de estudo é outra ferramenta para ajudar a organizar o que você precisa estudar para o Enem em um determinado período. Ele antecede ao cronograma e contém as metas que deseja alcançar em determinado período de tempo, geralmente em longo prazo, e como deseja alcançar.

Você pode começar listando quais são seus objetivos no ano ou no semestre. Por exemplo, conseguir mais que 900 na redação do Enem. Depois, enumere o que você precisa fazer para alcançar esse objetivo, como: escrever uma redação por semana; ler notícias todos os dias; analisar redações nota 1000 etc.

Depois de montado o seu plano de estudos, você já sabe das metas em que precisa cumprir naquele período, podendo distribuir as atividades num cronograma, de forma mais detalhada.

8 – Monte um cronograma

Depois de estabelecer o seu plano de estudos, é importante que você se organize e mantenha certa disciplina ao estudar para o Enem baseado nesse seu planejamento. Estudar em casa exige ainda mais disciplina, por estar exposto a diversas distrações que podem tirar sua concentração.

Uma alternativa interessante é montar um cronograma de estudos, com objetivos estabelecidos para um período de curto a médio prazo – diferente do planejamento, que é de longo prazo.

O cronograma é mais específico que o planejamento e considera toda a rotina do estudante, como horário de aula, tempo disponível para estudar em casa, atividades extracurriculares, pausa de descanso, lazer, atividade física etc.

Para montar o seu cronograma, comece separando um horário para cada disciplina, outro para a resolução de exercícios, além dos reservados ao período para lazer e descanso. Todos esses horários deverão ser lançados e, claro, precisam ser seguidos!

O interessante ao fazer o cronograma é colocar todas as suas atividades, dias da semana e horários distribuídos numa espécie de tabela, que poderá ser feita a mão ou até no computador ou outra ferramenta digital. Veja um exemplo:

Clique na imagem para ampliar

O cronograma poderá ter suas flexibilidades e remanejamentos, mas o ideal é que as metas centrais sejam colocadas em prática no período em que foram pré-determinadas. Por ser algo muito particular, não é recomendado seguir um cronograma genérico ou criado para outra pessoa.

E vale lembrar que todas essas dicas de como estudar para o Enem só irão funcionar se você tiver disciplina e seguir tudo direitinho, hein?! Bons estudos!

Por: Érica Caetano