Hipertermia

A hipertermia ocorre quando a temperatura central do nosso corpo fica acima dos 40 ºC, devido à falência de mecanismos de dissipação de calor. Uma das causas principais de hipertermia é a exposição prolongada ao calor extremo. Hidratação e evitar a prática de atividades físicas ao ar livre durante dias quentes são formas de prevenir-se o problema.

A hipertermia é grave e pode levar o indivíduo a óbito caso não haja o resfriamento rápido do corpo. Dentre as técnicas que provocam o resfriamento do corpo, podemos citar: uso de bolsas de gelo, imersão em água fria, e ventilação.

Leia também: Cinco curiosidades sobre o calor

Definição de hipertermia

A hipertermia pode ser definida como um aumento da temperatura corporal sem que ocorra alterações no ponto de termorregulação, sendo decorrente de uma falência dos mecanismos de dissipação do calor. A hipertermia diferencia-se da febre, pois, nesta última, o aumento da temperatura relaciona-se com a elevação do ponto de termorregulação da temperatura para níveis excessivamente altos.

É importante saber que, no nosso corpo, a temperatura é regulada pelo centro termorregulador, que está localizado no hipotálamo e funciona como um termostato, mantendo a temperatura interna adequada. Na febre o que ocorre é um ajuste desse termostato, elevando, para níveis mais altos, o ponto preestabelecido de regulação do calor.

Temperaturas elevadas podem desencadear a hipertermia.
Temperaturas elevadas podem desencadear a hipertermia.

Na hipertermia, temos um aumento da temperatura corporal central (temperatura do coração, pulmão, encéfalo e órgãos esplâncnicos) acima de 40 ºC. A temperatura corporal central normal mantém-se entre 36,6 ºC e 37,6 ºC, sendo esses valores essenciais para o funcionamento adequado do organismo. O aumento da temperatura corporal central pode ser responsável pelo comprometimento de múltiplos órgãos do corpo, podendo desencadear, por exemplo, uma parada cardiorrespiratória.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Causas de hipertermia

A hipertermia apresenta diferentes causas, sendo a principal delas a exposição prolongada ao calor (hipertermia clássica). Em dias extremamente quentes, por exemplo, deve-se tomar cuidado ao fazer atividades ao ar livre ou ficar muito tempo exposto ao Sol. Além de dias quentes, outras situações que podem levar ao aquecimento exagerado do corpo é manter-se dentro de veículos fechados e permanecer em salas de caldeiras ou locais onde está havendo a queima de algum produto.

Aqui é importante destacar os riscos de deixar-se crianças no interior de carros, uma situação que já levou várias delas à morte por hipertermia. Estima-se que um carro fechado e parado debaixo do Sol tem sua temperatura aumentada em 80% em cerca de meia hora.

A hipertermia também pode ser causada por atividades físicas intensas (hipertermia induzida por esforço físico). Nesse caso, temos um aumento da temperatura corporal devido à atividade da musculatura somada às condições ambientais (temperatura e umidade).

Há ainda a chamada hipertermia maligna, que se manifesta em certos indivíduos (que apresentam predisposição genética) ao fazerem uso de certos medicamentos, como anestésicos inalatórios halogenados. A hipertermia maligna, mais raramente, pode ocorrer após exercício intenso e/ou exposição solar prolongada.

Leia também: Importância da água para o organismo

Sinais e sintomas da hipertermia

A hipertermia é um problema grave e que pode levar à morte. Sendo assim, é importante saber identificar alguns sintomas e sinais de que a pessoa está passando por essa situação. Dentre os sinais e sintomas, destacam-se: dor de cabeça, tontura, fraqueza, produção excessiva de suor ou falta de suor, náusea, vômito, queda de pressão, alucinação, convulsões, e coma.

Formas de evitar a hipertermia

Beber água em dias quentes é fundamental para evitar a desidratação e a hipertermia.
Beber água em dias quentes é fundamental para evitar a desidratação e a hipertermia.

A hipertermia pode ter diferentes causas, mas a principal delas refere-se à exposição ao calor excessivo. Em dias quentes, por exemplo, nosso corpo tenta abaixar a temperatura por meio de mecanismos como a produção de suor. Se ficamos muito tempo expostos ao Sol e não ingerimos água em quantidade adequada, ficamos desidratados e nossa temperatura não consegue ser diminuía devido à falta de sudorese.

Sendo assim, algumas medidas devem ser adotadas, principalmente nos dias em que a temperatura está muito elevada:

  • Beber sempre muita água;
  • Evitar atividades físicas em dias muito quentes;
  • Não se expor ao Sol em horários que a temperatura está muito elevada;
  • Não permanecer no interior de carros fechados ou deixar crianças e animais dentro de carros;
  • Evitar bebidas alcoólicas.

Leia também: Dicas para enfrentar o calor com saúde

Tratamento da hipertermia

Para tratar a hipertermia, é fundamental o resfriamento do corpo. Esse resfriamento pode ser mecânico, por exemplo, com o uso de bolsas de gelo, lençóis molhados; a ventilação e imersão em água fria; ou o uso de medicamentos. Um ponto importante a ser destacado é que medicamentos para controle da febre são ineficazes em pacientes que enfrentam a hipertermia, pois os mecanismos relacionados com cada processo são diferentes entre si.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Febre

Saiba mais sobre a febre, um sinal de que algo errado está ocorrendo com o corpo.

Hipotermia

Saiba mais sobre a hipotermia, um quadro que pode levar à amputação dos membros afetados ou, até mesmo, morte.

Ilha de Calor

Fenômeno climático muito comum nos grandes centros urbanos.

Por que realizar atividades físicas?

Você já se perguntou por que devemos realizar atividades físicas? Clique aqui e conheça os motivos e também as recomendações!

É confiável medir a temperatura somente pelo tato?

Medindo a temperatura através do tato.