Fobia

A fobia é um medo exagerado de um determinado objeto ou situação. Podemos classificar as fobias em específicas, fobia social e agorafobia.

As fobias podem ser definidas como medos acentuados e desproporcionais de uma situação ou objeto. Podemos classificar as fobias em três tipos básicos: fobias específicas, fobia social e agorafobia.

Leia também: Problemas psicológicos e psiquiátricos


Fobia específica

A fobia específica causa um medo exagerado de um objeto ou situação específica (estímulo fóbico). De acordo com o estímulo fóbico, normalmente se classifica a fobia específica em:

  • Animal: acontece quando o estímulo fóbico é um animal, como uma aranha ou uma cobra;

  • Ambiente natural: refere-se a fatores naturais, como tempestade ou medo de altura;

  • Sangue-injeção-ferimentos: medo extremo de agulhas, procedimentos médicos e ferimentos, por exemplo;

  • Situacional: o indivíduo apresenta medo excessivo de algumas situações, como ficar em locais fechados e voar em avião;

  • Outros: medo exagerado de situações que não se enquadram nos outros grupos, como sons altos ou pessoas vestidas com fantasias.

A fobia de avião é um tipo de fobia situacional.
A fobia de avião é um tipo de fobia situacional.

Normalmente uma fobia específica surge por causa de alguns fatores, como viver um evento traumático, observar uma pessoa passando por um evento traumático, apresentar um ataque de pânico diante de uma determinada situação ou ainda por transmissão de informações – quando, por exemplo, há uma cobertura excessiva sobre um acidente. Apesar desses fatores, muitas pessoas não sabem por que passaram a manifestar tanto medo de uma situação.

As fobias específicas fazem com que o indivíduo passe a evitar certas situações cotidianas. Ele pode, por exemplo, evitar visitar algumas pessoas por temer uma viagem de avião. Sendo assim, podemos dizer que as fobias afetam significativamente a vida do indivíduo.

Vale destacar que a intensidade das fobias varia de pessoa para pessoa ou até mesmo de uma situação para outra. Se o indivíduo está acompanhado de uma pessoa, por exemplo, seus medos podem ser um pouco mais controlados; em outros casos, no entanto, pode haver manifestações intensas de tremor, taquicardia e até mesmo ataques de pânico.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Fobia social

Na fobia social, também chamada de transtorno de ansiedade social, o indivíduo também apresenta um medo exagerado e desproporcional, entretanto, esse medo volta-se para situações sociais em que o indivíduo fica exposto a outras pessoas e seus julgamentos. Como exemplos dessas situações, podemos citar festas, restaurantes etc.

Leia também: Doenças, síndromes e transtornos

Na fobia social, o indivíduo teme julgamentos de outras pessoas.
Na fobia social, o indivíduo teme julgamentos de outras pessoas.

Assim como nas fobias específicas, o indivíduo tende a apresentar um comportamento de fuga, saindo do local e da situação que lhe causam temor. Vale salientar que indivíduos com fobia social tendem a ser mais reservados, não participando de muitos eventos sociais.


Agorafobia

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, na agorafobia, o indivíduo apresenta medo excessivo diante de duas ou mais das cinco situações a seguir:

  1. Uso de transporte público

  2. Permanecer em espaços abertos

  3. Permanecer em locais fechados

  4. Permanecer em uma fila ou ficar em meio a uma multidão

  5. Sair de casa sozinho

O indivíduo com agorafobia evita essas ocasiões por achar que seria difícil escapar de alguma situação inesperada nesses locais ou ainda por acreditar que não teria auxílio caso acontecesse alguma dessas situações ou um ataque de pânico. Assim como nas outras fobias descritas, o medo é desproporcional ao perigo real dessas circunstâncias.


Tratamento

O indivíduo que apresenta sintomas de fobia deve procurar ajuda profissional. A psicoterapia e farmacoterapia estão entre as principais formas de tratamento desse transtorno. Na psicoterapia, o indivíduo acometido, com acompanhamento profissional (psicólogo e psiquiatra), realiza terapia para minimizar seus medos. A terapia pode incluir, por exemplo, técnicas de relaxamento e até mesmo exposição ao que o paciente teme (por meio da imaginação ou mesmo ao vivo). Na farmacoterapia, medicamentos são administrados. Vale salientar que cada paciente é tratado de maneira específica.

As fobias geram um medo desproporcional de uma determinada situação.

As fobias geram um medo desproporcional de uma determinada situação.

Por: Vanessa Sardinha dos Santos

Artigos relacionados

Doenças, síndromes e transtornos

Compreenda a diferença entre doenças, síndromes e transtornos e conheça alguns exemplos de cada uma dessas situações.

Transtorno bipolar

Saiba o que é o transtorno bipolar e como pode ser tratado.

Transtorno obsessivo compulsivo – TOC

Transtorno de ansiedade que pode provocar sentimentos de impotência, angústia e aflição.