Amido

O amido é um carboidrato (hidrato de carbono), que, por sua vez, são compostos que possuem a função mista poliálcool-aldeído ou poliálcool-cetona.

Quando duas ou mais moléculas mais simples de carboidratos (monossacarídeos) se unem, eles formam polímeros naturais, ou seja, macromoléculas que são os polissacarídeos.

Do ponto de vista químico, o amido é um polímero natural, pois ele é formado pela união de dois polissacarídeos: a amilose (constituída de mais de 1000 moléculas de α-glicose) e a amilopectina (um polímero que possui ramificação saindo dos carbonos 6 de uma molécula de α-glicose e do carbono 1 de outra molécula a cada grupo de 20 a 25 unidades do monossacarídeo ao longo da cadeia). A seguir temos uma molécula de glicose:

Molécula de glicose

Basicamente, então, o amido é formado por moléculas de α-glicose e possui a fórmula (C6H10O5)n, sendo que “n” pode variar de 60 000 a 1 000 000 de unidades, sendo que esses milhares de monômeros de glicose estão ligados por ligações glicosídicas alfa, de maneira linear e ramificada. A seguir temos uma representação de um trecho da cadeia de moléculas de glicose que formam o amido:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Trecho de macromolécula de amido formada por ligações glicosídicas entre moléculas de α-glicose

O amido é armazenado em diferentes órgãos vegetais, pois esses organismos realizam a fotossíntese, transformando água, gás carbônico e energia solar em glicose e oxigênio, sendo que a glicose é armazenada na forma de amido. As principais fontes de amido estão na forma de grãos das sementes (cereais), tais como arroz, milho, aveia, trigo, cevada e centeio, e nas raízes das plantas, como batata e mandioca.

Quando o organismo animal ingere o amido, ele é decomposto novamente em unidades de glicose, e no fígado elas são recombinadas formando o glicogênio. O glicogênio é uma reserva animal de carboidratos e, por isso, é chamado de “amido animal”, ficando principalmente no fígado e nas células dos músculos.

Com a finalidade de manter o balanço energético do organismo durante períodos de jejum ou fome, o organismo transforma essas reservas de glicogênio em glicose, que é transportada pelo sangue até os tecidos, onde é oxidada e forma água, gás carbônico e energia.

O amido está presente em cereais e raízes de vegetais

O amido está presente em cereais e raízes de vegetais

Por: Jennifer Rocha Vargas Fogaça

Artigos relacionados

Celulose

Conheça a constituição química do polímero natural da celulose, quais são as suas fontes na natureza, suas aplicações pela indústria e a importância de sua ingestão diária.

De onde vem a energia dos alimentos?

Saiba de onde vem a energia dos alimentos e como o processo de fotossíntese é extremamente importante para a manutenção de toda a vida na Terra.

Dieta sem glúten pode ajudar a emagrecer?

Veja mitos e verdades sobre a dieta sem glúten e descubra se ela realmente ajuda a emagrecer com saúde.

Glicogênio

Saiba mais sobre o glicogênio, um polissacarídeo de reserva encontrado nas células animais, principalmente nas células do fígado e musculares.

Glicose

Aprenda mais a respeito da glicose, uma molécula extremamente importante para a produção de energia na célula. Neste texto, falaremos sobre o que é glicose, suas funções, o transporte de glicose na célula e o processo de glicólise. Além disso, abordaremos importantes temas como hiperglicemia, hipoglicemia e diabetes.

Glúten - composição e fontes na alimentação

Leia este texto e descubra a composição química do glúten, suas fontes na alimentação, suas principais propriedades e se ele faz mal à saúde.