Funções morfossintáticas da palavra “que”

A palavra “que” pode exercer diversas funções morfossintáticas no enunciado e pertencer a diferentes classes gramaticais.

A palavra que pode assumir diferentes funções morfossintáticas na construção dos enunciados.

Quanto ao aspecto morfológico, essa palavra pode ser:

  • Substantivo;

  • Pronome interrogativo;

  • Pronome relativo;

  • Pronome adjetivo;

  • Conjunção;

  • Substantivo;

  • Interjeição;

  • Partícula de realce;

  • Preposição.

Quanto ao aspecto sintático, ela pode ser:

Vamos analisar cada uma dessas possibilidades. Veja:

→ Substantivo: possui o emprego de substantivo e vem antecedido por artigo, pronome ou preposição. Tem o sentido de “qualquer coisa” ou “alguma coisa”.

Havia um quê de melancolia naquele canto.

→ Pronome interrogativo: pode ser um pronome substantivo ou um pronome adjetivo.

- Que teria acontecido naquela casa? (pronome substantivo significando “que coisa”)

- Que mentira foi aquela? (pronome adjetivo significando “que espécie de” e refere-se a pessoas ou coisas).

Pronome relativo: refere-se a um termo anterior.

- Dê-me os livros que comprei.

Pode exercer a função sintática de:

⇒ Sujeito: Quero ver o sorriso, que alegra minha alma. (Sujeito do verbo alegrar)

⇒ Objeto direto: Concentrou-se no que a professora explicava. (Objeto direto do verbo explicar)

⇒ Objeto indireto: Eu aguardava a notícia de que tanto se falava. (Objeto indireto do verbo falar)

⇒ Complemento nominal: Foram os últimos momentos de que guardo na memória. (Complemento nominal de memória)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Além disso, como pronome relativo, o que pode iniciar orações adjetivas restritivas ou adjetivas explicativas:

- As memórias que ficaram são dos melhores momentos. (Adjetiva restritiva)

- O menino, que estava brincando, sorriu para mim. (Adjetiva explicativa)

→ Pronome adjetivo: possui o sentido de “quanto” ou “quantas”.

- Que horas são?

→ Conjunção: Pode ser dos tipos:

Tipo de conjunção

Exemplo

Coordenativa aditiva

Reclama que reclama e não ajuda em nada.

Coordenativa explicativa

Eles deverão dormir aqui, que a estrada é muito perigosa à noite.

Subordinativa causal

Apressem-se, que o ônibus chegou.

Subordinativa integrante

Falei que iria visitá-lo mais vezes.

Subordinativa temporal

Meses passaram que cortei o cabelo.

Subordinativa concessiva

Fique, por favor, um pouco que seja!

Subordinativa consecutiva

Insistiu tanto que ganhou o brinquedo.

→ Interjeição: carrega a expressão de surpresa ou espanto e aparece acentuado.

- Quê! Eles se separaram?

→ Partícula de realce

- Que atitude horrível que ele teve!

→ Preposição: é utilizada na substituição da preposição de.

- Tenho que viajar amanhã.

- Há que se notar sua tristeza.

A palavra “que” pode possuir diferentes funções morfossintáticas

A palavra “que” pode possuir diferentes funções morfossintáticas

Por: Mariana Rigonatto

Artigos relacionados

Análise sintática e morfológica

Confira suas principais características!

A palavra “que”: conjunção integrante ou pronome relativo?

A palavra “que”, dependendo do contexto em que se encontra inserida, pode atuar como conjunção integrante ou pronome relativo. Confira!

Como utilizar o pronome relativo “quem”?

Função sintática dos pronomes: clique e aprenda a utilizar adequadamente o pronome relativo “quem”.

Pronome cujo

O pronome cujo se manifesta mais comumente na linguagem escrita.

Pronomes relativos

Interaja-se com as características inerentes a estes, os quais integram as classes de palavras.

Características dos pronomes relativos

Os pronomes relativos, assim como as demais ocorrências linguísticas, constituem-se de características distintas.

Morfossintaxe do substantivo

Amplie ainda mais seus conhecimentos acerca dos fatos que norteiam a língua, conhecendo a morfossintaxe do substantivo em apenas um clique!