Prisma de reflexão total

Nos estudos iniciais de Óptica Geométrica vimos que a luz sempre se propaga em linha reta. Um dos experimentos que provou tal afirmação foi a câmara escura de orifício. Vimos também que um prisma nada mais é do que qualquer sólido transparente limitado por faces planas não paralelas. O prisma também é capaz de proporcionar a dispersão da luz branca que incide em uma de suas faces ou é capaz de desviar a luz incidente.

Na figura acima vemos que o raio de luz, após incidir sobre uma das superfícies do prisma, sofre um pequeno desvio. Prisma de reflexão total é aquele em que o raio de luz incidente sofre o fenômeno da reflexão total em uma ou mais faces. Os prismas também são utilizados em diversos instrumentos ópticos, como, por exemplo, em binóculos, periscópios, máquinas fotográficas etc.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Nos prismas de reflexão total mais comuns, a secção principal é basicamente formada por um triângulo retângulo isósceles. O vidro utilizado possui ângulo limite do dioptro ar/vidro de aproximadamente 42º. Dessa forma, a luz, quando incide perpendicular à face, sofre um desvio de 90º (prisma de Amici) ou dois sucessivos desvios de 90º (prisma de Porro). Vejamos a figura abaixo: nela representamos um tipo de prisma refletor, em que a luz incide perpendicularmente à face esquerda, posteriormente sofrendo uma reflexão total na face inclinada.

Prisma de Amici e prisma de Porro

Luz sendo desviada no interior do prisma de reflexão total e a dispersão da luz branca

Luz sendo desviada no interior do prisma de reflexão total e a dispersão da luz branca

Por: Domiciano Correa Marques da Silva