Incidência e Reflexão

Da mesma forma que ocorre em espelhos planos, as leis da reflexão são válidas para espelhos esféricos. Você se lembra delas? Não? Então vamos relembrar:

1º lei: o raio incidente, o raio refletido e a reta normal (N) pertencem ao mesmo plano.
2º lei: o ângulo de incidência (i) tem sempre a mesma medida que o ângulo de reflexão (r).

Como se faz nos espelhos planos, as leis da reflexão são aplicadas nos espelhos esféricos para determinarmos o trajeto de um raio de luz que é refletido.

Primeiramente, temos que traçar a reta normal (N) à superfície no ponto de incidência. A reta normal no ponto de incidência de um espelho esférico é chamada de eixo secundário, pois passa pelo ponto de incidência do raio e pelo centro de curvatura.

Em seguida, usando um transferidor, medimos o ângulo de incidência (i) do raio incidente (RI) em relação à normal. Então traçamos o raio refletido (RR), utilizando a 2º lei da reflexão, também em relação à reta normal.

Vejamos então como se dá, observando as figuras abaixo.

Espelho côncavo

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Espelho convexo

Há um interessante caso particular que merece ser citado neste momento:

Se o raio de luz incidente coincidir com um eixo secundário, isto é, passar pelo centro de curvatura, o raio refletido voltará sobre o incidente. Veja como se dá esse caso, então, observando a figura abaixo.

Reflexão da luz em um espelho esférico

Reflexão da luz em um espelho esférico

Por: Domiciano Correa Marques da Silva

Artigos relacionados

Ângulo limite e reflexão total

Veja aqui quais são as considerações mais importantes sobre ângulo limite e quais são as duas condições para a ocorrência da reflexão total.