Foco de um espelho de Gauss

Temos a possibilidade de obtermos um espelho esférico apenas polindo uma calota esférica tanto na parte interna quanto na externa. Se realizarmos o polimento da parte interna, podemos obter um espelho esférico côncavo, caso seja polida a parte externa teremos um espelho esférico convexo.

Esse tipo de espelho é encontrado em diversos lugares, em supermercados, ônibus coletivos, etc. Os espelhos esféricos côncavos e convexos apresentam alguns elementos básicos como centro de curvatura, vértice, eixo principal e raio de curvatura.

Se fizermos incidir sobre um espelho esférico côncavo de Gauss um feixe de raios de luz, paralelo ao eixo principal, perceberemos que os raios refletidos convergirão para um único ponto F, denominado foco principal. Podemos ver esse fenômeno na figura abaixo.

Os raios refletidos convergem para um único ponto
Os raios refletidos convergem para um único ponto

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Se fizermos a mesma experiência junto ao espelho esférico convexo de Gauss, perceberemos que os raios refletidos são divergentes, ou seja, tomam direções diferentes, porém notamos que os seus prolongamentos passam por um mesmo ponto F. Damos o nome de foco principal a esse ponto F do espelho convexo de Gauss. Podemos verificar tal fenômeno na figura abaixo.

Os raios refletidos pelo espelho convexo são divergentes
Os raios refletidos pelo espelho convexo são divergentes

De acordo com as figuras acima podemos notar que no espelho côncavo o foco é real, ou seja, há cruzamento efetivo de raios diante do espelho, enquanto que no espelho convexo o foco é virtual pelo fato de ser obtido através do prolongamento dos raios atrás do espelho.

Carl Friedrich Gauss

Carl Friedrich Gauss

Por: Domiciano Correa Marques da Silva